Google+ Badge

sábado, 15 de agosto de 2009

POLÍTICA - HISTÓRIA RECENTE



No dia 26/05/1992 foi criada pelo Congresso Nacional uma CPI, proposta pelo senador Eduardo Suplicy e pelo deputado federal José Dirceu, para investigar as denúncias de Pedro Collor.
Foto (de cima): acervo da liderança do PT na Câmara dos Deputados/BSA.
Foto (de baixo): acervo Centro Sérgio Buarque de Holanda.


Leia mais no site da Fundação Perseu Abramo

Aqui

HISTÓRIA - O IRMÃO FALOU

Pedro Affonso Collor de Mello (Maceió, 14 de dezembro de 1952 — 19 de dezembro de 1994) foi um empresário brasileiro, irmão do ex-presidente Fernando Collor de Mello. Comandava as empresas da família em Alagoas, Organização Arnon de Mello, TV Gazeta de Alagoas, Jornal Gazeta de Alagoas, Rádio Gazeta AM, Rádio Gazeta FM e Grafica Gazeta de Alagoas.

Pedro Collor denunciou um esquema de corrupção política envolvendo Paulo César Farias, tesoureiro de Fernando Collor. Essa denúncia, feita em entrevista exclusiva ao jornalista Luís Costa Pinto e publicada na revista Veja em edição com data de capa de 25 de maio de 1992, desencadeou o processo de impeachment do então presidente Fernando Collor. Pedro Collor morreu de câncer no cérebro em 1994, deixando esposa e três filhos, sendo um deles fruto do relacionamento com Regina Maria Habbema de Maia.

Livro sobre Collor

Junto com a jornalista Dora Kramer, Pedro Collor foi co-autor do best-seller nacional Passando a limpo - A trajetória de um farsante, publicado pela Editora Record em 1992. Relata no livro os bastidores do poder do governo federal sob os auspícios do irmão Fernando Collor e de PC Farias. Relata episódios de sua infância e da família Collor de Mello, seguindo pela indicação de Fernando Collor para prefeito de Maceió e suas duas eleições, para governador de Alagoas (1986) e presidente do Brasil (1989).

Passando a limpo revela os esquemas corruptos levados a efeito no governo Collor, além de fofocas de bastidores envolvendo traições, bebedeiras e uso de drogas. Pedro era o único alagoano dos cinco filhos do casal Arnon Afonso de Farias Melo e Leda Collor de Melo.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

ESPORTE - Só falta a assinatura: Huracán aceita proposta do Timão por Defederico




Alejandro Gómez, empresário do meia-atacante, viajou esta noite para Buenos Aires, onde entregará pré-contrato ao presidente do clube argentino

Só falta uma assinatura para que Matías Defederico seja anunciado como jogador do Corinthians. A proposta feita pelo Timão foi aceita pelo Huracán, e o empresário do meia-atacante, Alejandro Gómez, viajou na noite desta quinta-feira para Buenos Aires, com um pré-contrato que será assinado por Carlos Babington, presidente do clube argentino. A expectativa é de que o atleta chegue ao Brasil na quarta-feira.

Na terceira reunião entre o staff de Federico e o departamento de marketing do Corinthians foram definidas todas as bases do acordo. Acompanhados pelo advogado argentino Mário Vaizman, Wagner Martinho, representante do meia-atacante no Brasil, e Luís Paulo Rosenberg, diretor de marketing do Alvinegro, chegaram a um consenso e redigiram as cláusulas contratuais que em breve estarão nas mãos de Babington.

Por 80% dos direitos econômicos do jogador, o Timão vai desembolsar US$ 4 milhões (aproximadamente R$ 7,5 milhões). Os outros 20% seguem sob o comando do empresário Alejandro Gómez. Assim que Defederico realizar os exames médicos, ele assinará um contrato de quatro anos com o clube do Parque São Jorge. A previsão do anúncio oficial da contratação é para segunda-feira.

O “novo Messi”, como é conhecido na Argentina, é uma das principais apostas do Corinthians para a Taça Libertadores da América de 2010. Só que o jogador já deve ser importante para a sequência do time no Campeonato Brasileiro. Há cinco jogos sem vencer e depois de cair da quarta para a 11ª colocação, o Timão corre para qualificar o elenco e suprir as ausências que tem tido nos últimos meses.

Matías Defederico tem 20 anos, foi destaque do Huracán no Campeonato Argentino e tem como meta brilhar no Corinthians para chegar à Europa. Não à toa a documentação para o seu passaporte italiano já está sendo providenciada.

Os US$ 4 milhões que serão desembolsados pela compra do jogador serão pagos da seguinte maneira: uma parte à vista, na assinatura do contrato, e o saldo em 12 vezes. Na negociação, o Timão apresentou como garantia dinheiro que tem a receber do fornecedor de material esportivo. A partir de 2010, são R$ 16,5 milhões anuais.

UFPA - promove treinamento para uso do Portal de Períódicos CAPES

No período de 17 a 21 de agosto de 2009, a Universidade Federal do Pará (UFPA) promove um treinamento para uso do Portal de Periódicos CAPES. O treinamento será ministrado por editores científicos responsáveis pelos 20 mil periódicos e cerca de 190 bases de dados do Portal e é dirigido a bibliotecários, alunos, professores, pesquisadores da graduação e da pós-graduação. O evento é oferecido e apresentado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e conta com o apoio integrado da PROPESP, PROEG e Biblioteca Central da UFPA.

O Portal de Periódicos da Capes disponibiliza informações científicas de alta qualidade para mais de 250 instituições de ensino e pesquisa no Brasil. Além de revistas, científicas, o acervo do Portal conta com bases referenciais, patentes, livros, normas, estatísticas e material audiovisual. Atualmente, o Portal oferece acesso aos textos completos de mais de 15 mil revistas científicas brasileiras e estrangeiras e a 126 bases de dados em todas as áreas de conhecimento. Seu uso possibilita à comunidade acadêmica a atualização científica e tecnológica permanente, mostrando-se essencial à formação profissional e científica de qualidade.

Para participar do treinamento não é necessário fazer inscrição, mas os interessados que preferirem inscrever-se podem fazê-la com antecedência pela internet, no endereço Periódicos Capes ou na hora do treinamento. Quem se inscrever para o treinamento e frequentá-lo terá direito a certificado.

Um convite especial está sendo dirigido aos calouros da graduação, como parte de um esforço institucional para qualificar a formação nesse nível. Assim como todo o público convidado, eles podem participar de todos os momentos do treinamento.

