Google+ Badge

sábado, 18 de abril de 2009

Pobre Maranhão - Lucia Hippolito

Que destino trágico, este do povo do Maranhão!

Jackson Lago foi eleito governador para acabar com o domínio da família Sarney, que há 50 anos acorrenta o Maranhão ao atraso e à miséria.

O Maranhão tem hoje os piores índices de desenvolvimento humano do Brasil. Ao lado de Alagoas, naturalmente.

Jackson Lago foi prefeito de São Luís. Contra os Sarney. Jackson Lago foi eleito governador do Maranhão. Contra os Sarney. Para encerrar o reinado dos Sarney. Para isso ele foi eleito.

Porém, durante a campanha eleitoral permitiu que fossem usados os mesmos métodos que criticava na família Sarney.

Clientelismo, fisiologismo, utilização da máquina pública, exploração da miséria.

O então governador José Reinaldo Tavares, cria de Sarney que depois rompeu com o grupo, para eleger seu candidato cometeu vários abusos, entre os quais distribuição de cestas básicas e kits salva-vidas para os eleitores.
Leia mais aqui

Obama defende "aliança entre iguais" com AL e diálogo com Cuba


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu nesta sexta-feira, em Trinidad e Tobago, em seu discurso na abertura da Cúpula das Américas, que manterá uma "uma aliança de iguais"com a América Latina. Ele também afirmou que está aberto ao diálogo com Cuba sobre uma ampla lista de assuntos, mas destacou que não quer "falar por falar".
Obama e Chávez apertam as mãos em Cúpula das AméricasComeça Cúpula com 34 países; ausente, Cuba é tema dominanteEntenda o que está em jogo na 5ª Cúpula das Américas.
No discurso, Obama ofereceu uma nova relação com o continente e reconheceu: "Apesar de os EUA terem feito muito em favor da paz e da prosperidade no continente, às vezes também temos nos desentendido ou tentamos ditar nossas condições. Prometo que eu busco uma aliança de iguais".

"Não há um parceiro maior e outro menor em nossas relações; simplesmente há uma implicação baseada em nosso respeito mútuo, nossos interesses comuns e nossos valores compartilhados. Estou aqui para lançar um novo capítulo de aproximação que continuará durante meu mandato", disse.

O presidente americano uma colaboração inédita no continente para buscar uma nova prosperidade econômica e lutar contra a crise atual. Neste sentido, prometeu "colaborar para garantir que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) adote os passos necessários para aumentar o nível atual de crédito e para estudar cuidadosamente as necessidades de recapitalização no futuro".

Obama expressou também compromisso com a luta contra a desigualdade e "a criação de prosperidade a partir de baixo". O presidente americano anunciou um novo Fundo de Crescimento para o Microfinanciamento destinado ao continente, e garantiu que contribuirá para restabelecer os empréstimos às companhias.

POLÍTICA - O PODER, DOENÇA SENIL DAS OLIGARQUIAS LOCAIS


Emblemático que autoridades brasileiras não sejam capazes de ingressar em eventos nacionais pela porta da frente ou mesmo por ela sair: são vaiados, apupados e, no limite, ameaçados de agressão. Assumem poderes sem ter sido eleitos ou realizando fraudes eleitorais, como foi a denuncia realizada contra o Jackson Lago.
O pedido de cassação de mandato foi feito pela coligação da candidata derrotada por Lago nas eleições de 2006, a senadora Roseana Sarney (na época no PFL, hoje no PMDB e depois qualquer partido que ou legenda de aluguel que lhe de espaço para continuar no poder, até morrer) --filha do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).
A principal acusação é a de que José Reinaldo Tavares (PSB), governador do Maranhão à época da eleição, teria usado a máquina do Estado em favor de Lago.
Outro lado
Em sua defesa, Lago afirma que não existe, nos autos, prova concreta de que os convênios teriam sido usados com fins eleitoreiros. Tanto é assim, afirma a defesa, que "a força eleitoral de Jackson Lago se manifestou onde não houve convênio nenhum".
Os advogados do pedetista sustentam que os fatos apontados não foram amparados em provas pré-constituídas, mas somente em alegações.
O governador e seu vice, Luiz Carlos Porto (PPS) --incluído na denúncia--, alegam que houve violação aos princípios da ampla defesa e do devido processo legal, pois houve limitação do número de testemunhas.
Enquanto o processo tramitava no TSE, Lago recorreu ao STF (Supremo Tribunal Federal) para garantir que mais testemunhas fossem ouvidas. O relator do caso no TSE, ministro Carlos Ayres Britto, havia limitado o número a seis. O pedido, no entanto, foi negado pelo Supremo.

CÚPULA DAS AMÉRICAS - Obama diz que está pronto para conversar com Cuba - Obama says he is ready to talk to Cuba

AE-AP - Agencia Estado
PORT OF SPAIN - Os Estados Unidos e Cuba trocaram as mais amáveis palavras hoje em uma série de gestos de boa vontade antes da V Cúpula das Américas, que começará hoje em Trinidad e Tobago. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse em Port of Spain que está pronto para conversar com o governo de Cuba sobre "uma vasta gama de assuntos". "Durante os últimos dois anos, eu disse e hoje repito que estou preparado para engajar minha administração numa série de conversas com o governo cubano, em assuntos como direitos humanos, liberdade de imprensa, reformas democráticas, luta contra as drogas, imigração e questões econômicas", afirmou.

"Me deixem ser claro: eu não quero apenas conversar só por conversar. Acredito que podemos mover as relações entre os EUA e Cuba numa nova direção", disse Obama. Mais cedo, o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, afirmou que derrubará uma resolução que excluiu Cuba da entidade em 1962, enquanto a secretária de Estado norte-americana, Hillary Rodham Clinton, elogiou a fala do presidente da ilha caribenha, Raúl Castro, de que seu país está disposto a discutir "todas as coisas" com os Estados Unidos.

O porta-voz do presidente dos EUA, Robert Gibbs, disse, um pouco antes de Obama chegar a Port of Spain, que Cuba agora precisa mostrar gestos de boa vontade. "Certamente, são livres para libertar presos políticos, são livres para não ficar com o dinheiro das remessas, são livres para permitir uma maior liberdade de imprensa", disse Gibbs. Não se esperam resultados imediatos. "É verdade que é um descongelamento, mas é um descongelamento que vai levar tempo. Não espero gestos dramáticos, continua a haver bastante desconfiança", afirmou Michael Shifter, do instituto de estudos Diálogo Interamericano, em Washington.

De acordo com Insulza, a OEA deverá derrubar uma resolução de 1962 que proíbe Cuba de participar do corpo político. Insulza disse que apresentará a proposta em um encontro da organização que acontecerá em Honduras em junho. Se a proposta for aceita, abrirá o caminho para Cuba voltar a fazer parte da OEA, da qual foi expulsa por pressão dos EUA por seu regime "não democrático".''Sinais''O presidente de Cuba, Raúl Castro, que participou ontem e também hoje mais cedo de um encontro na Venezuela que reuniu desafetos dos EUA, lembrou que muitas nações latino-americanas favorecem o retorno de Cuba à OEA. Porém, ele informou que seu governo não tem interesse em voltar à organização, a qual ele acredita "tem que desaparecer". Raúl Castro também respondeu a pedidos de Washington por "sinais" de que Cuba está disposta a mudar sua política, ao dizer que sua administração está pronta a conversar com os EUA sobre "direitos humanos, liberdade de imprensa, presos políticos, tudo".

Segundo Hillary Clinton, a posição de Cuba, anunciada na ontem por Raúl, de discutir "todas as coisas" com os EUA, é "muito bem-vinda". "Mandamos dizer ao governo norte-americano em privado e em público que estamos dispostos a discutir tudo: direitos humanos, liberdade de imprensa, presos políticos", afirmou Castro, na Venezuela. No passado, as autoridades cubanas insistiam que a política nacional era um assunto interno.

"Vimos os comentários de Raúl Castro e acolhemos com satisfação essa declaração e a estamos tomando muito seriamente", disse Hillary, durante um encontro com jornalistas na República Dominicana. O porta-voz do presidente norte-americano Robert Gibbs disse que Obama não planeja se reunir com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, durante a cúpula, mas que se o governante latino-americano quisesse, poderia haver uma conversa cortês entre os dois.

Obama e a delegação norte-americana, a maior dos 34 países que participam da V Cúpula das Américas, desembarcaram no final da tarde de hoje em Port of Spain. Obama disse antes que o encontro em Trinidad e Tobago "oferece a oportunidade de um novo começo" para a região. A cúpula está encaminhada para "a criação de emprego, promover o comércio livre e justo e desenvolver uma resposta coordenada para esta crise econômica", avaliou o presidente norte-americano. Com informações da Dow Jones.

CÚPULA - Sorridente, Chávez diz em cúpula querer ser 'amigo' de Obama - Smiling, Chávez said in dome want to be 'friend' of Obama

Presidentes se encontraram em Trinidad e Tobago; reunião bilateral não deve acontecer, afirma Casa Branca.

SÃO PAULO - Após anos de tensões com o governo americano, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, demonstrou empatia ao cumprimentar o novo chefe de Estado, Barack Obama. Sorrindo, os dois trocaram um aperto de mão no início da 5.ª Cúpula das Américas em Trinidad e Tobago. Os presidentes, porém, não devem ter um encontro bilateral, informou a Casa Branca. Chávez, forte crítico do ex-presidente americano George W. Bush, tanto já criticou como elogiou Obama desde que ele tomou posse, em janeiro.

"Com esta mesma mão, há oito anos, eu cumprimentei Bush. Quero ser seu amigo", disse Chávez a Obama, segundo a página de internet do Ministério das Comunicações da Venezuela. Ainda segundo o governo venezuelano, Obama teria agradecido a saudação, informou a BBC Brasil.
(Matéria atualizada às 21h25)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

ECONOMIA - Governo reduz em dez pontos IPI sobre geladeiras e fogões

Agência Estado
Será que essa diminuição do IPI será realmente repassada aos consumidores?. Ou apenas será uma uma perda de importos para o governo e mais um lucro para os empresários....(comentário dO ENRÍQUEZ).

