Google+ Badge

sábado, 5 de dezembro de 2009

Biodiversidade - Valorização da biodiversidade poderá conter avanço do desenvolvimento insustentável

Foto: Enriquez/2008



É preciso atribuir valor econômico à biodiversidade para que as espécies tenham importância no contexto social e econômico e não sejam destruídas com o avanço do desenvolvimento. Essa foi a defesa de especialistas e pesquisadores que participaram do debate sobre o impacto da biodiversidade na saúde humana, realizado no 1° Simpósio Nacional de Taxonomia e Biodiversidade, na Fundação Oswaldo Cruz, zona norte do Rio de Janeiro (02/12/09).

Na avaliação do professor da Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp), Cléber Rodrigues Alho, não são todos que reconhecem elementos “éticos” que atribuem às espécies “o mesmo valor à vida que aos humanos”. “Quando se mostram os argumentos econômicos dos serviços ecossistêmicos para economia mundial, para produção de fármacos e para saúde humana, é mais fácil convencer os tomadores de decisão”, destacou.

O pesquisador chamou atenção para os gastos com a despoluição de fontes de água, que posteriormente serão repassados para o consumidor e lembrou da importância dos mangues – berçários de várias espécies utilizadas na gastronomia – e que são constantemente aterrados para instalação de empreendimentos como portos. “É preferível que se mantenha um certo cuidado com os ecossistemas para não se fazer desaparecer espécies de valor comercial”.

Em outra frente, o presidente da Sociedade Brasileira de Zoologia e pesquisador da Fiocruz, Paulo Sérgio D’Andréa, destacou que a destruição de matas nativas, como ocorre no Pará com a substituição da Floresta Amazônica por monoculturas de açaí, além do crescimento desordenado de cidades e a exploração não sustentável de recursos naturais favorece a proliferação de doenças, em especial, as parasitárias, como a doença de Chagas e a hantavirose.

“Tira-se a floresta e substitui-se por técnicas que visam o lucro imediatista. Consequentemente, chegam os problemas sociais de todas as grandezas. Quem paga o pato são as populações tradicionais e menos favorecidas. Mas os custos sociais [do tratamento em saúde e políticas de infraestrutura urbana] e ambientais são divididos por todos nós”, acrescentou.

Ao cobrar a valoração da biodiversidade, os pesquisadores lembraram que a biopirataria é o terceiro maior comércio ilegal no mundo, atrás do narcotráfico e do tráfico de armas. “Há biopirataria porque existe a procura por produtos lucrativos”, explicou Rodrigues Alho. Ele defendeu também mais investimentos em biotecnologia para se obter vantagens dos recursos naturais.

Reportagem de Isabela Vieira, da Agência Brasil, publicada pelo EcoDebate, 04/12/2009 Aqui

Belém, Pará - Prefeito de Belém, Duciomar Costa perde o mandato e Priante (2º colocado) será prefeito


O juiz da 98ª Zona Eleitoral de Belém, Sérgio Augusto Andrade Lima, cassou o registro da candidatura do prefeito de Belém, Duciomar Costa da Costa (PTB) e de seu vice, Anivaldo Vale (PR). Na próxima segunda-feira, quando a sentença será publicada no Diário Oficial da Justiça, o ex-deputado José Priante (PMDB), que tem como vice o ex-vereador José Wilson Araújo, o Zeca Pirão, agora também no PMDB - na época da eleição integrava o PP -, deve assumir o cargo.

A condenação, segundo o magistrado, possui efeito imediato, uma vez que os recursos eleitorais não têm eficácia suspensiva, conforme o artigo 257 do Código Eleitoral. O juiz determinou, no mesmo ato, que seja oficiada a Câmara Municipal de Belém para que dê posse a Priante e Zeca Pirão nos cargos de prefeito e vice.