Nos dias 17 e 18 de agosto, o treinamento acontecerá no Centro de Convenções da UFPA, ao lado do prédio da Reitoria. Nos dias 19, 20 e 21, o treinamento será realizado no Auditório Rio Guamá, do Centro de Capacitação - CAPACIT.

Clique aqui para conferir a programação e outras informações suplementares.

Leia também: Acervo do Portal de Periódicos da Capes já ultrapassa os 15 mil títulos

Serviço:
Treinamento para uso do Portal de Periódicos CAPES
Data – 17 a 21 de agosto de 2009
Horário – 8:30h às 12h – 14h às 17:30h
Local – Centro de convenções – dias 17 e 18
Centro de Capactiação – 19 a 21

PARÁ - Fundo repassa R$ 1,6 mi a escolas do Pará

Amazônia Jornal
Edição de 14/08/2009


O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) repassou R$ 41,1 milhões para as escolas credenciadas ao Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). No Pará, o recurso foi repassado a nove dos 143 municípios, num montante de R$ 1,6 milhão, sendo que 56% desse valor ficaram em Belém. O repasse dos recursos foi efetuado nos dias 10 e 12 deste mês.

Segundo o FNDE, o dinheiro está disponível nas contas correntes das unidades executoras, que podem ser as próprias escolas ou as secretarias municipais e estaduais (caso a escola tenha menos de 50 alunos e não possua um entidade com personalidade jurídica). No Pará, foram contempladas escolas dos municípios de Belém (R$ 948,9 mil), Ananindeua (R$ 419,4 mil), Santarém (R$ 150,2 mil), Marabá (R$ 86 mil), Paragominas (R$ 53,7 mil), Melgaço (R$ 8,5 mil), Itaituba (R$ 8,5 mil), Breves (R$ 6 mil) e Santo Antônio do Tauá (R$ 1,4 mil).

A verba do PDDE deve ser utilizado para a aquisição de material permanente; manutenção, conservação e pequenos reparos da unidade escolar; aquisição de material de consumo necessário ao funcionamento da escola; avaliação de aprendizagem; implementação de projeto pedagógico, etc.

PARÁ , UFPA - Inscrição à isenção ao PSS acaba no domingo

Amazônia Jornal,
Edição de 14/08/2009


O Termina neste final de semana o prazo para as inscrições à isenção da taxa do Processo Seletivo Seriado 2010 (PSS) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Quem depende dos computadores da universidade para preencher o formulário on-line, tem até hoje para fazê-lo. A inscrição à isenção vai até o domingo, 16. Ela é realizada somente pela internet, através do site www.ceps.ufpa.br. Quem não tiver computador em casa ou não tiver condições de pagar um cyber café tem até hoje para utilizar os computadores do Laboratório de Informática do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.

O laboratório atenderá os candidatos das 9h às 15h. Ele fica próximo ao ginásio do campus básico. É no ginásio que deverá ser feita a entrega da documentação comprobatória da falta de recursos para pagar as taxas de R$ 35,00 (3ª fase), R$ 65,00 ( 2ª e 3ª fases) e R$ 75,00 (1ª, 2ª e 3ª fases).

Os documentos podem ser entregues hoje ou segunda-feira, das 9h às 17h, sem intervalo para almoço. São exigidas cópias da carteira de identidade, CPF, comprovante de residência (conta de consumo de energia elétrica, de água ou de telefone fixo) e, em alguns casos, de certidão de óbito de pais ou responsáveis.

Para comprovar que possui renda familiar de até meio salário mínino (de cada membro) ou de até três mínimos (total), o candidato à isenção deve apresentar cópia e original do comprovante de renda próprio e de todos os membros da família que contribuam para seu sustento.

No caso de autônomo, além das cópias da CTPS, o candidato deverá apresentar Declaração de Autônomo, conforme modelo disponível no endereço eletrônico www.ceps.ufpa.br, e declaração dos rendimentos correspondentes a contratos de prestação de serviço e/ou recibo de pagamento autônomo (RPA).

Quem fizer parte do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) deve informar somente o Número de Identificação Social (NIS).

PARÁ - MAIS UMA QUE NOS ENVERGONHA




quinta-feira, 13 de agosto de 2009

PARÁ - DEBATE POLÍTICO NA LAMA


É uma verdadeira tristeza ao nível em que chegou o debate político no Estado do Pará. Não precisavam agregar mais elementos que desprestigiem a imagem que o Estado já tem no âmbito nacional. Como se não fosse suficiente a verdadeira destruição ambiental no estado pelo crescente desmatamento e os problemas crónicos, como a saúde, educação e a violência, agora se agrega o baixo nível da discussão entre as principais lideranças políticas, debate que mancha a imagem do Estado e, principalmente, dos próprios políticos que não respeitam a inteligência dos cidadãos.

O senador Mário couto foi grosseiro, baixou muito o nível, quando se refere à governadora Ana Júlia. Até pessoas e políticos contrários à governadora já falaram que o Senador tinha sido extremamente infeliz quando chegou a ao nível de inmiscuir-se na vida privada e ainda ser preconceituoso com a governadora. Ele não sabe nem esteve com ela em todos os bares em que disse que a governadora andou, nem viu se a governadora bebia ácool ou outra bebida, para ir na tribuna do Senado da República a falar essas bobagem. É muita falta de argumentos para discutir no Plenário do Senado.

No mesmo plenário foi que o Mário Cuoto teve o pior desmentido de um colega, Senador do Acre que nem é do PT, quando foi ridicularizado por fofoqueiro, por falta de solidez nas suas críticas, etc.

Veja a continuação dessas grosserias na Assembleia Legislativa do Pará

É cada vez mais acirrado o clima entre governo e oposição na Assembleia Legislativa do Pará. Um dia após fazer um duro pronunciamento contra o senador tucano Mário Couto, o deputado petista Carlos Bordalo contou, em conversa com jornalistas na sala de imprensa da Casa, que recebeu ameaça de sequestro.

Um assessor do deputado atendeu, por volta do meio-dia de terça-feira passada, telefonema no número fixo do gabinete em que uma mulher chorando informava que “por uma questão de consciência” estava avisando que a filha do petista seria sequestrada. “Quero mandar um recado ao senador Mário Couto: se ele quiser me ameaçar, que faça isso contra mim. Não use minha filha”, disse Bordalo, em tom de indignação.

Depois, ao ser perguntado se achava que as denúncias partiram do tucano, disse que não poderia afirmar, mas garantiu que hoje levará o caso à polícia. Ao comentar as declarações do senador que prometeu interpelar judicialmente o deputado pelo uso da palavra traficante no discurso, Bordalo disse que a revolta de Couto é fruto da interpretação. “Eu não falei traficante de que. Pode ser de qualquer coisa. De influência por exemplo. Prefiro não dizer no que estava pensando. Se ele ficou chateado é porque vestiu alguma carapuça”.