Renúncia fiscal a ser feita por meio das medidas será de R$ 173 milhões; não haverá compensação de impostos

SÃO PAULO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou nesta sexta-feira, 17, a redução das alíquotas de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para produtos da linha branca em 10 pontos porcentuais. O anúncio foi feito hoje pelo ministro, na capital paulista, após encontro com empresários do setor produtivo, varejista e sindicalistas.

Veja também:
Entenda as medidas para a construção e o setor automotivo
As medidas do Brasil contra a crise
As medidas do emprego
De olho nos sintomas da crise econômica
Dicionário da crise
Lições de 29
Como o mundo reage à crise

PARÁ ECONOMIA - Economistas paraenses debatem efeitos da crise

Incerteza é a palavra que melhor define o momento atual da economia no Pará. O fundo do poço dos efeitos da crise mundial sobre o estado pode ainda não ter chegado. Confrontados com indicadores que, em alguns setores sinalizam recuperação, enquanto em outros apontam para o agravamento da turbulência, os economistas preferem nesse momento trabalhar com cenários sem se aprofundar muito em prognósticos.
Os impactos da crise econômica no Pará foram debatidos ontem, durante evento promovido pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), em Belém. O encontro serviu, também, para apresentar as análises conjunturais que o Idesp vem fazendo da economia estadual desde o ano passado - estimando os efeitos das dificuldades financeiras que poderão ocorrer durante este ano, a partir dos resultados obtidos no último trimestre de 2008.
O cenário mais provável, na opinião do economista Danilo Fernandes, é o de uma recessão mundial que durará pelo menos dois anos antes que a recuperação comece de fato. 'Esse é, na verdade, o cenário considerado hoje o mais real entre os economistas', explicou. Ainda segundo Fernandes, os estados brasileiros sofrerão os impactos de forma diferente. 'Alguns fatores vão determinar o grau de impacto sobre a economia dos estados e municípios', afirmou. Entre os fatores estão o grau de dependência dos estados e municípios das transferências dos fundos de participação, a importância das operações de comércio exterior na economia local e o tamanho das despesas públicas. Fernandes disse que já um consenso em relação à queda no comércio exterior. 'A crise marcará o fim dos grandes saldos comerciais', afirmou.
Com uma economia exportadora forte, municípios em grande parte dependentes do FPM e com o próprio governo estadual relativamente dependente dos recursos do FPE e em plena curva de crescimento das despesas com custeio, o Pará é um sério concorrente ao ranking das unidades da federação onde a crise será mais prolongada.
Para Cassiano Ribeiro, diretor estadual socioeconômico do Idesp, a discussão abriu a oportunidade de sugerir ideias que podem aliviar os efeitos da crise financeira. 'Um dos pontos mais importantes para o Estado neste momento é a questão do desemprego. O saldo dos postos de trabalho caiu bastante desde outubro do ano passado. Além disso, houve redução no rítimo industrial e consequentemente na movimentação do comércio - e isso precisa ser discutido', revela. 'Se existia uma perspectiva de um amplo crescimento, a partir de indicadores como estes, o Estado passou a rever esta trajetória. O estudo agora vai focar na questão de como o Pará está sendo afetado, e quais os reflexos disso ao longo deste ano', afirma.
A avaliação do diretor do Idesp para a permanência da crise financeira na economia paraense considera dois cenários. 'Primeiramente, levando em conta o comportamento do quadro mundial, a crise ainda pode se agravar, principalmente porque, tanto Europa como Estados Unidos continuam tendo empresas fechando e bancos falindo. Desta forma ainda não chegamos ao fundo do poço. Contudo, em uma avaliação secundária, se balisarmos nossas análises somente na economia brasileira, conseguimos perceber que o governo federal está conseguindo reverter os prejuízos da crise, com a manutenção da produção industrial e com a venda de veículos. Isso não quer dizer que não temos problemas, e o desemprego torna isso claro, porém o esforço do governo é facilmente reconhecido', revela.
Para a pesquisadora do Idesp, Lívia Cavalcante, o Pará vem seguindo uma tendência nacional de queda em alguns indicadores, principalmente no caso dos empregos, do comércio e da balança comercial. A produção industrial, que é um dos braços fortes do PIB paraense, também se rendeu à tendência nacional de retração, segundo avalia Lívia. 'O que segurou os números da exportação foram a insdústria da transformação e a metalurgia básica, que emboram também tenham caído, não deram prejuízos', afirma. Lívia ressalta que o IPC (Índice de Preço ao Consumidor do Pará) já mostra em seu desempenho reflexos da deflação no setor de alimentos - o que demonstra a estagnação do consumo.
O Liberal

FALANDO NOBLAT COM JACKSON LAGO

- A não ser que me arrastem com violência ou que me tirem a vida, permanecerei no palácio até que o Supremo Tribunal Federal dê a última palavra sobre o caso - acaba de me dizer por telefone o ex-governador Jackson Lago (PDT), do Maranhão.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o mandato de Lago e do seu vice por "abuso de poder econônico" nas eleições de 2006, quando ele derrotou Roseana Sarney (PMDB-MA). E mandou que a Assembléia Legislativa desse posse a Roseana no lugar de Lago. Foi o que aconteceu há pouco.
Contra a decisão do TSE ainda cabe recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF).
- Se a Justiça Eleitoral não levou em conta a opinião dos maranhenses que me elegeram para governar durante quatro anos, é minha obrigação levá-la em conta, sim, respeitá-la, sim - argumenta Lago.
Diplomada mais cedo pelo Tribunal Regional Eleitoral e empossada pela Assembléia Legislativa, Roseana se manterá distante do Palácio dos Leões, sede do governo do Maranhão. Espera que Lago saia dali mais dia, menos dia.
- É preciso que a mídia nacional tome conhecimento do que se passa no Maranhão, do ato de violência de que estou sendo vítima. As informações do Maranhão são transmitidas para fora do Estado via meios de comunicação da família Sarney. Ela é dona de jornais, emissoras de rádio e da TV Globo local - lamenta Lago.
- Os Sarney nunca haviam sido derrotados antes. Eu os derrotei. Eles mandaram neste Estado por mais de 30 anos - e o que deixaram como herança? Um Estado com alguns dos piores indicadores sociais do país. Eles pretendem voltar a mandar. Mas confio na força do povo para impedir que isso ocorra.

MARANHÃO - Lá ganha quem perdeu a eleição

Existe alguma coisa errada nessa justiça eleitoral. Ganha a eleição quem obtém menos votos e hoje foi empossada quem perdeu a eleição e não quem ganhou. Quem explica isso? A nova governadora disse que se fez justiça, para mim, só foi pela metade, porque saiu quem fez errado e entrou quem perdeu a eleição, assim não vale, nada contra a Roseana que nem vai governar já que entrará com licença de saúde e depois deverá recuperar-se plenamente antes de assumir de verdade (comentário meu).

BRASÍLIA - Roseana Sarney é a nova governadora do Maranhão. Ela tomou posse nesta sexta-feira, em decorrência da cassação do mandato do ex-governador Jackson Lago pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
A renúncia de Roseana ao mandato como senadora, ato necessário à posse no governo do estado, foi oficializada horas antes, durante a sessão plenária do Senado. A carta de renúncia foi lida pelo senador Heráclito Fortes (DEM-PI). No lugar dela, assumirá o suplente Mauro Fecury, que já ocupou uma vez esse posto em razão de afastamento da senadora, devendo agora apenas reassumir o mandato até 31 de janeiro de 2011.
"Eu já perdi dois anos de governo. Esperei muito, mas finalmente se fez justiça", declarou ela.
Cassado, na noite desta quinta-feira, o mandato do governador Jackson Lago, a senadora Roseana Sarney (PMDB-MA) foi diplomada nova governadora do Maranhão pela manhã na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Estado. Em seguida, ocorreu a solenidade de posse na Assembleia Legislativa do estado.
Roseana assume o governo após o TSE ter rejeitado, por unanimidade, os recursos contra a cassação do diploma de Jackson Lago e também de seu vice, Luiz Carlos Porto.
No mérito, a cassação já tinha sido determinada pelo TSE no início de março, mas os advogados do então governador haviam apresentado recurso. Jackson Lago foi cassado por abuso de poder econômico cometido nas eleições de 2006. Roseana Sarney assume por ter sido a candidata mais votada depois dele.
De acordo com sua assessoria de imprensa, daqui a 15 dias, a governadora deverá se licenciar para operar, em São Paulo, o aneurisma cerebral detectado em novembro passado. Durante seu afastamento, responderá pelo governo, no Palácio dos Leões, o vice-governador João Alberto Souza, que também já foi senador e governador daquele estado.
(Agência Senado)

REUNIÃO DE LÍDERES DAS AMÉRICAS - Cuba e crise econômica são principais assuntos do primeiro encontro de Obama com líderes

Cuba e crise financeira. Estes devem ser, na opinião de Sérgio Dávila e Luiz Felipe de Alencastro, colunistas do UOL Notícias, os principais assuntos da 5ª Cúpula das Américas, que começa nesta sexta (dia 17) e será realizada em Port of Spain, capital de Trinidad e Tobago. Será o primeiro encontro do presidente norte-americano Barack Obama com 33 líderes de países das Américas do Norte, Central e do SulTanto para Alencastro como para Dávila, Obama deve se preparar para ouvir bastante. Os latino-americanos, especialmente, devem fazer uma forte pressão pelo fim do embargo econômico a Cuba e por mais medidas que evitem o agravamento da crise financeira no continente. Paradoxalmente, os dois assuntos ficarão de fora do documento final da Cúpula das Américas, cujo rascunho já foi divulgado na semana passada.

