Google+ Badge

sábado, 4 de julho de 2009

SUSTENTABILIDADE - Costa Rica é o lugar mais feliz e mais verde do mundo


A Costa Rica, o país com menos de 5 milhões de habitantes ensanduichado entre o Panamá e a Nicarágua, ficou no topo do ranking global de combinação de vida longa e feliz com limitada degradação ambiental.

O país mistura um belo interior, uma grande diversidade de espécies e há muito tempo se livrou de seu exército. A fusão de seus ministérios da energia e meio ambiente reverteu o desmatamento e ajudou o país a produzir 99% de sua energia a partir de fontes renováveis. Ela também apresentou altas notas, em relação a outros países em desenvolvimento, nas pesquisas sobre pobreza, liberdade de imprensa e democracia.

O Índice Planeta Feliz ("Por que uma boa vida não precisa custar o planeta") publicado na sexta-feira pela New Economics Foundation, com sede no Reino Unido, combina medições de expectativa de vida, felicidade e pegada ecológica para avaliar a sustentabilidade do crescimento em 143 países.

O fato dos 10 mais da lista dos países "mais verdes e mais felizes" ser dominado pela América Latina pode gerar alguma desconfiança, já que a região é mais conhecida na imaginação ocidental por suas favelas, desigualdade e golpes de Estado. O Zimbábue ficou em último lugar, juntamente com uma dúzia de outros países do sul, leste e centro da África.

Veja matéria na íntegra aqui

E aqui materia da fonte original no site da New Economic Foudations NEF

SAÚDE - NÃO TENHO MEDO DA MORTE E SIM DE PERDER A DIGNIDADE - I HAVE NO FEAR OF DEATH AND YES THE DIGNITY OF MISS

Essas foram as palavras do Vice-Presidente José Alencar quando foi perguntado se teria medo da morte. Ele agregou que existiam poucas pessoas públicas neste País com quem ele pooderia tirar uma foto a vontade.
Sua energia, seu espírito de luta para enfrentar desafios, sua ética e visão de futuro são seu maior exemplo para a sociedade e especialmente, juventude brasileira.

TODO O POVO DO BRASIL REZA PELA SAÚDE DO JOSÉ ALENCAR

Veja a matéria sobre a internação

O presidente da República em exercício, José Alencar, voltou a ser hospitalizado neste sábado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após passar mal em Brasília. Ele foi diagnosticado com câncer abdominal há 12 anos.

De acordo com a Globo News, uma tomografia no abdome identificou uma obstrução intestinal parcial provocada pelo tumor.

A expectativa é de que ele continue internado em jejum por pelo menos dois dias recebendo soro pela veia. Se essa hidratação não for suficiente para desobstruir o intestino de Alencar, ele terá de ser operado.

A internação de hoje estava fora do previsto porque Alencar costuma passar pelo Sírio apenas às quintas-feiras. Uma vez por mês, ele vai a Houston, nos Estados Unidos, para se submeter a um tratamento experimental.

Folha Online

UFPA - O REITOR CARLOS MANESCHY MOSTROU PORQUE É REITOR DA MAIOR UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA

Ficou claro para toda a sociedade paraense e dezenas de representante de todos os poderes de União, porque o Prof. Calos Maneschy era a melhor opção para exercer o mandato de Reitor.

O ex-reitor sabia disso, ele ouviu diversas vezes e acredito de diversas pessoas o que era óbvio: a maior competência e qualidades do Maneschy para conduzir essa nova fase da universidade.

O Alex não pensou seriamente sobre o grande desafio que implicava conduzir para melhores patamares de desenvolvimento a construção de uma universidade da importância da UFPA, que deverá ser o centro de uma nova concepção do desenvolvimento da Amazônia. O ex-reitor só pensou em uma pessoa, no último momento do segundo tempo, em quem podia ser mais fiel a sua pessoa e também estava errado, já que ele não procurou fidelidade ao projeto de universidade e sim apenas fidelidade pessoal, acima da competência. O pior é que a própria candidata Regina Feio sabia disso.