Após a sessão, a assessoria do deputado distribuiu cópias das notas taquigráficas em que não aparece a palavra traficante no pronunciamento. Apenas bicheiro e contraventor. Na cópia do discurso distribuída à imprensa no dia anterior, contudo, Couto é chamado de traficante.

O discurso de Bordalo foi uma resposta ao pronunciamento feito pelo tucano na tribuna do Senado em que acusava Ana Júlia de não ter responsabilidade com a administração do Estado e ainda a criticava por frequentar bares. O senador é pré-candidato do PSDB ao governo do Pará.

Leia reportagem na íntegra no Diário do Pará

Aqui

TECNOLOGIA - Desenvolvida há 35 anos, bicicleta elétrica sai do papel e circula em São Paulo

GILBERTO DIMENSTEIN
colunista da Folha de S.Paulo

Essa é mais uma daquelas histórias sobre pessoas que nunca envelhecem e fazem da vida um eterno aprendizado. É a história da invenção de bicicleta elétrica que começa a circular em São Paulo, desenvolvida por Felício Sadalla, com seus 81 anos --as imagens estão no site catracalivre.
Engenheiro industrial, Felício desenvolveu, há 35 anos, uma bicicleta elétrica, que, todos os dias, o levava para o trabalho, percorrendo 26 quilômetros de ida e volta. Ele dizia que a cidade deveria fazer ciclovias para evitar que ficasse entupida de carros. Mas sentia que ninguém prestava atenção, era considerado um extravagante, um tanto alucinado. Alguns até riam, numa cidade que achava que moderno era o carro.

.Felício Sadalla, 81, junto à sua bicicleta elétrica inventada há 35 anos, e que está circulando por São Paulo

Neste ano, agora sem mais poder usar a bicicleta, teve a notícia de que uma empresa estava disposta a tirar seu projeto do papel --e ajudou sem cobrar nada, nem pedir patente. Já estão circulando alguns exemplares por São Paulo, com um motor ecológico. É a primeira bicicleta desse tipo desenvolvida no Brasil.

Se tivéssemos mais gente com essa lucidez, certamente a cidade não seria o caos o que é --teria economizado dinheiro e evitado poluição e melhorado a saúde da população. Não é à toa que Felício chega aos 81 anos fazendo invenções.

Leia mais na Folha Online

Aqui

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

POLÍTICA - Mercadante defende a permanência de Marina Silva


NÃO FOI TARDE DEMAIS?

Em encontro na noite desta quarta-feira, o líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante, defendeu a permanência da senadora Marina Silva (AC) no partido. “Ela está decidida a ter compromisso para construir movimento socioambiental no Brasil que é a militância dela”, disse.

Segundo o parlamentar, independente da decisão de Marina Silva, a relação entre ela e o PT não irá mudar. “Se ela sair do PT o PT nunca vai sair dela”, reforçou.

Após uma conversa emocionada, senador petista disse que já são 30 anos juntos de caminhada política. “A relação política e de amizade nunca vai deixar de continuar. Para mim não vai mudar. Nossos objetivos vão ser os mesmos. Eu consegui sensibilizá-la e ela a mim. Foi uma conversa que mexeu conosco”, revelou Mercadante, parceiro da parlamentar nas causas ambientais, como, por exemplo, na discussão da MP da Amazônia e do Código Florestal.

Caso Marina Silva deixe a bancada, Mercadante acredita que a senadora ainda andará ao lado do partido. “Se ela sair do PT e fizer outra opção partidária, ela sempre vai fazer parte da nossa bancada e a bancada dela. E ela disse que esse é o sentimento dela”, afirmou ao ressaltar a importância do trabalho de seis anos à frente do Ministério do Meio Ambiente do governo Lula e 16 anos como parlamentar petista.

Leia a Carta Aberta da Bancada do PT à senadora Marina Silva no site do Senador Mercadante:
Aqui

SOCIEDADE DE RISCO - Alagoas. Agressão e ameaças a médicos levam hospital que trata gripe suína a pedir reforço policial



Já tenho afirmado em trabalhos e artigos que hoje vivemos em um mundo fora de controle, em que não há nada seguro além da incerteza. A crise que afeta o conjunto da sociedade moderna produz uma “sociedade de risco”. Trata-se de expressão adotada para referir-se às incertezas não-quantificáveis e aos riscos que não podem ser mensurados. Nesse sentido, a sociedade de risco é a expressão maior das “incertezas fabricadas”.

Essas “verdadeiras” incertezas, reforçadas por rápidas inovações tecnológicas e respostas sociais aceleradas, estão criando uma nova paisagem de risco global. A poluição moderna assume também um caráter global na sociedade de risco como uma ameaça de grandes conseqüências.


Um exemplo local de esse fenómeno é o que está acontecendo na saúde como consequência da Gripe Suína.

Veja detalhes da notícia.

A direção do Hospital Escola Hélvio Auto, que é referência no tratamento da gripe suína em Alagoas, pediu reforço policial na unidade para conter confusões entre pacientes e servidores

A gota d'água aconteceu na noite da última sexta-feira (7). Inconformada por não ser solicitado o exame confirmatório de gripe suína, a mãe de uma criança com possíveis sintomas da doença agrediu a médica de plantão dentro do consultório. "Era um caso simples, a criança estava bem e a médica não viu necessidade de pedir exame. A mulher era uma pessoa instruída, de nível superior, mas se revoltou e puxou o estetoscópio do pescoço da profissional e provocou um corte nela. As pessoas precisam saber que seguimos um protocolo do Ministério da Saúde, que é nacional", explica Luciana.

Além da agressão, pelo menos outros quatro casos graves de ameaças foram relatados à direção do hospital por médicos nos últimos dias. "Os profissionais também estão sofrendo com a grosseria dos pacientes e familiares. São pessoas sem informações, que saem revoltados com o atendimento. Outro dia uma pessoa nos telefonou e, ao ser informada que deveria procurar uma unidade de saúde, perguntou se seria atendida se chegasse armada ao local. São casos absurdos", alega.