Na última semana, Obama amenizou algumas restrições impostas a Cuba, permitindo que imigrantes cubanos nos Estados Unidos não tenham mais limites para as viagens que podem fazer à ilha e nem para transferir dinheiro aos parentes e amigos."Cuba é o bode no meio da sala na reunião. Os Estados Unidos não querem falar sobre ele, mas será cobrado. Obama provavelmente não fará nenhuma promessa em relação ao fim do embargo", afirma Sérgio Dávila.Para Luiz Felipe de Alencastro, o governo Obama não fará mais nenhuma concessão unilateral. "Os Estados Unidos querem ver iniciativas do lado cubano, principalmente em relação aos direitos humanos e à liberdade de expressão", diz Alencastro. Além disso, Alencastro também acredita que Cuba não poderá voltar tão cedo à Organização dos Estados Americanos (OEA).
Leia aqui reportagem completa da Folha: http://noticias.uol.com.br/ultnot/internacional/2009/04/16/ult1859u885.jhtm

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Da esmola - Do Paulo Coelho. Vale a pena praticar

Um homem da tribo dos Ansares se aproximou de Maomé.
“Sou filho de uma família pobre”, disse ele. “Venho pedir socorro, porque todos em minha casa estão passando fome”.
Maomé deu-lhe duas moedas, dizendo: “com a primeira moeda, compra comida para a tua gente. Com a outra, um machado para cortar lenha”.
O seu discípulo mais fiel anotou a história e costumava contar a todo mundo, acrescentando: “a verdadeira caridade não é resolver o problema imediato, mas ajudar a que ele nunca mais se repita”.

POLÍTICA - Mercadante sugere nome de São Paulo para vice de Dilma - Fala Sério Aloizio

O Aloizio perde a oportunidade de ficar calado, só da fora (comentário meu)

RIO - O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) acredita que o melhor vice para uma possível candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no ano que vem não seria o governador do Rio, Sergio Cabral (PMDB), mas um nome de São Paulo ou do Nordeste. Mercadante chegou a sugerir o nome de Michel Temer (PMDB-SP), atual presidente da Câmara dos Deputados.
"São Paulo é o maior colégio eleitoral do Brasil e nós temos que nos fortalecer lá", destacou o senador, lembrando que o PSDB, principal rival dos petistas, tem bastante influência em São Paulo, base do governador José Serra, um dos prováveis candidatos tucanos à presidência no ano que vem.
Em sua edição de hoje, o Valor Econômico informou que o governador fluminense seria o favorito do presidente Lula para compor uma chapa com Dilma para as eleições presidenciais de 2010.

TECNOLOGIA - CRISE?, Lucro do Google cresce 8,8% no trimestre - Google's profit grows 8.8% in quarter


SÃO PAULO - O gigante da internet Google encerrou o primeiro trimestre deste ano com lucro líquido de US$ 1,422 bilhão (US$ 4,49 por ação), o que representa um crescimento de 8,8% em relação ao mesmo período de 2008, quando o ganho somou US$ 1,307 bilhão (US$ 4,12 por ação).
A receita total ficou em US$ 5,508 bilhões, um salto de 6,2% quando comparada aos três primeiros meses do ano passado, quando ficou em US$ 5,186 bilhões. Excluídos os gastos com aquisição de tráfego, a receita líquida da companhia somou US$ 4,07 bilhões, em linha com a projeção média de analistas, mas 10% superior ao primeiro trimestre de 2008.
"O Google teve um bom trimestre, dada a profundidade da recessão econômica - enquanto as receitas caíram na comparação com o quarto trimestre, cresceram 6% ano contra ano", disse em nota o presidente do Google, Eric Schmidt. "Nossa prioridade continua nos investimentos de longo prazo para guiar o crescimento futuro dos nossos negócios", completou o executivo.
(Valor Online)

MÚSICA - Do anonimato à fama, da pobreza à riqueza. Cantora amadadora faz sucesso na Inglaterra - Beloved singer makes success

Mais de cinco milhões de pessoas assistiram este vídeo, só no You Tube. Ela confessa que nunca foi beijada e ninguém apostava nela. Hoje é a primeira indicada para a melhor cantora do mais famoso programa de talentos da Inglaterra.

VEJA AQUI O VÍDEO QUE CONQUISTOU INGLATERRA

Jornais - Veja as manchetes nos principais jornais desta quinta

Jornais nacionais

Folha de S.Paulo
Governo terá R$ 23,2 bi a mais para gasto neste ano

Agora S.Paulo
Idade do comprador define prazo para pagar casa própria

O Estado de S.PauloGoverno afrouxa meta fiscal e terá mais R$ 40 bi para gastar

Jornal do Brasil'Brasil está bem para a crise', elogia FHC

O GloboGoverno reduz a economia com juros para gastar mais

Gazeta MercantilTucanos elogiam a política econômica

Valor EconômicoCorte de superávit põe R$ 40,2 bi na economia

Correio BrazilienseCrise moral atinge a Câmara

Estado de MinasMínimo deve ir a R$ 506,50 em janeiro

Diário do NordesteDelegado e policial militar presos por crime de extorsão

Extra
O chicote está de volta

Correio do PovoSalário mínimo vai para R$ 506,50

Zero HoraInquérito federal põe sob suspeita relações entre MST e Incra no Estado


Jornais internacionais

The New York Times (EUA)
Acordos ajudam China a expandir sua influência na América Latina

The Washington Post (EUA)
Obama aumenta esforços para impedir tráfico de armas e drogas através da fronteira mexicana

The Times (Reino Unido)
Mandarins sob fogo depois de prisão de conservador

The Guardian (Reino Unido)
Liverpool recorda desastre futebolístico de Hillsborough com raiva, lágrimas e 96 sinos

Le Monde (França)
A grande raiva dos pequenos acionistas

China Daily (China)
Chefe da Marinha lista objetivos principais

El País (Espanha)
Crise afunda a confiança nas instituições da União Europeia

Clarín (Argentina)
Confirmados casos de dengue local na capital e na Grande Buenos Aires

ECONOMIA - China: O crescimento económico cai para 6,1 % - Economic growth falls to 6.1 %


Pequim, 16 abr (EFE).- A economia chinesa cresceu nos três primeiros meses do ano 6,1%, o dado trimestral mais baixo desde que em 1992 o Governo começou a registrar este indicador.Segundo números apresentados hoje pelo Birô Nacional de Estatísticas (BNE) em coletiva de imprensa, o Produto Interno Bruto (PIB) alcançou no primeiro trimestre 6,57 trilhões de iuanes (US$ 962 bilhões).A terceira maior economia mundial continua sua tendência de diminuição no crescimento, embora esse recuo mostre sinais de arrefecimento. Em três meses a baixa foi de 0,7 ponto em relação aos 6,8% registrados no último trimestre de 2008, enquanto entre o terceiro e quarto trimestre do ano passado a contração foi de 2,1 pontos.O número divulgado hoje por Li Xiaochao, diretor-geral de Estatísticas Globais do BNE, está ainda bastante longe do objetivo de crescimento anual chinês, que é de 8%, como fixou o Governo Wen Jiabao como fundamental para conseguir enfrentar a crise em 2009.
Veja reportagem TAMBÉM na CNN: http://edition.cnn.com/2009/BUSINESS/04/16/china.economy/index.html?iref=mpstoryview

LULA - PARA QUEM AINDA DUVIDA - Para Obama, Lula continua sendo o cara - For Obama, Lula is still the man


Para Barack Obama, Lula continua sendo "o cara" --ou "meu chapa", "meu amigo", "meu camaradinha", como quiserem traduzir o "My man" dito pelo norte-americano no G20. Em entrevista agora à noite para a CNN em espanhol, o presidente democrata diz que "os tempos mudaram" em relação à América Latina. Dá como exemplo: "Minha relação com o presidente Lula é entre dois líderes de dois grandes países que estão tentando resolver os problemas e criar oportunidades para seus povos e que deveriam ser parceiros." Nessa relação entre iguais, diz, "não há parceiro júnior ou parceiro sênior".
Na entrevista, Obama se recusa a criticar o venezuelano Hugo Chávez --na verdade, se recusa a criticar qualquer líder latino-americano. "Eu acho que é importante para os Estados Unidos não dizer a outros países como estruturar suas práticas democráticas e o que deveria constar de suas Constituições. Os povos desses países que devem tomar uma decisão sobre como querem estruturar seus assuntos." Especificamente sobre Chávez, ele diz que "ele é o líder de seu país e será um de vários líderes com quem me encontrarei".
Por fim, acenou com mais medidas que relaxem a relação entre EUA e Cuba, desde que o regime dos Castro se movimente. "O que esperamos é algum sinal de que vai haver mudança em como Cuba opera, [mudanças] que garantam que os prisioneiros políticos sejam soltos, que as pessoas sejam livres para se expressar, que possam viajar, escrever e ir à igreja e fazer coisas que outras pessoas do continente fazem".
Resumo da ópera: diferentemente de Bush, Obama começa sua primeira visita à América Latina sem pedras nas mãos.
Blog do Sérgio Dávila - UOL

quarta-feira, 15 de abril de 2009

POLÍTICA - Teacher de Obama convocado para CPI - Teacher of Obama called for CPI

CPI convoca Ministro Mangabeira Unger para esclarecer suposto lobby
Protógenes disse em depoimento que ministro seria uma espécie de lobista de grupos privados no governo

A CPI dos Grampos aprovou nesta quarta-feira, 15, a convocação do ministro de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, para prestar esclarecimentos sobre declaração do delegado da Polícia Federal (PF) Protógenes Queiroz classificando-o como uma espécie de lobista de grupos privados dentro do governo federal. O ministro ainda não foi notificado para comparecer à CPI e não há data marcada para o depoimento. De acordo com sua assessoria, Mangabeira não foi encontrado para comentar o assunto.
Antes de se tornar ministro, Mangabeira prestou consultoria jurídica para a Brasil Telecom nos Estados Unidos, quando a empresa era controlada pelo banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity. Ele também atuou como uma espécie de procurador da telefônica. Dantas foi alvo da Operação Satiagraha, comandada pelo delegado Protógenes, e é acusado de corrupção e crimes financeiros.
Quando surgiram as suspeitas do delegado sobre o ministro no fim do ano passado, Mangabeira as classificou de "ridículas". O delegado teria registrado indícios de que o ministro, que trabalhou para o tenha participado da concepção de estratégias dele, intermediado contatos dele com meios de comunicação e favorecido o banqueiro em seus negócios na Amazônia.