A posse do Reitor Carlos Maneschy e sua proposta ampla, inovadora e extremamente pragmática, mostraram porque a alternativa com visão de futuro era, não apenas a melhor opção, como a única que a universidade podia escolher.

O ex-reitor se deu um grande tiro no seu próprio pé, cometendo um erro básico do dirigente que peca de egocentrismo: não criar lideranças, não formar quadros. O temor de formar lideres melhores do que ele mesmo, esse é o medo dos dirigentes que possuem uma mentalidade estreita demais, um ego que não cabe no seu peito. Chegado o momento de deixar o lugar para alguém continuar sua "obra" não tem ninguém, aí é quando corre para pegar o mais fiel da sua equipe e não aparece o lider que a universidade requer. Não conta com ninguém, fica só carregando nas costas, a pior proposta de candidato (a)possível e assume pessoalmente a campanha como algo particular.

Retomar a construção da universidade mais importante da Amazônia, no dia de hoje é um desfio de grandes proporções. Nesta década e, particularmente nos últimos 5 anos, a Região Amazônica foi reconhecida como um lugar estratégico no planeta, diferentemente de décadas anteriores, hoje as novas visões sobre a aquecimento global, sobre as possibilidades de utilizar os chamados créditos de carbono, os efeitos perversos do desmatamento sobre a destruição global e, sobre tudo, a necessidade de conferir valor econômico à biodiversidade, colocam às instituições de ensino e pesquisa na dianteira desse processo.

Essa foi a leitura da maioria dos que assistimos o discurso de Reitor Carlos Maneschy e os desafios que se impõem à universidade ele já assumiu e a comunidade toda mostrou que estava com essa proposta e estará com esse compromisso na nova gestão que ontem se iniciou com uma grande festa do conhecimento, da sabedoria e da inteligência.

Saneamento ainda é "um verdadeiro buraco", no Brasil



Por Elaine Patrícia Cruz, da Agência Brasil

Entre 79 cidades brasileiras com mais de 300 mil habitantes, Franca, no interior paulista, é a que oferece à população o melhor serviço de saneamento básico disponível, conforme pesquisa divulgada nesta quinta-feira (2/7) pelo Instituto Trata Brasil.

Segundo o estudo, baseado em dados do Sistema Nacional de Informação sobre Saneamento do Ministério das Cidades, as cidades brasileiras avançaram 14% nos serviços referentes a esgotos e 5% no tratamento entre os anos de 2003 e 2007, mas, para os pesquisadores, os números ainda são insuficientes.“O que os dados mostram é que a coleta de esgoto é muito pior que a coleta de lixo e o acesso às redes de água e eletricidade. E, na verdade, os níveis de tratamento [de esgoto], que são os que garantem o manejo correto dos dejetos, ainda estão muito abaixo. O problema de saneamento é um verdadeiro buraco para o Brasil, e o país não consegue resolver”, afirmou o pesquisador Marcelo Néri, chefe do Centro de Políticas Sociais, vinculado ao Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas.

Sete das dez cidades que apresentaram os melhores números no atendimento de saneamento para sua população ficam em São Paulo. Por ordem, as dez primeiras colocadas são Franca (SP), Uberlândia (MG), Sorocaba (SP), Santos (SP), Jundiaí (SP), Niterói (RJ), Maringá (PR), Santo André (SP), Mogi das Cruzes (SP) e Piracicaba (SP). A capital mais bem colocada no ranking é Curitiba (PR), no 11º lugar. São Paulo aparece na 21ª colocação e o Rio de Janeiro, na 36ª.

Entre as cidades com piores serviços de saneamento básico, quatro estão localizadas no estado do Rio de Janeiro: São Gonçalo, Duque de Caxias, Nova Iguaçu e São João de Meriti. Também fazem parte da lista as capitais de Rondônia (Porto Velho), do Pará (Belém) e do Amapá (Macapá) e as cidades de Cariacica, no Espírito Santo, Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, e Canoas, no Rio Grande do Sul.