A cassação de Duciomar Costa e Anivaldo Vale resultou do julgamento de representação eleitoral proposta por Priante, contra a utilização da máquina administrativa da prefeitura para a realização de maciça propaganda eleitoral irregular, com o objetivo de promoção pessoal. Foram usados como meios de propaganda pessoal de Duciomar Costa e seu vice placas, banners, uniformes e ônibus municipais, além da implantação, em ano eleitoral, de Passe Livre, e programas assistenciais visando o transporte gratuito de pessoas em Belém.

Da decisão, ainda cabe recurso ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além da cassação, Duciomar Costa, Anivaldo Vale e a coligação que eles lideravam, “União por Belém” foram multados em R$ 50 mil, para cada um, “devido à gravidade da falta cometida e o beneficiamento que tiveram em favor da candidatura eleitoral”, conforme assinala o juiz em seu despacho.

No TRE, o recurso do prefeito, quando for impetrado, deverá ter como relator o juiz federal Daniel Santos Rocha Sobral, porque ele já é prevento (juiz que primeiro tomou conhecimento de uma ação) no caso, pois foi designado relator de um mandado de segurança ajuizado contra a promotora Leane Fiúza de Melo, acusada pelo advogado Inocêncio Mártires Coelho de engavetar o processo. Se ela tem desdobramento, o magistrado fica automaticamente incumbido de se manifestar sobre o caso.

A representação de Priante foi ajuizada no início de outubro de 2008 pelo advogado Inocêncio Mártires, constituído defensor do candidato a prefeito de Belém, José Priante. A representação se deu depois que o próprio Ministério Público, por meio de uma força-tarefa de seus membros no âmbito eleitoral, sob a coordenação do promotor Frederico Oliveira, representou contra Duciomar Costa, acusando-o de ter cometido várias infrações, entre elas autopromoção, configurada em placas sobre obras que, em verdade, não existiam. Era um golpe de marketing para iludir eleitores .

Na 96ª Zona Eleitoral, duas representações propostas pelo Ministério Público, foram acatadas e tiveram sentenças condenatórias prolatadas pela juíza Eva do Amaral Coelho, confirmadas posteriormente pelo TRE. Mas as penas impostas, segundo Inocêncio Mártires, foram apenas as de multa. O prefeito ainda recorreu para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Um dos recursos foi barrado no próprio TRE, por ser julgado extemporâneo. O outro está no TSE, pendente de julgamento.

Veja Matéria completa no Diário do Pará Aqui

Belém, Pará - Prefeito cassado, assume o Vice, as duas caras da moeda


Veja que interessante a postura dos jornais que comandam a consciência da maioria dos paraenses.

O juiz da 98ª Zona Eleitoral de Belém, Sérgio Augusto Andrade Lima, cassou o registro da candidatura do prefeito de Belém, Duciomar Costa da Costa (PTB) e de seu vice, Anivaldo Vale (PR).

Rapidamente o Jornal O Liberal toma o cuidado de não se manifestar e ouve apenas a voz do prefeito cassado e não informa sobre o processo de cassação.

O advogado do prefeito de Belém, Duciomar Costa, informou nesta sexta-feira (4), que ainda não foi notificado oficialmente sobre a cassação de seu mandato, determinada pelo juiz eleitoral Sérgio Andrade de Lima, da 98ª Zona Eleitoral. A acusação é de abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral para a reeleição em 2008.

Em coletiva à imprensa,o advogado especialista em Direito Eleitoral Sábato Rossetti, disse que o prefeito está tranquilo quanto à decisão. 'A Prefeitura ainda não foi informada oficialmente e quando isso acontecer, tomaremos as providências necessárias', afirmou.

Os advogados do prefeito devem entrar com recurso no TRE-PA (Tribunal Regional Eleitoral do Pará), no início da próxima semana, quando a sentença deve ser publicada no Diário Oficial da Justiça.

Rossetti também alegou inocência de Duciomar Costa. Segundo ele, na campanha, não houve compra de votos nem veiculação irregular de propaganda em outdoors.