Leia na íntegra no UOL
Aqui

PARÁ - Governadora anuncia que Belém terá de volta sua Catedral em setembro



Da Redação
Secretaria de Comunicação

Do teto ao piso da Catedral tudo foi cuidadosamente restaurado, destacando detalhes deste valioso patrimônio arquitetônico e religioso dos paraenses O projeto arquitetônico da Catedral Metropolitana de Belém teve a participação decisiva do renomado arquiteto bolonhês Antonio Landi A governadora Ana Júlia diz que reconstrução da Catedral é um momento de inclusão social, pois absorve e qualifica mão-de-obra paraense O restauro envolveu desde as telas dos altares laterais até as imagens e a iluminação, que foi substituída para realçar a riqueza dos detalhes Belém receberá de volta a sua Catedral no início de setembro. Quem garante é a governadora Ana Júlia Carepa, que visitou a igreja nesta terça (11) pela manhã. Desde que retomou as obras há dois anos, interrompidas desde 2006, o Governo Popular investiu R$ 14 milhões em recursos próprios para entregar de volta à cidade um dos mais importantes prédios da arquitetura do século XVIII na Amazônia, que teve a participação do arquiteto bolonhês Antonio José Landi.


O resgate do patrimônio histórico, segundo ressaltou a governadora Ana Júlia Carepa - que é arquiteta -, dá as mãos à fé do povo paraense, pois marca o retorno de um dos símbolos da devoção popular à Virgem de Nazaré, cujo Círio tem seu início justamente às portas do nosso principal monumento.


O restauro foi minucioso. Do teto ao piso tudo foi cuidadosamente retrabalhado, artesania que envolveu desde a telas dos altares laterais, as imagens e até a iluminação - substituída para destacar detalhes do valioso patrimônio arquitetônico e religioso do povo paraense.


A governadora Ana Júlia define o processo de reconstrução e reforma da Catedral como um momento de inclusão social, pois absorveu e qualificou mão-de-obra paraense.

Leia matéria na íntegra no site do Governo do Estado

Aqui

EDUCAÇÃO - UFPA EM DIA



(na foto C. Maneschy e H. Schneider)

Do Blog do Edir Veiga "Bilhetim"

Schneider articula os campi para garantir obras

O vice reitor Horácio Schneider está fazendo um périplo pelos campi avançados da UFPa visando unificar estes coordenadores para uma ação concertada no sentido de garantir que os recursos do Reuni para o interior sejam acessados em tempo hábil. É a luta contra a casca de banana deixada pelo ex-republicano.

Reuni: corrida contra o tempo

A primeira grande tarefa da nova administração é descobrir o inventário de todas as abras programados para o Reuni. A segunda tarefa é descobrir, se existirem, os projetos para a execução das obras. Sem estes projetos não é possível iniciar o processo burocrático para acessar os recursos no MEC. A nova administração está parecendo um garimpeiro tentanto encontrar estas informações. Isto é a maior demonstração de que a antiga administração só tinha o republicanismo... no discurso. As postagens adversárias apostam que o novo reitor não conseguirá gastar estes recursos e os devolverá ao MEC...para a explosão de um prazer doentio dos derrotados.

Leia mais no Blog do Edir Veiga

Aqui

POLÍTICA - Custou, mas saiu, Senadores do PT assinam manifesto contra Sarney

Parlamentares que defendem o afastamento do senador José Sarney (PMDB-AP) da presidência do Senado conseguiram 41 assinaturas favoráveis ao manifesto que pede a saída temporária do peemedebista do cargo. Com a adesão da maioria dos 81 senadores ao manifesto, os parlamentares esperam que o Conselho de Ética instaure ao menos um processo para investigar Sarney.

Alguns líderes partidários, porém, assinaram o manifesto em nome das bancadas --o que na prática reduz o apoio ao afastamento de Sarney. "Alguns senadores podem dizer que não apoiaram, que quem assinou foi o líder. Para mim, deveríamos propor uma votação em plenário para decidir o futuro do senador Sarney", disse o senador Cristovam Buarque (PDT-DF).

Os senadores Eduardo Suplicy (PT-SP) e Marina Silva (PT-AC) assinaram o texto nesta terça-feira. No total, cinco senadores do PT aderiram ao pedido para que Sarney se licencie da presidência --dos 12 petistas que integram a bancada.

Leia mais na Folha Online
Aqui

POLÍTICA - O discreto recado do Alagoas foi recebido, digerido e processado. Sai acordo



Sai acordo entre PT e oposição pelo fim da crise
Articulação do pacto para encerrar conflito no Senado é comandada por Sérgio Guerra, Mercadante e Jucá

Sob ataque do grupo do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que é comandado pelo peemedebista Renan Calheiros (AL), a oposição fechou ontem um acordo com os líderes da base aliada do governo. Pelo acordo, a oposição encerrou a guerra dos discursos no plenário, o que devolve a Sarney as condições políticas para presidir a Casa.

O acordo prevê também que todas as questões jurídicas e disputas políticas em torno das representações contra Sarney e o líder dos tucanos, Arthur Virgílio (AM), ficam circunscritas ao Conselho de Ética. Não há mais espaço político para fazer acusações a Sarney no plenário - o que minava a autoridade do presidente da Casa. Quem for derrotado no Conselho de Ética também não vai recorrer ao plenário.

"Ninguém pode cobrar de ninguém um acordo de mérito, mas podemos definir um acerto de procedimento e encerrar tudo no Conselho de Ética, sem contaminar o plenário", disse o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), ao explicar o entendimento.

O sinal mais evidente de que a oposição depôs as armas e parou de acuar Sarney no plenário foi o tom dos discursos tucanos feitos ontem à tarde.

Tal como fora acertado no almoço da bancada do PSDB poucas horas antes, em seu gabinete, Tasso Jereissati (CE) subiu à tribuna e falou em tom moderado e conciliador. Tasso desculpou-se pelo bate-boca da semana passada, quando chamou Renan de "cangaceiro de terceira categoria" e ganhou de volta um "coronel de merda". O tucano afirmou ter certeza de que "aquele episódio foi superado" e o diálogo será recuperado. "Vou fazer o possível para que não se repita o que aconteceu."

Leia matéria na íntegra no Estado de S. Paulo
Aqui

terça-feira, 11 de agosto de 2009

TECNOLOGIA - Google apresenta o 'Caffeine', sua nova ferramenta de buscas



NOVA YORK - O Google revelou nesta segunda-feira uma nova versão de sua ferramenta de buscas, batizada de "Caffeine", que promete ser mais rápida e eficaz. O novo site tem a mesma aparência do atual, mas ordena os resultados de uma forma diferente, o que pode afetar negócios que dependem do Google para direcionar seu tráfego.

Segundo a empresa, a nova ferramenta funciona sob parâmetros semelhantes aos da anterior, "o que significa que a maioria dos usuários não perceberá a mudança". Desenvolvedores de páginas e outros profissionais da web, por outro lado, notarão diferenças.

Por isso, o Google decidiu promover testes abertos com o "Caffeine". A empresa pede que os usuários interessados comentem as principais diferenças que sentirem entre as duas ferramentas. Os testes podem ser feitos no site do google sandbox neste LINK. Mais informações no blog do Google Aqui.