O estudo também levou em consideração a percepção das pessoas sobre os serviços públicos disponíveis, baseando-se em dados da Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar (Pnad) de 2007, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com esse levantamento, apenas 49,44% da população brasileira tem rede de esgoto. O número é muito inferior ao da rede de água encanada (81,11%), de lixo coletado (86,79%) e de eletricidade (98,18%).

Segundo o pesquisador, a questão do saneamento básico deveria ser uma das prioridades em políticas públicas, já que a sua ausência traz muitos impactos negativos na vida das pessoas. “A falta de saneamento implica pior desenvolvimento humano em todas as dimensões, em particular na saúde. A falta de saneamento rouba a vida e mata crianças, principalmente de 1 a 6 anos de idade, e também gera consequências futuras para aqueles que sobrevivem às doenças do saneamento.

"Marcelo Néri observou que a pesquisa mostra que está havendo redução na altura e no índice de massa corporal das pessoas que vivem em localidades que não têm ou oferecem serviços deficientes de saneamento."A falta de saneamento inibe o desenvolvimento físico e intelectual das pessoas”, disse o pesquisador.Para ele, o problema da falta de saneamento só será resolvido com vontade política e mobilização social. “Não é só dinheiro. Dinheiro é importante, mas, fundamentalmente, é gestão. E, para isso, a população tem de estar conscientizada. Tem que perceber que a falta de saneamento não é só o cheiro, não é só a coceira. É doença.” Néri ressaltou que as pessoas precisam de pressionar o prefeito de sua cidade e cobrar avanços no saneamento básico.

Agência Brasil e Envolverde

sexta-feira, 3 de julho de 2009

ECONOMIA - Brasil aposta em programa habitacional para aquecer economia e ampliar acesso a casa própria


Jonathan Wheatley


Alberto Silva da Cruz, um segurança de 28 anos, e a sua mulher, Genilsa, uma faxineira de 32 anos, acabaram de entrar na fila de cerca de 200 metros de extensão em frente ao Feirão da Caixa, uma feira imobiliária anual criada pela Caixa Econômica Federal, o Feirão da Casa Própria recebe mais de 15 mil pessoas no dia 21 de maio, em São Paulo

banco estatal brasileiro de poupança e hipotecas.

Ainda não são 9h. Falta ainda mais de uma hora para a abertura do banco, quando a fila terá o dobro do tamanho, já que mais casais e famílias jovens chegarão para terem uma oportunidade de comprar a primeira casa própria através de um projeto governamental de incentivo chamado "Minha Casa, Minha Vida", que investirá R$ 60 bilhões no mercado imobiliário brasileiro. "Sem o Minha Casa, Minha Vida, nós não estaríamos aqui", explica Genilsa. "As taxas de juros são muito altas e as prestações muito grandes. Mas agora acreditamos que poderemos".

Veja aqui na íntegra

Lula diz a Sarney que crise é guerra contra seu governo

Dau na Folha.
VALDO CRUZ
ANDREZA MATAIS
Colaborou KENNEDY ALENCAR,
da Sucursal de Brasília

Para presidente, situação no Senado se deve à tentativa da oposição de desestabilizar aliança entre PMDB e PT em 2010.

Após conversa com o petista, senador disse que, diante da mudança no discurso do PT, ficaria "fora de cogitação" deixar a presidência da Casa.

Veja na íntegra

PARÁ - A GOVERNADORA DISSE QUE CONFIA NA JUSTIÇA

A governadora do Estado Ana Julia declarou que tem plena confiança na justiça e que não está preocupada com as denúncias sobre o suposto superfaturamento de KITS escolares a estudantes da rede estadual de ensino. As ações são legais declarou a Governadora e assim vai se pronunciar a justiça.

Na realizade, essa ação do governo do Estado (a de realizar investimentos na educação pública) tem sido um dos focos do Governo de Estado: investir na educação pública e gratuita. Independente das ações da justiça o governo não deve deixar de lado os programas de assistência ao ensino público, ao contrário, este fato deveria servir de reflexão para, precisamente, aumentar os recursos e assim, deixar para trás, as críticas e denúncias que podem afetar as ações de educação no Estado.

