Google+ Badge

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Como continuar petista?


Nasci numa família petista. Acho que já escrevi isso antes, mas é uma lembrança muito forte: eu morava no Tatuapé, de frente para a fábrica de eletrodomésticos Philco, e o Lula comandava as greves lá. Eu acordava com ele berrando, irritada, mas minha mãe me mandava ter respeito pelo homem que mudaria o país. Quando o Lula foi eleito pela primeira vez e subiu a rampinha pra abraçar o Fernando Henrique, lembro da minha mãe no meio da sala, chorando mais do que quando eu voei da bicicleta, quebrei a clavícula e fiquei desacordada por longos segundos.

Sempre votei em todos eles: Suplicy, Marta, Mercadante, Lula, Dilma, Haddad. Mas de uns dois anos pra cá, minha família fez como a Marta: me abandonou, pegou horror ao partido. Se tornaram magoados vingativos. Os xingamentos vão de pinguço ladrão a escória da humanidade. Ela virou a típica senhorinha reaça das redes sociais, postando "Revoltados On Line", ajudando a viralizar vídeos terríveis de ministros sendo vaiados acompanhados de suas famílias. Senti um soprinho de esperança em recuperar meus pais quando num almoço o tema foi difamar o Cunha. Mas, no cafezinho, eles voltaram com força total, mostrando um clipezinho musicalizado da Dilma saudando a mandioca. E o milho também.

Fiquei sozinha nessa. Segui defendendo a ciclovia. Mesmo aturando 80% dos meus amigos falando que na periferia o Haddad deixou a desejar, que a faixa termina em lugar nenhum, que é malfeita, que antes a cidade deveria dar segurança pras pessoas andarem de bicicleta, que quem mandou comprar carro pra aquecer a economia foi o próprio PT. Que ciclovia é coisa pra agradar os alunos "de esquerda, mas com dinheiro" dele, que moram no centro expandido. Perdi uma quantidade enorme de amigos (que nunca fiz) quando comemorei a reeleição da Dilma. Tudo bem que fui meio sem noção e escrevi "Chupa Itaim" e "pega no meu pau Vila Nova Conceição" no Facebook. Muitos outros, esses sim importantes, me deram apenas "hide" e avisaram por inbox: "Quando você se curar dessa doença maligna chamada ignorância política, voltamos a falar". Não se "cura" com facilidade algo que se aprendeu a amar na infância. Sigo me agarrando aos poucos amigos que acreditam. Lendo os poucos articulistas que acreditam. Pedindo a um amigo que trabalha com o Haddad que me coloque em contato com ele, pra que eu possa conversar mais, entender mais, e não perder a fé. Mas a cada dia, um bom combatente entrega os pontos. Ligo para um colega escritor intelectual de esquerda e ele me aconselha: "Não escreve sobre isso não, tá feia a coisa, eu não acredito mais".

Está cada dia mais difícil responder "mas tanto foi feito pelos pobres" a cada 765 motivos para deixar de ser petista. Zé Dirceu armou o maior esquema de propina da história e mesmo depois de ser pego, armou de novo! Mas tanto foi feito pelos pobres! Os discursos da Dilma nunca falam com clareza sobre pedaladas fiscais e Petrolão! Mas tanto foi feito pelos pobres! Daí tento "mas nunca em um governo se colocou tanto bandido na cadeia! É a democracia!". Mas Dilma foi uma péssima gestora, olha como está o dólar, a inflação, o desemprego, os cortes na educação, na saúde, na grana dos aposentados! Mas nunca em um governo se colocou tanto bandido...Mas os bandidos estavam mancomunados com o PT ou, em grande parte, ERAM do PT. Mas nunca em... É... Veja bem... Que tristeza tudo isso.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Petistas querem comando de crise com governo, partido e Instituto Lula



Bunker único Caciques do PT,
alarmados com a nova prisão de José Dirceu, defendem a criação de um comando de crise que reúna governo, Instituto Lula e o partido. Petistas acham que a força-tarefa tentará voltar o foco das investigações –que estava dividido entre Executivo e Congresso– para as gestões de Dilma Rousseff e Lula. “A tese agora é que o petrolão é uma continuação do mensalão, coordenado pelos governos do PT. É isso que vão sustentar no STF”, constata um dirigente.

The end Tata Amaral desistiu de rodar o documentário “O Vilão da República”, sobre Dirceu. A cineasta diz que não conseguiu levantar recursos e nega ter obtido autorização para captar R$ 1,5 milhão via Lei Rouanet.

Cautela Rui Falcão preferiu esperar a reunião da Executiva Nacional do PT, hoje em Brasília, para que o colegiado decida sobre divulgar ou não nota em solidariedade ao ex-ministro da Casa Civil.

Aos montes Membros do STF notam que, diferentemente do mensalão, em que não havia acusação de que Dirceu recebera recursos para si, agora há “prova farta” de enriquecimento pessoal.

Pode vir Integrantes da CPI da Petrobras relatam entendimento prévio, incluindo até deputados do PT, para que Dirceu fosse convocado a depor caso fosse preso.

Prioridade A cúpula da comissão quer votar a oitiva do ex-ministro na primeira reunião deliberativa. Por isso, as convocações de Edinho Silva (Secom) e Aloizio Mercadante (Casa Civil) devem ficar para as próximas sessões.

Hoje não A CPI cancelou a acareação entre Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, marcada para quinta-feira. Advogados dos delatores haviam pedido à Justiça o adiamento, por razão de saúde, mas a comissão se antecipou.

A seguir Setores do Planalto viram o trecho da sentença de Sergio Moro que afirma que a prisão de dirigentes da Hope –empresa acusada de repassar propina para Dirceu– “é prematura” como sinal de que há uma “ponta do novelo” a ser puxada.

Pop A nova prisão de Dirceu rendeu 201.499 postagens no Twitter até as 19h desta segunda-feira. A etapa anterior da Lava Jato, que atingiu o setor elétrico, motivou apenas 69.171 tuítes.

Na linha 1 Aécio Neves reunirá nesta terça-feira os líderes e vice-presidentes do PSDB para cobrar unidade de ação e discurso do partido.

Na linha 2 A cúpula tucana ficou irritada com declarações como a do governador Beto Richa (PR), que contestou a decisão de apoiar as manifestações do dia 16.

Freezer Rosângela Lyra disse a seus convidados que decidiu adiar para setembro o encontro com o vice-presidente Michel Temer por acreditar que “ele jogaria um balde de água fria” nos que vão às ruas contra Dilma.

A culpada Mercadante repetiu o discurso de Dilma e responsabilizou a Lava Jato pela queda de um ponto percentual do PIB em 2015, na reunião de Temer com ministros e líderes partidários.

Do Eduardo Cunha para Jaques Wagner



TIROTEIO



A Câmara nunca perdeu institucionalidade sob meu comando. Sempre conduzi a Casa com equilíbrio. Não visto essa carapuça.


DE EDUARDO CUNHA (PMDB-RJ), presidente da Câmara, sobre o ministro Jaques Wagner (Defesa) ter dito que espera isenção na condução dos trabalhos.