Testes preliminares realizados pela Computerworld apontaram buscas mais rápidas em "alguns milissegundos", além de uma melhor capacidade de bloquear sites maliciosos.

Leia mais no Globo e agências internacionais

Aqui

ESPORTE - Corinthians de olho no 'novo Messi' da Argentina


Matías de Federico, do Huracán, está sendo observado pelo Timão

Matías de Federico é um dos jogadores mais promissores do futebol argentino, tanto que é chamado pelos torcedores do Huracán, clube que o revelou em 2007, de o "novo Messi" (assista ao vídeo abaixo).

Ciente de tudo que é falado sobre o meia-atacante, a diretoria do Corinthians resolveu agir. E, como revelado pelo colunista do LANCENET! Benjamin Back nesta segunda-feira, o clube passou a observar o desempenho do jogador em Buenos Aires, de apenas 20 anos. Inclusive, enviou um representante para assistir seus jogos no último torneio Clausura.

O clube ainda não fez proposta por Matías Federico, e aguarda o desfecho das negociações entre o DIS (braço esportivo do Grupo Sondas) e o Boca Juniors pela contratação do meia Riquelme. No início de 2008, a diretoria do Botafogo ficou próxima de contratar o "novo Messi". Porém, no desfecho da negociação, não houve acerto financeiro. Na ocasião, ambas as partes lamentaram.


QUEM É ELE...
Nome: Matías de Federico
Idade: 20 anos (01-01-1989)
Natural: Buenos Aires, Argentina.
Altura: 1,71m
Peso: 66 Kg
Posição: meia
Clubes anteriores: categorias de base do Huracán

Assista aqui um vídio com os

Melhores gols do Matias de Federico o novo Messi da Argentina

AMAZÔNIA - "A quem interessa a floresta em pé?" Bertha Becker



Berta Becker, da UFRJ, ministra aula magna na Universidade do Estado do Amazonas (UEA)

Geógrafa falará nesta sexta-feira, 14 de agosto, às 18 horas

Com o tema "A quem interessa a floresta em pé?", a geógrafa Bertha Becker, considerada uma das mais importantes pesquisadoras sobre a Amazônia, ministrará aula magna na Universidade do Estado do Amazonas no próximo dia 14, às 18h, no auditório da reitoria, avenida Djalma Batista, 3578 - Flores.

O evento é aberto ao público em geral e marca o início das atividades do segundo semestre do curso de doutorado em Desenvolvimento Sustentável, ministrado em parceria entre a UEA e Universidade de Brasília (UnB).

Filha de ucranianos e romenos vindos ao Brasil para fugir da Primeira Guerra Mundial, Berta Bcker é graduada em Geografia e História pela Universidade do Brasil (1952) e doutora em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1970). Fez pós-doutorado no Massachusetts Institute of Technology - Department of Urban Studies and Planning (1986).

Atualmente, é professora emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenadora do Laboratório de Gestão do Território - LAGET/UFRJ. É membro da Academia Brasileira de Ciências e doutora Honoris Causa pela Universidade de Lyon III.

Agraciada com as medalhas David Livingstone Centenary Medal da American Geographical Society e Carlos Chagas Filho de Mérito Científico da Faperj, é consultora ad hoc de várias instituições científicas e membro de conselho editorial de editoras nacionais e internacionais. Coordena diversos projetos de pesquisa e participa da elaboração de políticas públicas nos Ministérios de Ciência e Tecnologia, da Integração Nacional e do Meio Ambiente. Seu foco principal de pesquisa é a Geografia Política da Amazônia e do Brasil.

Autora de diversos títulos sobre a Amazônia, ela ensina que, para preservar a floresta, é preciso conhecê-la cientificamente. Seu último livro publicado, Um Futuro para a Amazônia, quer chamar a atenção das novas gerações para essa temática. Há pelo menos 10 anos, a pesquisadora defende uma revolução científica para salvar a floresta levando, ao mesmo tempo, riqueza e desenvolvimento para a Região Amazônica.

Para a pesquisadora, a modernização dos processos de exploração dos recursos naturais é condição primordial para aliar desenvolvimento e preservação ambiental, com a implantação de cadeias produtivas não predatórias para a exploração da madeira, da biodiversidade e dos recursos pesqueiros. Para ela, é preciso organizar a cadeia de produção desde o âmago da floresta, envolvendo as populações locais, até os setores que oferecem os serviços.

Jornal da Ciência

MACEIÓ - Criança é atropelada e morta no lixão, solução eliminar o lixão

Em Maceió uma criança foi atropelada e morta por um trator, por enquanto dormia em um lixão da cidade e a solução foi impedir o acesso ao lixão. Em vez de cuidar das crianças abandonadas, melhor o município cuida do lixão.

Alagoas é o Estado do Brasil que conta com o pior IDH, nem Maranhão, que é o estado mais atrasado do Brasil, em todos os indicadores (econômicos, de saúde de educação etc.) alcança o triste desempenho do estado de Alagoas.


Acompanhe as notícias DA IMPRENSA

A Prefeitura de Maceió anunciou medidas para evitar a entrada de crianças em um lixão. Há cerca de duas semanas, um menino morreu atropelado por um trator enquanto dormia no entulho. Em seguida, o Ministério Público do Trabalho entrou com ação pedindo providências.

O lixão da capital de Alagoas é aberto, não há muros de proteção. E é comum encontrar meninos e meninas revirando o entulho.

Por determinação do Ministério Público Federal, o lixão deveria ter sido desativado em 2007. Mas, só agora foi dada a ordem de serviço para o início das obras de construção de um aterro sanitário. "A nossa previsão é iniciar as obras entre 45 e 60dias", calcula o coordenador técnico da prefeitura, Paulo Apoti.

Até lá, a entrada no lixão deve ser controlada. "Nós determinamos que o lixão seja cercado de imediato, que seja iluminado de imediato até a extinção definitiva dele", disse o prefeito Cícero Almeida.

O Ministério Público Federal também estuda a possibilidade de responsabilizar o município e os gestores públicos pelo atraso na construção do aterro sanitário e na desativação do lixão. "Até agora, tivemos uma certa tolerância, mas não significa que não vamos executar o município. Não adianta fazer só o aterro sanitário e não se preocupar com as outras questões", afirma a procuradora da República Niedja Kaspary.

Leia a rfeportagem completa

Aqui

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

JOSÉ ALENCAR - BRASIL REZA PELA SUA SAÚDE


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva antecipou nesta segunda-feira (10) a sua volta ao Brasil do Equador em cerca de duas horas por estar "preocupado" com a saúde do vice-presidente José Alencar.