Se um funcionário cometeu delito ou errou, ele quem deve sofrer as ações da justiça e ñão o Governo que está no caminho certo.

PARÁ - Complicou-se a vida da Secretária de Educação do Estado - DEU NO BLOG DO ESPAÇO ABERTO

A vida da Profª Iracy de Almeida Gallo Ritzmann

Secretária de Estado de Educação complicou-se de vez pelas ações do Ministério Público Federal e do Estado. Parece também que sua declaração "esclarecendo os Fatos" longe de esclarecer deu motivo para novas controvérsias. Veja a anãlise do Blog do "Espaço Aberto", do Pará, sobre a NOTA ESCLARECEDORA DA SEDUC.

Do Espaço Aberto:

1. “[...] Tenho a consciência tranquila de ter agido corretamente ao distribuir...”
Secretária, na Administração Pública, “consciência tranquila” não é e nunca foi jamais, em tempo algum, na História deste e de outros países, deste e de outros planetas, critério aceitável para se aferir a legalidade dos atos de um gestor – do primeiro ao milésimo escalão. “Consciência tranquila” é resultado de processo crítico que se passa no íntimo de cada um. Na Administração Pública impera, entre outros, o princípio da legalidade. Pergunte ao dr. Carlos Ledo, seu assessor jurídico, que ele explicará a Vossa Excelência se o princípio da legalidade tem alguma relação – por mais remotamente que seja – com “consciência tranquila”.

2. “Parte das camisas foi confeccionada por cooperativas formadas por jovens do programa Bolsa Trabalho, reforçando ainda mais o alcance desta importante iniciativa social do Governo Popular.”
Não se discute a importância social desses kits. Este blog mesmo já ressaltou isso várias vezes. A iniciativa é das mais louváveis. E poderia consagrar o governo Ana Júlia. Mas, secretária, iniciativas de largo alcance social, quaisquer que sejam, não podem prescindir de ditames legais. Sob hipótese alguma. É o que se discute neste caso.

3. “Reafirmo meu compromisso com a educação pública gratuita e de qualidade e com o desenvolvimento de uma gestão educacional democrática e republicana.”
Esse compromisso não é só seu, secretário. É de toda a sociedade. Educação pública gratuita e de qualidade e com o desenvolvimento de uma gestão educacional democrática e republicana é uma aspiração de todos. O que é que esse compromisso e essa aspiração têm a ver com superfaturamento de R$ 7, 330 milhões?

4. “Quanto à decisão judicial envolvendo o meu nome, daremos - eu e minha equipe -, logo que citados oficialmente, todas as informações e declarações à Justiça do Pará, para comprovar o acerto e a correção da nossa medida.”
Secretária, no momento propício, não esqueça de pedir – seja à sua assessoria jurídica, seja à Procuradoria-Geral do Estado – que esclareçam em juízo a questão das compras – superfaturadas, segundo o Ministério Público – de 1 milhão de agendas e de 1 milhão de mochilas, tudo sem o indispensável processo licitatório. Esse pedido é necessário, dra. Iracy, porque se a sua defesa em juízo for igual ao teor de sua nota, a senhora poderá ser prejudicada. Porque sua nota não aborda, numa linha sequer, a questão da compra das agendas e das mochilas. Já pensou se a defesa de Vossa Excelência cometer essa omissão?

VEJA AGORA A NOTA DA SEDUC.