Em relação às declarações de José Priante, segundo colocado nas eleições, que pretende ser empossado ainda hoje, o advogado disse que o ato é inconstitucional. 'Isso é contra a Lei. De acordo com o Código Eleitoral, se um candidato, eleito com mais de 60% dos votos, for cassado, deverão ser realizadas novas eleições no município', afirmou Rossetti.

Segundo o TRE-PA, a posse de José Priante, se determinada em sentença (já foi determinada), só pode acontecer a partir da publicação da decisão no Diário Oficial da Justiça, que deve ocorrer na próxima segunda-feira (7).

José Priante disse que aguarda a expedição do diploma, que deve ser feita pelo mesmo juiz que proferiu a sentença de cassação, para ser empossado pelos vereadores na Câmara Municipal de Belém.

Até aqui a matéria do “O Liberal” que nada informa sobre a cassação. Todo é ataque político dizem os seus defensores, claro, sabem que esse será só um passeio já que de aqui a uns dias o Dudu estará novamente no comando da Prefeitura.

Vamos torcer porque a justiça seja feita.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Corrupção - O "grande Chefe"...de gangue



BRASÍLIA - Uma das gravações do escândalo do mensalão do DEM mostra que o governador José Roberto Arruda era tratado como o "big boss" (grande chefe) do suposto esquema de repasse de propina a deputados aliados . No vídeo em poder da PF, o então secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa , e o chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, negociam como direcionar licitações. Tudo, segundo o próprio Maciel, a mando de Arruda. A gravação desmonta a defesa apresentada pelo governador, que alega ter deixado Durval num cargo sem poder e sem orçamento após ter recebido uma "herança maldita" do governo anterior. ( Os vídeos que revelam indícios de corrupção no governo Arruda )

No vídeo, Maciel diz que foi o próprio governador quem pediu que Durval participasse de uma tentativa de favorecimento ao Grupo Brasif numa licitação, e que decidisse como proceder em outro caso, no qual um deputado distrital planejava interferir numa concorrência pública.

Durval pede a Maciel que converse com Arruda sobre a divisão de R$ 200 mil pagos a título de "reconhecimento" por empresas. Maciel mostra familiaridade com o assunto e chega a questionar quanto sobraria para o governador. Na reunião com Durval, ocorrida no Palácio do Buriti, sede do governo do DF, Maciel relata ter feito uma viagem com o "big boss" ao Rio em que teria prometido ajudar pessoas da Brasif identificadas como Santos e Jonas. O presidente do grupo se chama Jonas Barcellos.

- O Arruda foi procurado lá por um cidadão chamado Santos, que é sócio de outro chamado Jonas, que é da tal de Brasif Duty Free do Brasil, desse grupo. O Arruda o recebeu, eu me afastei. Em seguida, o Arruda me chamou e disse: "Zé, participa aqui". - conta Maciel. - O Arruda disse para ele que iria me incumbir de eu vir conversar com você, para ver se é possível acondicionar a lista e, se for possível, que esse pessoal assuma com você todos os compromissos que tiver que serem assumidos (sic).

Leia matéria na íntegra no Jornal "O Globo" Aqui

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Economia - Crise financeira mundial, origens na ciranda


"A crise financeira global teve suas origens no curto prazo, em insustentáveis estratégias e ações. Antes da crise e que, nós (e outros) pediram um prazo mais longo prazo e de forma responsável do capitalismo - o que chamamos de "capitalismo sustentável". Contudo, apesar dos nossos melhores esforços coletivos, um ano depois, os mercados financeiros parecem estar voltando à normalidade".

Falou ALGORE Aqui

Educação - UFPA esclarece anulação de questões do PSS


Nesta quarta-feira (2), o reitor da Universidade Federal do Pará, Carlos Maneschy recebeu um grupo de estudantes que concorrem a vagas ofertadas no Processo Seletivo Seriado 2010 (PSS). De acordo com ele, a menos que haja um fato novo revelado, a Universidade não anulará a primeira fase do concurso, realizado no dia 22 de novembro, e o calendário de provas será mantido.