Lula disse que telefonou para o vice-presidente no domingo à noite e ele estava bem. Nesta segunda-feira, no entanto, foi informado de que Alencar havia retornado ao hospital após urinar sangue.

"Eu levantei às 7h da manhã, fui tormar café, e fui informado de que o José Alencar tinha retornado ao hospital. Ele foi urinar e urinou sangue. Ou seja, então eu fiquei preocupado, comuniquei o presidente Rafael Correa que não iria ficar para a foto. Comuniquei os outros presidentes, e vou retornar", disse logo antes de embarcar para o Brasil, às 14h35.

A previsão de chegada do presidente no Brasil é 19h05, horário de Brasília. Antes o retorno estava previsto para às 21h.

O chefe-de-gabinete de Alencar, Adriano Silva, informou ao G1 que o vice-presidente pernoitou no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. De acordo com ele, Alencar teve "um pequeno sangramento" no domingo à noite e seguiu para o hospital, onde ficou até a manhã desta segunda. Adriano informou ainda que Alencar está em seu apartamento, em São Paulo.

G!

Ultimo Segundo

AQUI EM BRASÍLIA - NOTÍCIAS DO SENADO, FALA COLLOR E SE COMPARA A SARNEY

No Senado Hoje está falando o Senador Fernando Collor e assume a defesa do senador José Sarney. Compara a situação de hoje com o impitcham que colocou ele fora da presidência da República. Comparou-se também A Getúlio Vargas e Jesus Cristo, quando foi condenado e o povo escolheu o Barrabás.

Convenhamos que Collor tem sido o mais expressivo defensor do Sarney, não sei se o melhor.

Também está sendo um grande defensor da obra integral do Governo Lula, o que não é ruim para o Governo, também não sei se é o melhor defensor. Não cabe dúvida que os melhores defensores do Governo são os principais beneficiados e o povo que construiu a estratégia de vitória.

entreteanto, ainda heverá muito tecido para cortar e muita água correrá pelo baixo da ponte.

POLÍTICA - AMPLIA-SE O LEQUE DE CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA, MARINA SILVA E CIRO GOMES SÃO OS MAIS RECENTES




"Vocês não precisam me acompanhar. Permaneçam no PT", diz senadora Marina Silva a aliados - 10/08/2009

Altino Machado

Durante as 32 horas que permaneceu em Rio Branco (AC) para ouvir familiares, amigos e aliados políticos a respeito do convite para trocar o PT pelo PV, o comportamento da senadora Marina Silva (PT-AC), ex-ministra do Meio Ambiente, deixou em todos os interlocutores a certeza de que será mesmo candidata a presidente da República.

Foram horas marcadas por ansiedade, choro e ranger de dentes. Em várias ocasiões, a senadora e seus aliados não conseguiram controlar a emoção. Choraram ao relembrar de fatos que foram permeados por apelos para que permaneça no PT.

Evangélica da Assembléia de Deus, ela tem jejuado e pediu a várias pessoas para que dobrem os joelhos em oração para que Deus a ilumine e mostre o melhor caminho.

Durante as conversas, Marina Silva várias vezes se referiu ao PT como "o nosso partido", mas um apelo evidenciou ainda mais a disposição dela de se desfiliar da legenda para estabelecer uma nova fase na sua trajetória política.

- Vocês não precisam me acompanhar. Permaneçam no PT e mantenham a coesão da [coligação] Frente Popular do Acre para que possam ser ampliadas as conquistas até aqui alcançadas nos três mandatos consecutivos de nosso partido. Esse é um projeto político que tem dado certo no Estado - afirmou.

A primeira conversa de Marina Silva foi com a família dela, logo após desembarcar em Rio Branco na tarde sexta-feira. Parte da família veio do seringal Bagaço, onde a senadora nasceu. Prevaleceu entre todos o ponto de vista de "seu" Pedro, o pai dela, de que "o que ela decidir está decidido".

A senadora se reuniu posteriormente com o governador Binho Marques (PT), a quem considera o maior amigo de sua vida, além de ser o principal aliado político dela. Marques a conheceu por acaso há mais de 28 anos, quando Marina estava grávida da filha Shalom e caiu.

Ele a ajudou a se reerguer do chão e desde então fizeram parte de um grupo de teatro como atores, sendo que elas gostava mesmo era de costurar as roupas do figurino. Começaram a militância no PT e cursaram história na Universidade Federal do Acre.

Filho de uma família de classe média, considerado o "riquinho" do grupo, foi Marques quem pagou a inscrição dela na universidade, comprava livros e com quem compartilhou lutas no movimento estudantil.

Nos últimos dias, o governador tem sido procurado por petistas de alto coturno que apelam para que ajude a dissuadir Marina Silva da aparente disposição de abandonar seus 30 anos de militância no PT.

- Tenho que ser sincero: a luta da Marina tem ganhado um projeção cada vez maior no cenário nacional e mundial. Nós não temos a menor possibilidade de pressioná-la para mudar o que pensa e faz - é o que tem respondido de essencial o governador.

Durante a reunião com Binho Marques e um seleto grupo de amigos, que chegou a durar mais de quatro horas, a senadora recebeu um telefonema do teólogo Leonardo Boff. Ela pediu permissão para acionar o viva-voz e Boff fez uma comovente defesa da candidatura dela à presidência da República.

Quem conhece a amizade de Binho Marques e Marina Silva sabe que ele jamais vai discordar ou virar opositor de uma eventual canditura dela. Na avaliação do governador do Acre, a candidatura Marina Silva poderá ter o mesmo impacto que teve no Acre a candidatura de Jorge Viana no início os anos 1990.

- O Jorge não venceu, mas a candidatura dele mudou para sempre a história política do Acre, quando finalmente foi eleito prefeito de Rio Branco e duas vezes governador do Estado - argumentou.

Marques também se referiu aos impactos políticos que poderá ter no projeto político da coligação Frente Popular do Acre que conduz o terceiro mandato no governo estadual.

- Apesar da virada no nosso projeto, o que me deixa mais feliz é poder constatar que a melhor proposta política para a campanha presidencial de 2010 surge do Acre com a Marina - afirmou.

Marina Silva deixou claro a alguns de seus interlocutores que não vai esperar até o final do mês para anunciar sua decisão após manter mais algumas conversas em Brasília em Brasília. É possível que o anúncio da decisão ocorra na próxima semana.

Na sexta-feira, o Blog da Amazônia procurou o ex-governador Jorge Viana, um dos principais articulares do que ele denomina "engenheria política" que tem possibilitado vida longa ao PT no governo do Acre. Viana disse que só se manifestaria após conversar com a senadora. Procurado neste domingo, desconversou.