"(Isso é) totalmente ridículo. Eu nunca procurei políticos ou jornalistas no período em que prestei serviços profissionais para a Brasil Telecom, nem antes desse período nem depois", disse Mangabeira à época.

AMAZÔNIA, PARÁ - Alter do Chão é eleita a melhor praia do Brasil - Tourism, Alter do Chão is elected the best beach in Brazil


O jornal The Guardian publicou hoje (15) a lista das melhores praias do Brasil. As praias foram selecionadas por 10 especialistas. Em primeiro lugar aparece a praia paraense de Alter do Chão, que fica próximo a Santarém. desbancando paraísos incontestes como Fernando de Noronha e Jericoacoara e outras praias tradicionais do Rio de Janeiro e da Bahia. O paraíso à beira do rio Tapajós foi escolhido por Tom Phillips, um correspondente do Guardian no Brasil.As praias de Alter do Chão só existem no período de vazante do rio Tapajós, entre agosto e janeiro, quando o volume de água diminuiu e surgem centenas de faixas de areia.
Segundo a reportagem do Guardian, são reconhecidas as dificuldades de escolher a melhor praia do Brasil - que tem 8 mil quilômetros de costa e milhares de praias no oceano Atlântico. Ainda assim, o jornal atribui a Alter do Chão o título de melhor praia, e ainda classifica-a como a "resposta da selva ao Caribe". O jornal compara ainda que, embora a Amazônia seja, ainda hoje, chamada de inferno verde, Alter do Chão é um paraíso dourado, no "coração da Amazônia". A repostagem traz, como indicação de hospedagem, a pousada Tupaiulandia, que é descrita como "não muito cara e bem pequena, como todos os lugares em Alter do Chão".

Confira abaixo a lista das 10 praias brasileiras selecionadas pelo jornal The Guardian, acompanhada de indicações de onde se hospedar: http://www.diariodopara.com.br/noticiafull.php?idnot=38867

MEIO AMBIENTE, TIRO NO PÉ - Câmara dos Deputados aprova fim do licenciamento ambiental para pavimentação de estradas

Parece que o ministro do Meio Ambiente não gostou do projeto de lei que foi aprovado ontem pela Câmara dos Deputados. O Projeto prevê a extinção do licenciamento ambiental para pavimentação de estradas abertas. Se o Ministro acredita mesmo no que fala, eu não duvido que assim é, deverá estar muito constrangido.

Esse foi um verdadeiro tiro no pé que o próprio Governo deu na política ambiental do Brasil. Depois de anos de discussões e debates e de estudos técnicos, para realizar as avaliações de impacto ambiental das estradas que cortam a Amazônia, se da um grande passo atrás na política de conservação da biodiversidade e da sustentabilidade da Amazônia. O objetivo foi a liberar as ações do PAC - O Programa de aceleração do Crescimento que, apesar dos esforços do Governo, muito pouco dos recursos disponíveis para as obras foram executados.
O Governo deveria ter realizado um PAD (Pacto de Aceleração do Desenvolvimento) e o que o País precisa mais desenvolvimento sustentável (comentário meu).

Veja a nota abaixo assinada por 28 organizações da sociedade civil manifestando sua posição contrária ao projeto assinado pela Câmara

Segundo a nota, a proposta pretende burlar a Constituição Federal, uma vez que é notório que o impacto maior ocorre após a pavimentação. “A pavimentação de estradas é o maior vetor de desmatamentos na Amazônia. Historicamente 75% dos desmatamentos da região ocorreram ao longo das rodovias pavimentadas, como ocorreu na Belém-Brasília (BR 010), na Cuiabá-Porto Velho (BR 364) e no trecho matogrossense da Cuiabá-Santarém (BR 163)”, diz a nota.
No texto, as organizações também se posicionaram contra o asfaltamento da BR 319, que liga Porto Velho (RO) a Manaus (AM). “O asfaltamento da BR 319 servirá apenas para abrir a região mais remota e preservada da Amazônia à ocupação desordenada, além de deteriorar, via forte pressão migratória, a qualidade de vida da cidade de Manaus”.
Veja abaixo a nota completa:


NOTA PÚBLICA SOBRE PAVIMENTAÇÃO DE ESTRADAS NA AMAZÔNIA

As organizações abaixo assinadas manifestam-se totalmente contrárias à tentativa de extinguir o licenciamento ambiental para pavimentação de estradas abertas conforme previsto no projeto de lei de conversão da medida provisória 452/2008 aprovado ontem (14/04) pela Câmara dos Deputados. A proposta pretende burlar a Constituição Federal, uma vez que é notório que o impacto maior ocorre após a pavimentação.

Do mesmo modo consideramos inaceitável o asfaltamento da BR 319, obra sem viabilidade ou justificativa comprovadas, desconectada de qualquer projeto de desenvolvimento regional. A prioridade dada a essa estrada pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) atende interesses outros que não a ligação entre duas capitais do norte do país. O asfaltamento da BR 319 servirá apenas para abrir a região mais remota e preservada da Amazônia à ocupação desordenada, além de deteriorar, via forte pressão migratória, a qualidade de vida da cidade de Manaus.

A pavimentação de estradas é o maior vetor de desmatamentos na Amazônia. Historicamente 75% dos desmatamentos da região ocorreram ao longo das rodovias pavimentadas, como ocorreu na Belém-Brasília (BR 010), na Cuiabá-Porto Velho (BR 364) e no trecho matogrossense da Cuiabá-Santarém (BR 163). O simples anúncio do asfaltamento já é suficiente para estimular o desmatamento e a grilagem, como ocorreu na BR 163, apontada como modelo de implementação de infra-estrutura viária na Amazônia, mas, ainda assim, uma das regiões onde o desmatamento mais cresceu nos últimos anos.

Essas iniciativas ameaçam a sustentabilidade da região e põem em risco as metas de redução de desmatamento assumidas pelo governo brasileiro no Plano Nacional de Mudanças Climáticas.

Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento - FBOMS
Fórum CarajásFórum Permanente de Defesa da Amazônia Ocidental
Grupo de Trabalho Amazônico - GTA
Rede Alerta Contra o Deserto Verde RJ
Associação dos Geógrafos Brasileiros - AGB
Amigos da Terra – Amazônia Brasileira
Associação Potiguar Amigos da Natureza - ASPOAN
Bicuda Ecológica
Conservação Internacional
ECOA – Ecologia e Ação
Fundação Vitória Amazônica - FVA
Greenpeace
Grupo Ambientalista da Bahia – GAMBA
Instituto de Estudos Socioeconomicos - INESC
Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia - IPAM
Instituto Onça-Pintada
Instituto Centro de Vida - ICV
Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas - IDESAM
Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia - IMAZON
Instituto Socioambiental - ISA
Kanindé - Associação de Defesa Etnoambiental
Movimento Baía Viva
Preserve Amazônia
Projeto Saude & Alegria
Sociedade Angrense de Proteção Ecológica - SAPE
The Nature Conservancy - TNC
Verdejar Proteção Ambiental e Humanismo
WWF Brasil

SAÚDE - Agrotóxicos em alimentos, todo cuidado é pouco

Segundo o Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) (PDF) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o pimentão foi o alimento que apresentou o maior índice de irregularidades para resíduos de agrotóxicos, durante o ano de 2008.
Mais de 64% das amostras de pimentão, analisadas apresentaram problemas. O morango, a uva e a cenoura também apresentaram índices elevados de amostras irregulares, com mais de 30% cada.
No lançamento dos dados do Programa, nesta quarta-feira (15), em Brasília (DF), o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, destacou a importância do trabalho da Anvisa no monitoramento de resíduos de agrotóxicos em alimentos. “No Brasil, a segunda causa de intoxicação, depois de medicamentos, é por agrotóxicos, o que tem uma dimensão importante”, afirmou Temporão.
Os desvios detectados pelo PARA foram: teores de resíduos de agrotóxicos acima do permitido e o uso não autorizado para determinadas culturas. No balanço geral, das 1773 amostras dos dezessete alimentos monitorados (alface, batata, morango, tomate, maça, banana, mamão, cenoura, laranja, abacaxi, arroz, cebola, feijão, manga, pimentão, repolho e uva), 15,28% estavam insatisfatórias.
A cultura de tomate foi a que apresentou maiores avanços quanto à diminuição dos índices de irregularidades. Em 2007, 44,72% das amostras de tomate analisadas apresentaram resíduos de agrotóxicos acima do permitido. No último ano, esse número caiu para 18,27%.
O arroz e o feijão, coletados pela primeira vez no Programa de 2008, apresentaram índices de irregularidades de 3,68% e 2,92% respectivamente. Juntamente com a manga, batata, banana, cebola e maçã, esses dois alimentos apresentaram os menores teores de irregularidade detectados.
A batata, que em 2002, primeiro ano de monitoramento do Programa, apresentou um índice de 22,2% de uso indevido de agrotóxicos, teve o nível reduzido para 2%. A banana, que chegou a apresentar índice de 6,53% neste período, fechou 2008 com incidência de 1,03% de irregularidades.
Chama atenção, nos resultados do Programa, o uso de agrotóxicos não permitidos, em todas as culturas analisadas. Ingredientes ativos banidos em diversas partes do mundo, como acefato, metamidofós e endossulfam, foram encontrados de forma irregular nas culturas de abacaxi, alface, arroz, batata, cebola, cenoura, laranja, mamão, morango, pimentão, repolho, tomate e uva.
CuidadosPara reduzir o consumo de agrotóxico em alimentos, o consumidor deve optar por produtos com origem identificada. Essa identificação aumenta o comprometimento dos produtores em relação à qualidade dos alimentos, com adoção de boas práticas agrícolas.É importante, ainda, que a população escolha alimentos da época ou produzidos por métodos de produção integrada (que a princípio recebem carga menor de agrotóxicos). Alimentos orgânicos também são uma boa opção, pois não utilizam produtos químicos para serem produzidos.
Os procedimentos de lavagem e retirada de cascas e folhas externas de verduras ajudam na redução dos resíduos de agrotóxicos presentes nas superfícies dos alimentos.