Ontem, cerca de 300 estudantes bloquearam o trecho entre a avenida Alcindo Cacela e avenida Magalhães Barata, hoje (1), por volta de 12h30, como forma xde prostesto contra a primeira fase do Processo Seletivo Seriado (PSS) da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Carlos Maneschy explica que a prova da segunda fase do certame foi refeita pela nova banca elaboradora da disciplina de geografia e que a terceira fase do processo seletivo também será reelaborada. “Não há nenhum indício de que houve vazamento ou fraude na prova, nem denúncias oficializadas neste sentido. Portanto, a lisura do concurso está garantida e os problemas se restringiram a disciplina de geografia.

Para o reitor da UFPA o problema é grave e irreparável. “Diante da situação, qualquer medida que tomássemos prejudicaria alguns ou muitos candidatos. Escolhemos aquela que, pela nossa experiência na realização de processos seletivos e compreensão sobre as conseqüências da decisão, prejudicaria um número menor de pessoas por interferir o menos possível no resultado final do processo”, assegurou.

O dirigente da Universidade esclareceu ainda que já havia recebido procuradores do Ministério Público Federal (MPF) com aos quais compartilhou as informações sobre o caso e que a Universidade já protocolou o processo junto ao MPF. “Os documentos ainda estão sendo analisados, mas, até este momento, o Ministério Público está de acordo com os procedimentos adotados pela UFPA”. O reitor garantiu que a UFPA cumprirá todas as determinações da justiça.

Carlos Maneschy disse ainda que uma sindicância interna para apurar o caso já foi iniciada e que as apurações devem ser concluídas o mais rápido possível para que se inicie o processo administrativo disciplinar. Caso sejam encontrados indícios de que houve irregularidades, as punições serão imediatas.

RESULTADO

A lista de candidatos aprovados para a segunda fase do processo já foi divulgada no site do Centro de Processos Seletivos da UFPA. No total, 41.258 candidatos farão a segunda prova e devem imprimir um novo cartão de inscrição para realizar a avaliação. A segunda fase do PSS acontecerá no próximo dia 13 de dezembro.

(Diário Online/ Ascom UFPA)

Sustentabilidade - Criação de nova UC pode gerar conflito com produtores em RR -


A criação do Parque Nacional do Lavrado, no município de Bonfim (RR), pode gerar conflito entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e produtores rurais que habitam a região e deverão ser indenizados para que deixem suas terras.

A informação é do jornal local Folha de Boa Vista. O parque será a nona Unidade de Conservação (UC) criada no Estado de Roraima, com 155 mil hectares e localização na faixa de fronteira do Brasil com a Guiana. A previsão é de que a UC seja implementada até abril de 2010.

A importância da criação do parque é proteger os lavrados, áreas abertas cobertas por savana que existem entre as áreas de floresta no bioma Amazônia. Apesar de Roraima ter a maior área de lavrados da Amazônia, não possui nenhuma unidade de conservação que proteja esse tipo de vegetação.

Se o projeto para definição da área como Parque Nacional for aprovado, cerca de 50 produtores que vivem na região deverão ser desapropriados. Esses produtores rurais, entretanto, já estão se articulando na tentativa de encontrar mecanismos para barrar a criação do parque.

"É uma nova Raposa Serra do Sol que está sendo criada. Existem pessoas que nasceram, cresceram, criaram seus filhos lá e hoje são idosos, mas mesmo assim não poderão ficar. Tem um morador que possui sua fazenda com título desde 1914, é um absurdo", disse à Folha de Boa Vista um produtor, que preferiu não se identificar.

Para o ICMBio, a criação do parque é crucial, pois a região vem sendo ocupada por produção agropecuária e expansão da cana-de-açúcar.

Mineração - CPI da Mineração: deputados pedem informações sobre destino de madeira extraída


A Assembléia Legislativa do Amapá aprovou, ontem (1), três requerimentos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Mineração, durante sessão ordinária da Casa. Dentre os pedidos aprovados está a solicitação de que seja realizado um levantamento da destinação da madeira retirada para a implantação dos projetos de mineração Amapari e Serra do Navio.