- Eu ainda estou de quarentena. Binho e eu ainda pretendemos ter mais uma conversa com a Marina. Eu vou aguardar mais para me manifestar sobre essa questão porque é muito delicada.

Viana, que recentemente se apresentou no Acre como futuro coordenador da campanha de Dilma Rousseff na região Norte, reconheceu em conversas com pelos três interlocutores que a senadora está decidida a mudar de partido.

Disse que não vai desistir de convencê-la a permanecer no PT, o que tem sido interpretado como mais um mensageiro do Planalto em ação. Ele chegou a reclamar das "influências externas" que a senadora estaria sofrendo, referindo-se aparentemente às lideranças verdes.

O maior problema para os petistas do Acre é como se explicar de uma provável cobrança do presidente Lula, que alegará o apoio de sua gestão ao governo estadual. Por ora, os petistas não têm resposta no caso de Lula os responsabilizar por permitirem que Marina Silva esteja mudando o cenário da sucessão presidencial.

- O governador Binho Marques, o ex-governador Jorge Viana e o senador Tião Viana têm o dever de dizer ao presidente que essa situação decorre da opção que ele fez por Dilma Roussef e Mangabeira Unger para forçar a saída de Marina do ministério - afirma uma fonte ligada à senadora.

Na avaliação secretário de comunicação do governo do Acre, Aníbal Diniz, suplente do senador Tião Viana, o PT vai pressioná-la até o último momento.

- De um jeito ou de outro sempre se entra pra história. Pode ser que a Marina esteja entrando pela porta da frente, se for eleita presidente, e pode ser que ela seja responsável por um retrocesso irreparável para a geração atual, tanto no Acre quanto no Brasil - avalia o secretário de Comunicação do governo do Acre, Aníbal Diniz.

Jorge Viana é um dos que parece não ter desistido ainda. Ele apelou para que o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB), entre no circuito também para tentar demover a ex-ministra.

Magalhães, cujo partido disputa a indicação da vice-governadoria ou uma cadeira no Senado a partir de 2010, viajou na madrugada de domingo no mesmo avião que levou Marina Silva até Brasília, por exigência dos filhos, para passar o dia dos pais com o marido Fábio Vaz de Lima.

- Boa sorte, Marina - disse o líder estadual do PcdoB ao abraçar e beijar a testa da senadora dentro avião.

Até na Rua da Tripa, onde a senadora mora em Rio Branco, a possibilidade de sua canditatura presidencial anima a vizinhança.

Leia mais

aqui

Aqui

POLÍTICA - COLLOR VOLTA AO ATAQUE AGORA CONTRA A IMPRENSA - HOJE NO SENADO

Não satisfeito com o as ameaças proferidas contra o Senador Pedro Simon, no sentido de oferecer à nação informações importantes sobre o passado do Senador gaúcho, que comprometeriam seriamente sua honorabilidade, o Senador Fernando Collor endereçou seus cachorros contra um jornalista da Veja, Revista que por sinal faz mais de 6 anos já não leio. Hoje peguei este artigo do Jornalista Roberto Toledo a que se refere o Senador collor que que é interessante ler.

Veja na Veja.


Roberto Pompeu de Toledo Elle, o de sempre.




"Quando Collor se cansou de Simon e de Sarney, sobrou
para quem? O colunista que vos fala. O que disse é mentira.
Mais uma vez: MENTIRA. E uma terceira: MEN-TI-RA"
Pode sentir-se defendido quem tem em sua defesa a dupla formada pelos senadores Renan Calheiros e Fernando Collor de Mello? Há defesas que ferem como ataque. Num primeiro momento funcionam, como funcionou a furibunda blitz desfechada pela dupla contra o senador Pedro Simon, na memorável sessão do Senado da última segunda-feira. A torrente de insultos, insinua-ções e, da parte de Collor, assustadoras caretas lançadas contra Simon intimidou o senador gaúcho a ponto de, como ele afirmaria mais tarde, ter sentido medo físico. Mas o ônus de carregar pela vida afora, e biografia adentro, o fato de ter contado com tais defensores supera o alívio momentâneo. Os senadores do PT sabem disso e conspicuamente procuram se dissociar dos referidos senhores. Já o presidente do Senado, José Sarney, não bastassem os próprios problemas, é refém de um duo cujo abraço aperta, aprisiona e sufoca como tenaz.

O senador Collor superou-se, naquele dia, na utilização dos velhos recursos em favor do novo papel de injustiçado e sofredor. Buscando inspiração no aparelho digestivo, ordenou a Simon que "engolisse" as próprias palavras e "as digerisse como julgasse conveniente". Chamou o honrado senador de "parlapatão". E enquanto isso armava seu impressionante repertório de expressões fisionômicas e exalações corporais, um conjunto que, querendo sublinhar indignação, acaba por revelar um perturbador descontrole. A respiração era pesada como a do touro ao investir contra o pano vermelho. Repetiam-se os estranhos olhos fixos de outras ocasiões. E a alturas tantas, quando se cansou de Simon e de Sarney, sobrou para quem? Quem? Quem? O colunista que vos fala. Disse ele que "o jornalista chamado Roberto Pompeu de Toledo, que costuma sujar a última página de uma revista local, se não me engano a VEJA", procurou o ministro Ilmar Galvão, encarregado, no Supremo Tribunal Federal, de relatar o processo contra ele, Collor, à época do impeachment, e lhe propôs: "Ministro, declare a culpa do Fernando Collor que nós daremos ao senhor a capa e as entrevistas de páginas amarelas da revista". O ministro, indignado, teria expulsado o interlocutor de seu gabinete.

Deus do céu, quanta pretensão, num pobre jornalista, achar que a efêmera glória do bom tratamento num órgão de imprensa pudesse influenciar o julgamento de um ministro do Supremo! Collor acrescentou que Roberto Pompeu de Toledo não poderia desmentir tal episódio. Pode sim. É mentira. Mais uma vez: MENTIRA. E uma terceira: MEN-TI-RA. A conversa que na época o colunista teve com Ilmar Galvão não teve nunca, jamais e em tempo algum o caráter de (ingênua) negociação do julgamento do ministro contra possível tratamento privilegiado em VEJA. Mesmo se, enlouquecido, o jornalista quisesse fazê-lo, não teria poderes, como não tem agora, nem nunca teve, de dispor da capa ou das páginas amarelas da revista. Seu único e singelo objetivo era informar-se. Claro está que se não houve o principal – uma tentativa de negociação – também não houve o secundário – a expulsão do gabinete. Em todo caso, registre-se que o cinematográfico desfecho pretendido pelo senador é outra mentira, MENTIRA, MEN-TI-RA. A entrevista transcorreu em clima de cordialidade.