PARA
O objetivo do PARA, criado em 2001, é manter a segurança alimentar do consumidor e a saúde do trabalhador rural. O Programa, coordenado pela Anvisa em conjunto com os órgãos de Vigilância Sanitária Estaduais e Municipais, abrange, atualmente, 25 estados e o Distrito Federal. Em 2008, realizaram coletas em supermercados (de acordo com o plano de amostragem) os estados do Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, Tocantins e Distrito Federal. Neste mesmo ano, as ações de ampliação do Programa treinaram os estados de Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima. Os dez estados treinados, mais São Paulo, participarão do PARA em 2009.
A escolha dos itens analisados pelo Programa leva em consideração a importância destes alimentos na cesta básica do brasileiro, o consumo, o uso de agrotóxicos e a distribuição das lavouras pelo território nacional. No último ano, o PARA acompanhou oito novas culturas, até então nunca monitoradas: abacaxi, arroz, cebola, feijão, manga, pimentão, repolho e uva.
O Programa funciona a partir de amostras coletadas pelas vigilâncias sanitárias dos estados e municípios. No último ano, as amostras foram enviadas para análise aos seguintes laboratórios: Instituto Octávio Magalhães (IOM/FUNED/MG), Laboratório Central do Paraná (LACEN/PR) e Instituto Tecnológico de Pernambuco (ITEP), nas quais foram investigadas até 167 diferentes agrotóxicos.
Caso a utilização de agrotóxicos esteja em desacordo com os limites permitidos pela Anvisa, os órgãos responsáveis pelas áreas de agricultura e meio ambiente são acionados para rastrear e solucionar o problema. “ Trabalhadores rurais são expostos a estes agrotóxicos sem os equipamentos próprios para o manejo destes produtos”, explica José Agenor Álvares, diretor da Anvisa. As medidas em relação aos produtores são, principalmente, de orientação para que sejam adotadas as Boas Práticas Agrícolas (BPAs).

terça-feira, 14 de abril de 2009

SAÚDE: Al Gore vai investir de US$ 20 milhões em células-tronco

SÃO PAULO, 14 de abril de 2009

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore anunciou nesta terça-feira um investimento de US$ 20 milhões na pesquisa de células-tronco em parceria com uma empresa de biotecnologia americana. A iniciativa focará os estudos na produção das células-tronco pluripotentes induzidas (iPS, em inglês) - com capacidade para formar vários tipos de tecido.
O setor é considerado quente para investimentos e tem atraído o interesse de diversos pesquisadores e empresas biotecnológicas. As células-tronco pluripotentes são desenvolvidas a partir da introdução de quatro genes em células normais da pele, com o objetivo de oferecer novos caminhos para tratamento médicos de regeneração.
"Acho que é um atalho muito importante que se preenche de promessa e esperança", afirmou Gore. "Penso que esta é uma daquelas notícias que só chegam de vez em quando", avaliou o ex-vice-presidente. O financiamento será feito pela empresa de capital de risco Kleiner Perkins Caufield and Byers.
A parceira de Al Gore, a companhia tecnológica Inc. Izumi Bio de Mountain View, sediada na Califórnia, vai colaborar com o estudo da pesquisadora Shinya Yamanaka, da Universidade de Kyoto. Em 2006, a japonesa demonstrou que tecidos adultos do organismo poderiam ser transformados em células indiferenciadas com características semelhantes às das células-tronco embrionárias em laboratório. (Redação - Agência JB Online)

LULA -Pesquisa aponta ao Presidente como o mais popular das Américas

SÃO PAULO, 14 de abril de 2009 -

Mais uma pesquisa exalta a popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele aparece em primeiro lugar na lista de líderes com melhor aprovação das Américas, com 70% de popularidade, de acordo com um estudo publicado nesta terça-feira na internet pela empresa mexicana Consulta Mitofsky. O relatório, correspondente ao mês de abril, indica que o governante colombiano, Álvaro Uribe, está pouco atrás de Lula, com 69%, seguido pelo mexicano Felipe Calderón, com 68%, e pelo salvadorenho Elías Antonio Saca, com 66%.
Mais abaixo, em um segundo bloco, aparecem os presidentes de Estados Unidos, Barack Obama, com 61%; Equador, Rafael Correa, e Paraguai, Fernando Lugo, com 60%; Chile, Michelle Bachelet, com 59%; e Bolívia, Evo Morales, com 58%.
Ainda mais atrás estão o governante uruguaio, Tabaré Vázquez, com 53%; o costarriquenho Óscar Arias, com 49%; o panamenho Martín Torrijos, com 48%; o guatemalteco Álvaro Colom, com 45%; o dominicano Leonel Fernández e o nicaraguense Daniel Ortega, com 48%; e o peruano Alan García, com 34%.
No final da lista, estão a argentina Cristina Fernández de Kirchner, com 29%, e o hondurenho Manuel Zelaya, com 25%.
A Consulta Mitofsky destacou que a aprovação média dos presidentes americanos em março foi de 52%, só superada pelos resultados de janeiro e maio de 2007, que alcançaram 53% e 54%, respectivamente. No estudo anterior, divulgado em janeiro, Lula, Uribe e Correa dividiam o primeiro lugar, com 70% de aprovação. (Redação - Agência JB Online)

ECONOMIA - MINERAÇÃO - Vale enxuga estrutura e reduz equipe de diretores

Diante da dificuldade em retomar as vendas de minério, a Vale acelerou a reorganização de seu organograma para eliminar sobreposições de atuação. Na semana passada, quatro executivos deixaram a empresa, entre eles o ex-presidente do BNDES Demian Fiocca, que ocupava a diretoria de gestão e sustentabilidade.A Vale afirma que, no caso de Fiocca, foi um pedido de demissão. Segundo a Folha apurou, ele teria ficado insatisfeito com a redução de recursos de sua área. Com a saída de Fiocca, que chegou à Vale em 2007, o número de diretores-executivos cai de 6 para 5, e suas atribuições serão redistribuídas.Os outros três executivos que deixaram a companhia foram Olinta Cardoso, diretora de comunicação, Marco Dalpozzo, diretor global de recursos humanos, e Walter Cover, este último ex-assessor de José Dirceu quando era chefe da Casa Civil. Os três situavam-se um nível abaixo dos diretores executivos. Segundo a Vale, "Olinta saiu para cuidar de projetos pessoais".A companhia nada comentou sobre os outros dois, mas confirma que "está em curso um ajuste de estrutura, para buscar maior eficiência". Uma das empresas responsáveis pela refomulação é a Gradus Consultoria, de São Paulo.Sob a diretoria de Dalpozzo ficava a área que conduziu acordo de licença remunerada fechado com trabalhadores em Minas Gerais. No acordo, os funcionários parariam, mas receberiam metade do salário e benefícios garantidos. O acordo acaba em 1° de maio. Não se sabe se os 17 mil trabalhadores serão demitidos.Cinco meses depois de o mercado externo ter reduzido fortemente encomendas, a Vale ainda não retomou o ritmo de embarques pré-crise. Executivos do setor de mineração afirmam que, desde novembro, a ArcelorMittal, maior mineradora do mundo, não comprou praticamente minério da Vale.As encomendas da China teriam verificado uma alta nos últimos meses porque, diante da crise, a Vale vem buscando atender pequenas siderúrgicas chinesas que querem comprar diretamente da mineradora. Especialistas em mineração e pessoas próximas à Vale dizem que, nos anos de explosão do consumo de minério de ferro, a empresa cresceu de forma demasiada. Hoje, a companhia tem 62 mil funcionários. Há dois anos, eram 42 mil pessoas.Entre 2006 e 2008, período em que o lucro cresceu 61%, de R$ 13 bilhões para R$ 21 bilhões, as despesas administrativas avançaram 85%, de R$ 1,9 bilhão para R$ 3,6 bilhões.RecuperaçãoOntem, o diretor financeiro da Vale, Fábio Barbosa, afirmou que a empresa vem estudando formas de tornar viável, junto a bancos privados, a criação de linhas de financiamento para os fornecedores da companhia, sufocados pela crise no crédito. Barbosa afirma que o mercado vem dando sinais de recuperação."As vendas de imóveis na China estão em expansão, o que nos permite prever uma reaceleração no ciclo da construção civil do país".
Correio Braziliense

MINERAÇÃO - Vale confirma entrada da Dubal no capital da CAP

Valor Online
A Vale confirmou a entrada da Dubai Aluminium Company Limited (Dubal) no capital da Companhia de Alumina do Pará (CAP). Com a negociação, a Vale passará a ter 61% do capital total da CAP, contra 80% anteriormente. A norueguesa Hydro Aluminium continuará com 20%, enquanto a Dubal terá 19%.
A CAP implantará uma refinaria de alumina no município paraense de Barcarena. A unidade ficará a 5 quilômetros da refinaria de outra subsidiária da Vale, a Alunorte. Segundo a Vale, a entrada da Dubal no capital da CAP ainda está sujeita ao cumprimento de " certas condições " .
A refinaria de Barcarena terá capacidade inicial de 1,86 milhão de toneladas métricas por ano de alumina, por meio de duas linhas, cada uma de 930 mil toneladas métricas anuais. A projeção da mineradora é de que o início das operações aconteça no final de 2012, de acordo com as condições de mercado.
A edição de hoje do jornal Valor trouxe que a Vale estava concluindo a venda de uma participação acionária minoritária na CAP e que a nova sócia da mineradora brasileira seria a Dubal.