O pedido de esclarecimento será encaminhado ao superintendente do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), bem como às prefeituras de Serra do Navio (AP) e Amapari (AP), para que forneçam documentos e levantamentos feitos e destinados às empresas mineradoras. A CPI também pede aos diretores do Instituto do Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap), da Secretária do Meio Ambiente (Sema), que verifiquem a destinação da madeira retirada pelos projetos de Amapari e Serra do Navio.

Outro requerimento solicita o levantamento de todas as denúncias feitas sobre a situação da exploração de madeira, feitas pelas empresas de mineração de 2002 até os dias de hoje. O deputado Ruy Smith (PSB) pediu os autos do processo policial referentes à operação Toque de Midas, da Polícia Federal (PF)- deflagrada em julho do ano passado, após uma denuncia de irregularidades na licitação da estrada de ferro que pertencia à indústria mineradora Icomi-, para apurar o possível envolvimento de autoridades na fraude.

A CPI investiga as atividades mineradoras do Estado e seus impactos sociais, ambientais e econômicos. Durante a seção de ontem, foram apresentados 13 requerimentos para apreciação dos parlamentares, todos de autoria do presidente da CPI, deputado Alexandre Barcellos. Somente três pedidos foram aprovados por unanimidade. O deputado Zezé Nunes solicitou que na próxima sessão seja incluída na investigação a região de Cupixi e Porto Grande. As informações são do jornal Diário do Amapá.

domingo, 29 de novembro de 2009

Aqui em Brasília - Potencial da biodiversidade é tema de seminário no IPEA - Transmissão ao vivo!


Especialistas e pesquisadores se reúnem para discutir a agenda ambiental, que ganha destaque com a proximidade da COP 15

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) promove na terça-feira, 1° de dezembro, o seminário Potencialidades Econômicas da Biodiversidade Amazônica: Desafios e Oportunidades. O evento, promovido pela Coordenação de Meio Ambiente da Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais (Dirur), será transmitido ao vivo, para todo o Brasil, pelos sítios do Ipea (www.ipea.gov.br e www.agencia.ipea.gov.br).

Às vésperas da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (COP 15), que será realizada em dezembro, na Dinamarca, especialistas e pesquisadores de universidades e de órgãos de governo discutirão temas como os programas e projetos voltados para a biodiversidade; as políticas públicas para a Amazônia; a concessão de florestas e distritos florestais sustentáveis; as alternativas sustentáveis para a geração de energia e a eficiência dos Fundos Constitucionais.

Participarão do seminário o presidente do Ipea, Marcio Pochmann; a diretora da Dirur, Liana Carleial; e o coordenador de Meio Ambiente, José Aroudo Mota, além de representantes da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), e dos ministérios do Meio Ambiente; da Ciência e Tecnologia e dos Transportes.

O evento está sendo realizado das 8h45 às 18 horas, no auditório do Ipea em Brasília (SBS, Quadra 1, Bloco J, Edifício BNDES, subsolo). Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (61) 3315-5432 e (61) 3315-5100. As inscrições são feitas pelo e-mail eventos@ipea.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. .

Na abertura d eveto participou o ministro de Assuntos Estratégicos, Samuel Pinheiro Guimarães.
O inistr disse que a elaboração de uma nova doutrina para a Amazônia, seguindo determinação do Presidente da República, se fará com grande participação da inteligência da região, em pronunciamento durante a abertura do Seminário sobre Potencialidades Econômicas e Biodiversidade.

O ministro observou durante o seminário organizado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA), que o desafio atual é “preservar os biomas, sem transformá-los em santuários”, ao se referir a uma expressão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a cerimônia de sua posse como Ministro.

Pinheiro Guimarães informou que o tema Amazônia ocupará também um lugar de destaque no Plano para 2022 que a Secretaria de Assuntos Estratégicos está elaborando para o ano em que se comemora o bicentenário da independência nacional.

O Seminário organizado pelo IPEA, às vésperas da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima, reúne especialistas e pesquisadores de universidades e de órgãos de governo para debater temas ligados ao desenvolvimento sustentável.