Como encerrar este artigo? Primeira hipótese: dizer que sujar páginas por sujar páginas, perito mesmo na especialidade é o ex-presidente – no caso, sujar as páginas da história do Brasil. Sentencioso demais. Se os leitores permitem a falta de modéstia, o colunista gostaria na verdade é de congratular-se consigo mesmo. Ao contrário de Sarney, ele não tem Collor como defensor. Tem como acusador. É uma honra.

•••

Por falar em fisionomia, e para arejar o ambiente com caso oposto ao da carranca oferecida por Collor a Simon, a fisionomia do momento, no Brasil, é a do vice-presidente José Alencar. O fato de ele estar impelido a correr de internação em internação, e de operação em operação, dentro daquilo que se convencionou chamar de "luta" contra o câncer, é o de menos. Como ele próprio alega, não dispõe de alternativa. Muitos também o fariam – e fazem –, especialmente quando têm recursos para pagar o tratamento. O que impressiona é a serenidade com que enfrenta o infortúnio, manifestada no sorriso e no jeito bonachão que estampa nas entradas e saídas do hospital. Seu comportamento, na mais decisiva das horas que espera um mortal, cativou o país. A ele seria dedicada a coluna desta semana, se o homem das Alagoas não se interpusesse no caminho. Fica o registro.

UFPA - Nosso compromisso com o Pará e a Amazônia Por Carlos Maneschy

Por Carlos Maneschy
Reitor da UFPA


O momento de mudança de gestão é sempre associado ao desejo de alterações qualitativas nos rumos institucionais. É um clima naturalmente propício à recepção de novas ideias, tanto quanto à consciência dos desafios colocados pelas demandas sociais e das dificuldades a enfrentar na busca de atendê-las.

Esses desafios se agigantam numa instituição que ocupa posição de liderança como a Universidade Federal do Pará, a maior instituição de ensino superior na Amazônia, responsável por grande parte da produção científica e tecnológica da região e também por um ousado programa de interiorização que, implantado há mais de 20 anos, tornou-se referência nacional.

É, entretanto, na tarefa da formação inovadora de jovens quadros que identificamos nosso compromisso prioritário com o Pará e a Amazônia. Isso significa que, sem diminuir a importância das atividades de pesquisa e extensão, consideramos a busca da excelência no ensino de graduação como missão central da UFPA nos próximos quatro anos. Para tal, é preciso ir mais além de cumprir as exigências mínimas como oferta de professores qualificados e laboratórios, por exemplo. É preciso investir na formação que seja capaz de entregar à sociedade um cidadão em condições de analisar criticamente a realidade e nela intervir para superar o atraso e melhorar a vida das pessoas.

Alterar a realidade é uma das funções sociais da universidade. Por isso, também, ela precisa ser o lugar da discussão pautada pelo interesse público, mostrando capacidade de dialogar de forma politicamente autônoma e honestamente interessada com a sociedade. É indispensável para esse diálogo que a Universidade melhore sua capacidade de comunicação, reconhecendo a informação como um bem social a ser amplamente compartilhado.

O diálogo precisa, obviamente, começar no interior da instituição, por sua natureza um espaço de circulação de ideias, onde não se pode admitir restrição a nenhuma manifestação de pensamento. A tolerância com o que é diverso e o respeito às diferenças são da essência do espírito universitário.

Com esses princípios, acreditamos na convivência respeitosa e cooperativa com as entidades representativas de docentes, técnicos e estudantes, acreditando que, na defesa de interesses legítimos, será sempre possível encontrar convergências entre posições em confronto.

Fundamentalmente, a universidade é, também, o espaço da esperança, entendida aqui não como um conceito vazio, mas como expectativa que se materializa nos atos e consequências provindas da razão e do conhecimento.

Nossa Universidade jamais será depositária dessa esperança se não garantir que sua atuação institucional seja percebida como instrumento de intervenção na vida das pessoas, de todas as formas e em todas as áreas possíveis.

Não será espaço para alimentar utopias se não acelerar o movimento para ganhar maior legitimidade social, garantindo que seus programas e projetos possam propor e, no limite, pôr em prática soluções para problemas reais.

Para tanto, precisamos da competência e do compromisso de professores e técnico-administrativos, mas também do entusiasmo típico da juventude que, ao agir, muitas vezes, com irreverência e rebeldia, ajuda a desmontar o conservadorismo dos que se acomodam com o passar dos tempos.

Essa primeira manifestação neste jornal pode parecer reflexo do otimismo natural de quem chega. Na verdade, sabe o reitor e sabe toda sua equipe dos desafios e dificuldades. O que pode parecer apenas otimismo é, tão somente, confiança num projeto pensado coletivamente com a contribuição dos diversos setores da UFPA. Um projeto que não está fechado, no sentido de que admite correção de rumos e rotas, ditada pela experiência do dia a dia.

Este artigo é uma forma de conversar com a comunidade da UFPA. Estes canais de comunicação serão ampliados em breve para permitir um diálogo o mais fluente possível entre a administração superior e os professores, técnico-administrativos e estudantes que fazem esta Universidade.

Acompanhe a Coluna do Reitor

AQUI

LITERATURA - NÃO DEIXE DE LER

Falcoes Da Noite (em Português) (2006)
AMPUERO, ROBERTO
PLANETA DO BRASIL
Livraria Cultura
Preço R$ 39,90

Neste fim de semana terminei a leitura de uma intrigante novela de grande suspense que não permite que p leitor abandone sua leitura até conhecer o desenlace final da história.

O interessante, também da novela é que ela é construída acima de uma realidade contemporânea dos países e cidades que formam parte do relato. Havana, Miami, Valparaíso, Puerto Montt, Ciudad Juaréz, Berlim, São Petersburgo e outras ilhas e cidades de USA e Europa. Quem já visitou essas cidades percebe que o autor conhece, não apenas as cidades, bem como alguns segredos do poder dessas cidades.

SINOPSE:

O governo de Fidel Castro está ameaçado. Nas sombras, um grupo de exilados cubanos organiza um atentado enquanto seus membros são dizimados um a um. A sentença é clara - matar o Comandante. Mas a CIA entra em campo para evitar o crime. Todos são falcões em algum momento da vida. No romance 'Falcões da noite', Roberto Ampuero desenvolve ao máximo a arte do suspense. Sua prosa não deixa nada escapar, e o leitor, sempre despistado, só conhecerá a verdade na última página.

ESPORTE - Box, Luta de Manny Pacquiao VS Ricky Hatton

ROUND 1



ROUND 2