MAIS OUTRA DOS SENADORES - Lamento só da lama por aí

Renata Lo Preste da Folha.

Imobiliária.
No auge da série de escândalos administrativos, a direção do Senado se deparou com uma lista com pelo menos 12 apartamentos funcionais destinados aos senadores que estão ocupados por membros do Judiciário: são dez ministros do Superior Tribunal de Justiça e dois desembargadores, além do ministro do TCU Aroldo Cedraz.

Síndico.
Logo após a relação dos moradores circular, a Mesa Diretora decidiu nomear o terceiro-secretário, Mão Santa (PMDB-PI), para gerenciar a distribuição dos 72 apartamentos da Asa Sul de Brasília.

SOS.
O senador Marco Maciel (DEM-PE) apresentou projeto que autoriza o Executivo a criar o Fundo de Assistência Financeira Emergencial aos Municípios, destinado a garantir que as transferências das quotas-partes do FPM mantenham o valor dos repasses feitos no ano passado. Pela proposta, o socorro viria do Fundo Soberano.

Às origens.
A jornalista Tânia Fusco deixou o cargo de diretora da Subsecretaria de Divulgação e Integração do Senado, que ocupava apesar de atuar, no dia-a-dia, como assessora da líder do governo no Congresso, Roseana Sarney (PMDB-MA).

Laços 1.
Citado em documentos apreendidos pela Polícia Federal na Operação Castelo e Areia, que investiga suspeitas de evasão e lavagem de dinheiro envolvendo a Camargo Corrêa, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) mantém estreita relação com a construtora desde os tempos de governador, nos anos 90.

Laços 2.
Raupp foi um dos interlocutores do Palácio do Planalto durante o embate entre empreiteiras e órgãos ambientais para viabilizar o projeto da usina de Jirau, uma das vitrines do PAC. Em 2006, a Camargo declarou ter doado R$ 50 mil para a campanha de Marinha Raupp (PMDB-RO), mulher do senador, eleita deputada federal.

COBERTURA DO PODER - O pacto republicano

Por Luciano Martins Costa
Os jornais noticiam na terça-feira (14/3), mas não transmitem muito entusiasmo com o pacto assinado no dia anterior entre os representantes dos três poderes da República. O chamado "pacto republicano", anunciado como uma série de medidas legislativas criadas em consenso entre o Executivo, o Legislativo e o Judiciário, tem como objetivo principal conter os chamados abusos de autoridade.
Nenhum jornal estranhou a ausência de outras metas a serem perseguidas no esforço de conciliação entre os poderes. Não há citação, por exemplo, à avalancha de denúncias de irregularidades que vem minando a reputação do Congresso Nacional desde a reabertura dos trabalhos legislativos.
Os proponentes do acordo restringem seu alcance aos efeitos das ações policiais escandalosas mas, ao discutir os casos de abuso de autoridade, também anunciam restrições à atuação das Comissões Parlamentares de Inquérito, usadas rotineiramente como arma de pressão política e instrumento de disputas eleitorais.
Ótimas relações
Como todas as propostas deverão ser submetidas a votação na Câmara e no Senado, no final das contas quem vai decidir o que passa e o que será rejeitado serão os parlamentares, que são parte do problema.
Por exemplo, uma das medidas em discussão está resumida num projeto de lei do deputado Raul Jungmann (PPS-PE), que prevê pena de até oito anos de prisão para autoridades que cometerem abusos. Entre esses supostos abusos estariam a exposição de presos à imprensa, o uso de algemas de forma indevida e o vazamento de informações sigilosas por parte de investigadores e procuradores. O jornal O Estado de S.Paulo observa que medidas como essa podem inibir a ação policial e fragilizar as autoridades no combate ao crime.
Não há como escapar de certa interpretação maliciosa sobre determinadas medidas propostas no pacto. Nas mesma edição em que anunciam o acordo entre os três poderes, os jornais noticiam o afastamento do delegado Protógenes Queiroz, por tempo indeterminado, de qualquer função na Polícia Federal.
Protógenes é aquele delegado federal que prendeu e exibiu algemado, para a imprensa, o banqueiro Daniel Dantas, tido como homem de excelentes relações nos três poderes da República.

TECNOLOGIA (FACEBOOK) - MENINA EVITA SUICÍDIO DE AMIGO DEPOIS DE RECADO NA REDE SOCIAL

Uma garota dos EUA recebeu um recado de um adolescente inglês, no site de relacionamentos, com o qual ficou preocupada. A mensagem dizia que ele ia se machucar. A amiga sabia que ele estava deprimido. Ela, com ajuda dos pais, avisou a polícia dos EUA, que fez chegar o alerta à embaixada inglesa. Depois de três horas do recado do menino de 16 anos para a amiga, a polícia de Oxford, na Inglaterra, conseguiu descobrir o endereço e chegar à casa do garoto, que estava sofrendo uma overdose de drogas, mas estava consciente, de acordo com a rede britânica BBC.
Site de relacionamento FACEBOOK: http://www.facebook.com/

CONGRESSO - Novo "canal" para ganhar dinheiro fácil

Cabide parlamentar
Fonte do texto: Folha de São Paulo
PARECE ilimitada a desfaçatez no Congresso Nacional.
Descobre-se agora que a criação de quatro novas vagas de deputado federal -que representariam brasileiros domiciliados no exterior- é apenas a cereja de um bolo bem maior. Políticos estudam, também, a implantação de outros 75 cargos eletivos federais.
O propósito seria dotar com representantes remunerados o Parlamento do Mercosul. Numa conta aproximada, o custo extra do trem da alegria -somados o vagão "brasuca" e o sul-americano- superaria R$ 100 milhões anuais.
Atualmente o órgão do Mercosul tem um orçamento anual de R$ 2,2 milhões e dispõe de 18 representantes provisórios de cada país. No caso do Brasil, são nove deputados e nove senadores, que não ganham salário extra.
O protocolo constitutivo do Parlamento, de 2005, prevê que a partir de janeiro de 2011 ele contará com membros eleitos. O Brasil propõe a criação de 75 cadeiras para o país, mas os números definitivos ainda são negociados pelos países-membros.
Não se sabe se o bloco regional levará adiante a proposta original, pelo menos no cronograma acordado. Mas tamanha oportunidade era tentadora demais para que alguns congressistas a deixassem escapar.
Quando os principais sócios do Mercosul, Brasil e Argentina, se desentendem no básico -as regras para o livre comércio-, imitar a União Europeia e implantar um Parlamento regional é um despropósito quase anedótico. Quando o Congresso brasileiro é palco de todo tipo de escândalo e abuso das verbas públicas, cogitar da criação de mais 79 postos remunerados é de um sarcasmo a toda prova.
O momento é de sobriedade: de enterrar a proposta da "bancada brasuca" e de, no mínimo, postergar a criação de cargos eletivos para o Mercosul.

ECONOMIA - O caldo para o debate da crise econômica engrossou

Serra ataca BC e diz que país demorou para combater a crise.
Cotado para concorrer ao Palácio do Planalto, em 2010, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), elevou o tom das críticas contra as medidas adotadas pelo governo federal no combate à crise; nesta segunda-feira, ele lançou um pacote que promete socorrer médias e pequenas empresas do Estado; Serra ainda defendeu os reajustes concedidos aos servidores estaduais (imagens: divulgação); mais em UOL Economia: http://economia.uol.com.br.
Serra disse que o Banco Central entrou tardissimo para tomar medidas, em política monetária, ante a crise. Afirma que não da para continuar com os juros mais altos do mundo, numa economia em deflação. Qualquer um que saiba um pouco de economia sabe disso, disparou. O Governo pensou que a crise era passageira.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

POLÍTICA - PACTO REPUBLICANO DA UMA FORCINHA PARA BANDIDOS

Apesar de todos os elogios recebidos pelo “Pacto Republicano” assinado hoje em Brasília, entre os poderes da União, não da para deixar passar uma medida, inexplicável, como foi a de eliminar ou diminuir o uso das algemas, nos casos das apreensões policiais feitas em acusados de crimes. Há um pouco de tudo nas propostas inseridas no pacto. Tratam de escutas telefônicas, de algemas, de prisão preventiva, de abuso de autoridade, etc.
Essa medida só pode favorecer aos bandidos e quadrilhas organizadas, já que nas apreensões de políticos não existe essa preocupação. Eles estão perfeitamente protegidos pela lei, que os ampara.
Em outros países as apreensões da policia são feitas algemando os criminosos de pés e mãos, no Brasil, apesar de aumentar os índices de violência, os direitos humanos dos supostos “cidadãos’ que cometem crimes, são muito bem resguardados.
Um novo pacto deveria ser assinado pelos poderes da União, levar à justiça os responsáveis pela violação dos direitos humanos, durante os regimes ditatoriais no Brasil. Os países onde existiram ditaduras já estão encerrando os processos de condenas aos culpados pela repressão, tortura e assassinatos, por enquanto no Brasil a impunidade ainda continua. Existe só um Ministro do governo que tem encabeçado a missão de abrir os processos para levar à justiça os criminosos, é o Ministro Tarso Genro, que, lamentavelmente não tem tido muito apoio pelos companheiros do PT.