Os especialistas estão debatendo programas e projetos voltados para a biodiversidade; políticas públicas para a Amazônia; concessão de florestas e distritos florestais sustentáveis; alternativas sustentáveis para a geração de energia e a eficiência dos Fundos Constitucionais.

Economia - Encontro celebra 50 anos de Formação Econômica do Brasil


Edição comemorativa foi lançada em mesa-redonda no Ipea, assim como as obras "Cinquenta Anos de Formação Econômica do Brasil" e "Diálogos para o Desenvolvimento"

Uma mesa-redonda marcou, no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o lançamento das obras Formação Econômica do Brasil, de Celso Furtado– Edição Comemorativa de 50 Anos (Companhia das Letras), Cinquenta Anos de Formação Econômica do Brasil – Ensaios sobre a Obra Clássica de Celso Furtado e Diálogos para o Desenvolvimento - Volume 1 (Ipea). O encontro, na sexta-feira, dia 27, teve a presença do ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Samuel Pinheiro Guimarães e de Rosa Freire d´Aguiar Furtado, viúva de Celso Furtado. João Sicsú, diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea, foi o mediador.

Também participaram da mesa-redonda Ricardo Bielschowsky (Cepal/Brasil), Marcos Maciel Formiga (CNI/Senai-DN e Ceam/UnB), Tarcício Patrício de Araújo (UFPE), Salvador Werneck Vianna (Ipea) e Júnior Macambira (IDT). Uma das obras mais conhecidas e comentadas de Celso Furtado, Formação Econômica do Brasil já foi traduzido para diversos idiomas. O livro foi escrito no Reino Unido, quando Furtado dava aulas na Universidade de Cambridge, e é baseado em ideias lançadas pelo autor em sua tese de doutorado – defendida na Universidade Sorbonne, em Paris.

O encontro no Ipea teve ainda a exibição do filme O Longo Amanhecer, uma cinebiografia de Furtado. O evento começou às 17h e ocorreu no auditório do Instituto em Brasília (SBS, Quadra 1, Ed. BNDES, subsolo).

Aqui em Brasília - Falei Feliz fim de semana a tod@s, só que apareceu esta notícia aqui........


A Folha teve acesso neste sábado (28) a cinco DVDs, entre os quais um que mostra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), recebendo dinheiro. O vídeo foi feito pelo então presidente da Codeplan (empresa do DF), Durval Barbosa, que era, até sexta-feira, secretário de Relações Institucionais de Arruda.

O secretário de Ordem Pública do DF, Roberto Giffoni, nega que o dinheiro seja propina. Seria uma colaboração recebida, em 2005, pelo então deputado José Roberto Arruda para financiar ações sociais, entre as quais a compra de panetones e brinquedos, alega (aplíca-me). só burro acredita.
No vídeo de 30 minutos e 31 segundos, Arruda recebe um maço de notas de Barbosa. "Deixa eu pegar um negócio antes que eu me esqueça", diz Barbosa para Arruda que logo em seguida aparece com o um maço de dinheiro. "Ah, ótimo. Me dá uma cesta, um negócio", diz o governador.

Em seguida, Barbosa aparece com um envelope pardo onde o maço é guardado. Depois entra na sala uma pessoa chamada de Rodrigo e pega a sacola. A Folha obteve informação que trata-se de Rodrigo Arantes, filho adotivo de Arruda. No vídeo, Arruda e Barbosa conversam sobre a campanha.

Os outros vídeos mostram Barbosa manuseando dinheiro. O assessor de imprensa Omézio Pontes também aparece num outro vídeo recendo grande quantia de dinheiro. Arruda é o centro das investigações da operação Caixa de Pandora, deflagrada pela Polícia Federal na última sexta-feira, quando foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão de equipamentos, dinheiro e documentos em Brasília, Goiânia e Belo Horizonte.

veja aqui um vídeo com a imageme a fala do Arruda, e a grana toda