NOTA DA SEDUC

Em relação ao que foi veiculado na imprensa relacionado ao Programa Pará, Minha Terra, Minha Escola, Minha Paz e envolvendo o meu nome, quero reafirmar que tenho a consciência tranquila de ter agido corretamente ao distribuir, para quase um milhão de estudantes da rede estadual de ensino, um kit composto de mochilas, agendas e camisas do uniforme escolar.
Um benefício inédito em nosso Estado, o Programa Pará, Minha Terra, Minha Escola, Minha Paz produziu resultados positivos para os estudantes, suas famílias e a comunidade.
Pela primeira vez, os Conselhos Escolares receberam recursos diretamente para a aquisição dos uniformes, descentralizando o processo de compra e favorecendo dezenas de pequenos fabricantes e a economia local.
Parte das camisas foi confeccionada por cooperativas formadas por jovens do programa Bolsa Trabalho, reforçando ainda mais o alcance desta importante iniciativa social do Governo Popular.
Os milhares de jovens e suas famílias que, pela primeira vez, tiveram direito ao seu uniforme escolar garantido pelo estado, sabem que o que nós fizemos foi importante e positivo.
Por fim, reafirmo meu compromisso com a educação pública gratuita e de qualidade e com o desenvolvimento de uma gestão educacional democrática e republicana.
Quanto à decisão judicial envolvendo o meu nome daremos - eu e minha equipe -, logo que citados oficialmente, todas as informações e declarações à Justiça do Pará, para comprovar o acerto e a correção da nossa medida.

Belém, 1º de julho de 2009
Iracy de Almeida Gallo Ritzmann
Secretária de Estado de Educação

Veja aqui a história, blog do Espaço Aberto"

Veja Curriculo Lattes da Profª Iracy de Almeida Gallo RITZMANN

Veja também maiores referências da Profª Iracy de Almeida Gallo RITZMANN

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Reitor da Universidade Federal do Pará Carlos Maneschy toma posse em Brasília

Ao dar posse aos novos reitores das universidades federais do Amazonas e do Pará, nesta quinta-feira, 2, o ministro da Educação, Fernando Haddad, lembrou que a educação acelera seu processo de desenvolvimento nos dois estados e que isso depende, cada vez mais, do compromisso de todos com o desenvolvimento nacional. Assumiu a reitoria da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Márcia Perales Mendes Silva, e da Universidade Federal do Pará (UFPA), Carlos Edílson de Almeida Maneschy.

De acordo com o ministro, os índices de desenvolvido da educação básica ainda são baixos no Amazonas e no Pará e isso constitui um desafio também para as universidades, especialmente na formação de professores. O aumento dos repasses da União, com a criação do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), segundo Haddad, é uma forma de ajudar os estados a melhorar a qualidade das escolas públicas. Os repasses do governo federal que no Fundef eram de R$ 500 milhões por ano, disse, subiram para R$ 5 bilhões com o Fundeb, e isso vai repercutir na melhoria da qualidade da educação.

Sintonizadas com o desafio de oferecer graduação aos professores da educação básica em exercício nas redes públicas estaduais e federais, proposta pelo governo federal no Plano Nacional de Formação de Professores, a Ufam e a UFPA abrem este ano 935 vagas em licenciaturas presenciais. São vagas exclusivas, carimbadas, segundo Haddad, para professores que estão lecionando nas redes dos dois estados.

Destas 935 vagas, a Ufam abre 680 em oito licenciaturas. Os cursos de graduação presencial, de primeira e segunda licenciatura, serão oferecidos nos campi de Humaitá (370 vagas) e de Itacoatiara (310 vagas). Também para ingresso imediato, a UFPA oferece 255 vagas em seis cursos presenciais, de primeira licenciatura. As vagas estão distribuídas nos campi de Belém (120), Barcarena (120) e Altamira (15).

CERIMÔNIA LOCAL: Em Belém, haverá transmissão do cargo com a participação da comunidade acadêmica, na sexta-feira, 3 de julho, que será realizada às 10h, no Centro de Convenções da UFPA. Também tomarão posse de seus novos cargos, na ocasião, o vice-reitor, Horácio Schneider, e os pró-reitores designados para a equipe do professor Maneschy: Marlene Freitas (PROEG), Emmanuel Tourinho (PROPESP), Fernando Neves (PROEX), Erick Pedreira (PROPLAN), Edson Ortiz (PROAD), João Cauby Júnior (PROGEP) e Flávio Nassar (PROINTER), além do diretor da FADESP, João Guerreiro, e do prefeito da Cidade Universitária, Alemar Rodrigues Júnior.