MEIO AMBIENTE - Contaminação transgênica de milho no Chile - Transgenic contamination of maize in Chile

O Instituto de Nutrição e Tecnologia de Alimentos (INTA), dependente da Universidade do Chile, detectou que milhos transgênicos contaminaram geneticamente plantações de milho convencional no Chile, em um estudo realizado no início do ano na região de O’Higgins. Na amostragem identificou-se que quatro das 30 propriedades estudadas, as que se encontram contíguas às produções de sementes de organismos geneticamente modificados (ogm), deram resultados positivos para contaminação transgênica, o que, a juízo de ecologistas, coloca em risco as exportações em agricultura orgânica e sementes convencionais das empresas dessa região.
A situação foi considerada como de “extrema gravidade” por Maria Isabel Manzur, membro da Fundação Sociedades Sustentáveis, já que “esses milhos contaminados são ilegais, pois não estão aprovados para consumo humano nem estão autorizados pelo sag para uso como semente”.
Manzur e a ecologista Sara Larraín solicitaram ao Ministério de Agricultura que realize estudos independentes para avaliar a extensão da contaminação dos cultivos e sementes no país, além de implementar medidas de controle da contaminação existente, a ratificação do Protocolo de Biossegurança e uma lei que proíba esses cultivos no país, por serem, a seu juízo, perigosos para o ambiente e para a saúde humana.
O Serviço Agrícola e Pecuário (SAG) autorizou em 2007 cerca de 25 mil hectares de ogm no território nacional, a maior parte de milho. Em paralelo, no Congresso se discute um projeto de lei, proveniente de senadores de diversos partidos políticos, que apóia a expansão dos cultivos transgênicos e não considera sua rotulagem.

http://www.cooperativa.cl/prontus_nots/

AQUI EM BRASÍLIA - O que é fashion

A coleção de escândalos do Congresso Nacional na temporada verão-outono deste ano está mesmo de arrasar. Desafiando a crise mundial, nossos estilistas tropicais se mostram mais do que nunca arrojados ao lançar novas tendências de apropriação do bem comum e outras modas.

O saldão começou cedo. Servidores que recebem hora extra durante o recesso parlamentar; parlamentares que esquentam despesas inexistentes com notas das próprias empresas; diretores que procriam como coelhos pelo Senado (são 38? 181?); parlamentares "éticos" que pagam suas domésticas com verba pública; contas telefônicas de R$ 6 mil mensais, em média; um festival de livros autopromocionais impressos com o dinheiro do contribuinte na gráfica do Senado.

Funcionários fantasmas, nepotismo, compadrios -são pequenas peças a compor o figurino do patrimonialismo e o guarda-roupa da corrupção. A coleção de abusos tem a grife do PMDB, mas é confeccionada por todos os partidos. O tricô corporativo dispensa ideologia.

Fernando Collor, um velho estilista da modernidade de antigamente, tido como cafona e ultrapassado, voltou à cena fashion de Brasília. Agora divide o palco com o jaquetão de José Sarney e não chega a roubar o brilho de estrelas em ascensão no cerrado, como Gim Argelo. São todos gratos pelos serviços de alfaiataria de Renan Calheiros.

Falta à temporada de maracutaias prêt-à-porter, é verdade, o glamour de outros escândalos, como o do mensalão, que revelou ao país os segredos da alta costura do PT. Ou o dos sanguessugas, que fez sucesso no varejo do baixo clero, para não lembrar dos Anões do Orçamento, roubança de corte mais tradicional.

Nossos artistas parecem incomodados com a "perseguição" da imprensa. É preciso preservar a instituição, alertam, como se o clichê retórico pudesse legitimar ou redimir a cultura interna do descalabro.A preocupação que eles revelam com a democracia é menos autêntica do que o sorriso da modelo diante dos flashes na passarela.
FERNANDO DE BARROS E SILVA da Folha.

ECONOMIA - Iniciativa da VALE incentiva apoio às pequenas empresas

Fórum Inove reúne parceiros da Vale

Após várias rodadas de discussão nos estados onde a Vale tem suas principais operações, aconteceu no Rio de Janeiro o primeiro fórum do programa Inove, voltado para a capacitação e a qualificação das pequenas e médias empresas das regiões em que a empresa atua. Uma das metas do programa é injetar R$ 120 milhões nas economias locais, através de convênios com bancos para o financiamento aos fornecedores.

O evento, que aconteceu nos dia 7 e 8 de abril, reuniu 60 pessoas que discutiram iniciativas para fortalecer o relacionamento da empresa com seus fornecedores. Estiveram presentes empresários, representantes de entidades de classe, órgãos do governo, instituições financeiras e educacionais de Pará, Maranhão, Minas Gerais e Espírito Santo.

O coordenador técnico da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), Evandro Diniz, destacou que o Inove também propiciará o fortalecimento do PDF nos estados. 'Investir no relacionamento com os fornecedores locais não é fator de competitividade apenas para a empresa lá instalada. É também uma iniciativa estratégica de responsabilidade social, e fortíssima. É assim que se gera empregos e renda localmente. E digo que o Inove é importante inclusive para a própria Vale, porque vai despertar seus empregados para a importância de solidificar a parceria com as empresas da cadeia', afirmou Diniz.

O representante da Fiepa citou como exemplo da importância do investimento nos parceiros locais uma empresa paraense, a Oyamota, que após anos de serviços prestados na região à Vale, chegou a um nível de especialização que passou a exportar seus serviços para o Sudeste.
José Vieira, representante do Instituo Euvaldo Lodi do Espírito Santo, lembrou que o grande desafio do fórum e do Inove é 'conseguir fazer com que todos enxerguem além do que é feito hoje, busquem outras formas de desenvolvimento da cadeia, e que sejam propostas e implementadas ações para buscar melhorias. O Inove é bom para a Vale e é bom para os fornecedores'.

Para Vieira, 'haverá um democratização das ações de desenvolvimento e essas ações serão realizadas segundo a realidade de cada região do País, pois o Brasil é muito grande e as realidades, muito distintas. É fundamental entender que os esforços devem vir dos dois lados: Vale e federações. Assim, as ações serão mais abrangentes e os resultados devem perdurar', concluiu.
Veja reportagem completa: http://www.orm.com.br/oliberal/

POLÍTICA INTERNACIONAL - O começo do fim do embargo a Cuba - Blog de Luis Nassif - The beginning of the end of the embargo on Cuba

Por paulo frança
Isso é História!

Obama suspende restrições sobre viagens e remessas a Cuba
13 de abril de 2009 • 11h40 • atualizado às 12h55 (faltou o link)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, decidiu nesta segunda-feira suspender as restrições às viagens e aos envios de remessas a Cuba, declarou um alto funcionário do governo. Obama deu ordens aos Departamentos de Estado, do Tesouro e do Comércio para que comecem a eliminar estas restrições e facilitar as comunicações com a ilha.
As medidas foram acompanhadas por um apelo ao governo de Cuba para que não interfira nas remessas de dinheiro e produtos. Segundo o funcionário, o objetivo da iniciativa tomada hoje é “apoiar o desejo do povo cubano de determinar seu próprio destino”. A partir de agora, as pessoas que quiserem poderão enviar remessas e ajuda humanitária à ilha. Também foi suspenso o veto a produtos como sementes e artigos para pesca.
As remessas poderão ter como destinatário qualquer cidadão de Cuba, com exceção de funcionários do regime. A medida já tinha sido prevista, após a visita de parlamentares americanos a Cuba. Ainda que, antes mesmo da decisão oficial, republicanos tenham criticado a postura do presidente e dos deputados democratas. “Eu e muitos outros estamos desapontados com membros do Congresso que viajaram até um país totalitário”, disse o republicano Chris Smith ao USA Today.
A democrata Barbara Lee, uma das que visitaram Cuba, chegou a fazer elogios a Fidel Castro. “Ele é um homem muito esperto, muito amável”. Já o democrata Bobby Rush disse que ouvir Fidel falando é “quase como ouvir um velho amigo”. Jaime Suchlicki, diretor do Instituto para Estudos Cubanos e Cubano-Americanos, da Universidade de Miami, disse que ele está chocado com tais declarações vindas de parlamentares. “É uma desgraça”, declarou ao USA Today.

ECONOMIA INTERNACIONAL - China e os Investimentos em tempo de crise - 中国投资和在发生危机的时候

No atual cenário de crise econômica mundial, os analistas vem a china como um país que terá um papel relevante em diversos âmbitos. Espera-se que o gigante asiático não apenas atue realizando empréstimos de dinheiro, bem como saindo a investir cada vez com mais força.

Em chino a palavra crise significa ao mesmo tempo perigo e oportunidade. Uma ideia que tem bem clara o gerente geral de investimento da empresa chilena Jesa, Saro Capozzoli, cuja casa matriz está no gigante asiático. Para Capozzoli a atual crise internacional transformará a China em um grande inversionista e não apenas em um prestamista de recursos. Esta crise para China é um evento importante porque hoje o mundo está olhando para China nesse sentido.

"É evidente que China sempre é importante pelo tamanho do seu mercado interno". Por esta mesma razão, Capozzoli recomenda ás empresas deixar de ver a China como um país para produzir bens baratos, e ver também o país como uma boa plataforma para realizar negócios.

MAIO AMBIENTE - O Carbono do desmatamento colocaria o Brasil entre os maiores poluidores do mundo


As emissões de carbono provenientes do desmatamento são significativas e colocariam o Brasil, caso fossem contabilizadas, na quarta ou quinta posição entre os maiories emissores de carbono do Mundo.
Por causa disso, segundo o presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Carbono (Abemc), Flávio Gazani, os países industrializados deverão exercer forte pressão para incluir os projetos de conservação florestal no novo acordo que deverá substituir o Protocolo de Quioto, a partir de 2012. “Por isso, eu acho que o país vai sofrer uma pressão muito grande nas próximas negociações”, afirmou em entrevista à Agência Brasil.
Para o presidente da Abemc, as nações industrializadas procuram incluir esse tipo de projeto no protocolo “mais preocupadas com a nossa floresta, ainda com grandes áreas preservadas. Porque as suas [florestas] quase não existem atualmente”.
O governo brasileiro é contra a inclusão dos projetos de conservação florestal no acordo, por uma questão de soberania nacional, explicou Gazani. “A posição do Itamaraty tem sido historicamente contra a inclusão de projetos de desmatamento ou de conservação florestal. Até por receio de algum tipo de moção anti-desenvolvimentista, conservacionista, imposta ao nosso país”, afirmou.
Nenhum país pode, atualmente, incluir projetos de conservação florestal no Protocolo de Quioto como projetos de redução de emissões de gases poluentes, o chamado Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL). O protocolo permite apenas duas modalidades de projetos de MDL na área florestal: reflorestamento de áreas degradadas ou aflorestamento, ou seja, o plantio em áreas que nunca tiveram árvores. “Conservação florestal, ou desmatamento evitável, não é elegível como projeto de MDL”, disse Flávio Gazani.
Os projetos que não são aceitos pelo Protocolo de Quioto são aceitos pelo mercado voluntário, que funciona em paralelo ao mercado regulado, e é movido pelas iniciativas de empresas que têm medidas voluntárias de redução de emissão.
Um exemplo é o projeto do governo do Amazonas que recebeu financiamento do Bradesco, por meio do programa Banco do Planeta. Foi criada a Fundação Amazonas Sustentável, considerada uma ferramenta fundamental na implementação da Política Estadual de Mudanças Climáticas no estado. Ela tem por objetivo combater o desmatamento, além de contribuir para a construção de uma relação harmônica entre o homem e a floresta, por meio da promoção de projetos de uso sustentável dos recursos florestais.
O novo tratado climático que substituirá o Protocolo de Quioto deve ser concluído até dezembro próximo, na reunião da Organização das Nações Unidas, programada para ocorrer em Copenhague, na Dinamarca.
Fonte: Agência Brasil.

domingo, 12 de abril de 2009

AMBIENTALISMO - DEBATE AQUECIDO

Ao ironizar a poluição causada por ONG ambiental, mídia ignora possibilidade de mudanças no planeta

Parte da mídia de massa, inicialmente cética sobre as advertências apocalípticas dos ambientalistas sobre o aquecimento global, hoje os ataca por continuar chamando a atenção para o problema. Sua estratégia é tão transparente quanto um truque de um mágico ruim.Sempre que um grupo verde organiza um protesto ou patrocina um evento para aumentar a consciência sobre a mudança climática, essa mídia se concentra nos gases do efeito estufa (GEE) emitidos por suas atividades para afirmar que ele faz parte do problema, não da solução.Essa estratégia foi usada por uma apresentadora do telejornal da TV Cultura e por uma reportagem do jornal "O Globo" para criticar um recente protesto do Greenpeace.

O foco das críticas foram as GEEs emitidas por um engarrafamento causado quando ativistas da ONG estenderam uma faixa enorme na ponte Rio-Niterói para fazer um alerta sobre o aquecimento global para os integrantes do G20.Efeito reversoEssa foi a estratégia usada por alguns grupos de mídia dos EUA para criticar a Hora da Terra, um evento ocorrido em 28 de março e patrocinado pelo Fundo Mundial pela Natureza.

Em todo o mundo, luzes e aparelhos elétricos não-essenciais foram desligados em residências e em pontos marcantes, entre 20h30 e 21h30, para aumentar a consciência sobre como o uso da eletricidade alimenta o aquecimento global.Alguns jornais disseram que o planejamento da Hora da Terra aumentou as emissões de GEE mais do que elas foram reduzidas por apagar as luzes.Do mesmo modo, o canal de notícias Fox News chamou a atenção para as altas contas de eletricidade e as extensas viagens de avião do ativista contra o aquecimento global Al Gore.

Se Gore acreditasse em sua causa, afirmou a rede, usaria lâmpadas e aparelhos que poupam energia e voaria menos.Algumas reportagens adotaram uma posição semelhante ao notar que os participantes de conferências internacionais sobre mudança climática aumentam as emissões de GEE ao viajarem de avião.Lógica estranhaUsando essa lógica, todo ativismo ligado à mudança climática deveria acabar porque aumenta as emissões de GEE.

Por essa lógica, todos os ativistas ambientais são poluidores irresponsáveis.Se isso fosse verdade, por que as ONGs que participam de conferências ambientais compram créditos de carbono -por exemplo, investindo em projetos de redução de GEE- para neutralizar as emissões lançadas pela ida a esses eventos?ONGs como o Greenpeace também fizeram da redução do desflorestamento da Amazônia uma campanha central porque, se incluirmos as emissões de CO2 do desmatamento, o Brasil é o quarto maior emissor de GEEs do mundo, depois de China, EUA e Indonésia.Em 2007, o Greenpeace e oito outras ONGs pressionaram o governo para adotar seu Pacto de Desmatamento Zero, um plano para conter a destruição da Amazônia até 2015.

O governo o recusou por causa dos custos e de suas metas antidesmatamento, mas em dezembro de 2008 lançou seu próprio Plano Nacional de Mudança Climática, com metas mais modestas.Bomba-relógioParte da grande mídia ignora esses esforços da mesma maneira que tende a não divulgar indústrias poluentes que se recusam a mudar para processos de produção menos poluentes e produtos de maior eficiência energética.São essas indústrias e países, como os EUA e a Austrália, que se recusaram a assinar o Protocolo de Kyoto, e não os grupos verdes, os culpados pelo aumento das emissões de GEE.

Muitas reportagens não nos lembram que, embora as ameaças de recessão global ou de uma bomba terrorista sejam mais imediatas que as representadas pelo aquecimento global, ele também é uma bomba-relógio com consequências muito mais devastadoras.A reportagem de "O Globo" também não nos contou que a Polícia Rodoviária, que bloqueou a ponte Rio-Niterói para deter os manifestantes, foi a principal causa do engarrafamento de 18 quilômetros.Por isso, se você foi um dos motoristas irritados que empacaram na ponte durante o protesto, seria mais produtivo se concentrar em sua mensagem -de que nosso tempo está acabando- do que em seu mensageiro inconveniente.
MICHAEL KEPPCOLUNISTA DA FOLHA

ECONOMIA INTERNACIONAL - México um Estado falido? visita de OBAMA gera expectativas

Visita ao México acontece em meio a tensão bilateral.

Relações se deterioraram devido ao narcotráfico na fronteira entre os dois países Pentágono apontou risco de vizinho latino se tornar "Estado falido"; visita é a primeira de um presidente americano desde 1996.

Em janeiro, um estudo do Pentágono afirmou que o México poderia se tornar um "Estado falido". A declaração repercutiu e acendeu um rastilho de pólvora que custou a Obama o envio de vários membros de seu ministério ao país para apagar, entre eles a secretária de Estado, Hillary Clinton, que foi adiante e disse que a política antidrogas dos EUA "falhou".

A declaração causou espécie em Washington -não é comum que o ocupante do posto diplomático mais alto do país fale mal das políticas locais no exterior-, mas há a percepção na Casa Branca de que também é preciso "zerar" as relações com o parceiro do sul.Além disso, a ex-primeira-dama não está totalmente errada. A Iniciativa Mérida -plano de combate às drogas no México e na América Central aprovado há três anos pelo Congresso dos EUA e que segue os moldes do Plano Colômbia- custa a sair do papel. Segundo o "Washington Post", do US$ 1,4 bilhão aprovado, apenas US$ 7 milhões foram gastos.Para César Duarte, presidente da Câmara dos Deputados mexicana, a iniciativa é símbolo das relações desiguais com os EUA. "O plano teve muita publicidade, mas pouco efeito real nos problemas que enfrentamos."
(SÉRGIO DÁVILA, UOL)

AMAZÔNIA - O Estado do Amazonas lança Rede de Malária

Serão destinados R$ 15 milhões para as pesquisas da Rede de Malária, lançada esta semana pelo governo do Amazonas. Esse valor será aplicado nas pesquisas durante 36 meses, que podem ser prorrogados por mais 36. A doença exige monitoramento e controle constantes na região, onde a ocorrência é grande.
Participam da rede o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) – na formação de recursos humanos, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (SECT), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), UEA e o Ministério da Saúde (MS).
A Rede é liderada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), que conta com o apoio de Fundações dos Estados do Pará, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Maranhão e Mato Grosso.
Durante o lançamento o diretor presidente da Fapeam, Odenildo Sena, destacou a ação da rede que vai avançar a pesquisa em relação à malária. “Nesse sentido, há dois pontos”, disse, “o primeiro, conseguirmos reunir recursos federais e estaduais e, segundo, somar esforços intelectuais e competências”.
O programa está estruturado para cinco anos, sendo que os recursos para os três primeiros, já estão assegurados. Ainda este ano um edital deve ser lançado nos mesmos moldes que a Rede de Malária, para aprofundar os estudos em relação à dengue.
Com informações da Ascom.

AMAZÔNIA - SBPC - Últimos dias para apresentar resumos de trabalhos

Amanhã se esgota o prazo para o envio de resumos de trabalhos para participar da 61ª reunião de SBPC- Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Acesse o site da SBPC e confira detalhes do Evento.


Sobre a Programação Científica e sede da SBPC:
Submissão de resumo: lea@sbpcnet.org.br
Programação Científica: fernanda@sbpcnet.org.br
Outras informações: eventos@sbpcnet.org.br
Telefone: (11) 3259-2766
ExpoT&C – Informações e venda:
Simone Franco - LNCC / MCT simone@sbpcnet.org.br
Carlos Bueno - INPA / MCT bueno@inpa.gov.br