Assessoria de imprensa do MEC e UFPA

BIODIVERSIDADE - Evento apresentou plano para cadeia da castanha-do-brasil

A formação da Câmara Setorial da Cadeia da Castanha-do-brasil foi um dos objetivos do Workshop Castanha-do-brasil, que aconteceou de 15 a 17 de junho, no Instituto Israel Pinheiro, em Brasília (DF).

Cerca de 80 participantes, entre representantes dos Povos e Comunidades Tradicionais e da Agricultura Familiar (PCTAF), setor empresarial, organizações não-governamentais ligadas a agricultura familiar e meio ambiente, entidades de pesquisa e representantes dos governos estaduais e federal estiveram presentes no encontro.

A abertura aconteceou na segunda-feira (15)com as presenças do secretário de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Adoniram Sanches Peraci (SAF/MDA); do diretor de Logística e Gestão Empresarial da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Silvio Porto; do diretor da Cooperação Técnica Alemã no Brasil (GTZ), Ulrich Krammenschneidir; do secretário de Articulação Institucional e Parcerias do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Ronaldo Coutinho Garcia; e do secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Egon Krakhecke.

O workshop apresentou o Plano de Ação para a Castanha-do-brasil, elaborado a partir de diagnóstico já submetido à apreciação de organizações que desenvolvem trabalhos com o fruto nos estados do Amazonas, Pará, Acre, Amapá, Rondônia e Mato Grosso. Também serão definidos os responsáveis pelas ações propostas pelo plano e as atribuições da Câmara Setorial da Cadeia da Castanha-do-brasil, que foi constituída.

Plano Nacional

Na terça-feira (16), com a presença dos ministros do Desenvolvimento Agrário (MDA), Guilherme Cassel; do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Patrus Ananias; do Meio Ambiente (MMA), Carlos Minc; e da subchefe adjunta da Casa Civil, Tereza Campelo, foi assinada a portaria interministerial com as orientações para implementação do Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade.

A portaria cria o Grupo de Trabalho Interministerial (GTI) denominado Grupo de Coordenação do Plano Nacional que tem as atribuições de articular as ações de governo para implementação do Plano Nacional e selecionar as cadeias de produtos da sociobiodiversidade que serão prioritárias, além de estabelecer as diretrizes para elaboração e implementação dos seus respectivos planos de ação e propor a criação, a composição e as atribuições da câmara setorial por cadeia.

O Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade foi lançado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em abril de 2009. É fruto de uma articulação dos ministérios do Desenvolvimento Agrário, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e do Meio Ambiente e de um processo de consulta e socialização junto a órgãos dos governos federal e estaduais, agência de cooperação internacional, setor empresarial, agências de fomento e a sociedade civil organizada.

Nesse primeiro ano, as ações de implantação do Plano iniciam pelas cadeias da castanha-do-brasil e do babaçu, envolvendo representantes que atuam nos níveis nacional, estadual e local. Essas cadeias foram priorizadas em virtude de sua relevância socioeconômica e ambiental pois, juntas, beneficiam cerca de 500 mil famílias de extrativistas e quebradeiras de coco e geram, anualmente, em torno de R$ 160 milhões.

SociobiodiversidadeOs produtos da sociobiodiversidade são bens e serviços (produtos finais, matérias primas ou benefícios) gerados a partir de recursos da biodiversidade, voltados à formação de cadeias produtivas de interesse dos povos e comunidades tradicionais e de agricultores familiares.

UFPA - REITOR SERÁ EMPOSSADO HOJE NO MEC

Agenda do ministro da Educação

Quinta-feira, 2 de julho de 2009

14h30 - Participa da posse da professora Marcia Perales Mendes Silva no cargo de reitora da UFAM e do professor Carlos Edilson de Almeida Meneschy no cargo de reitor da UFPA
Local: Sala de atos - 9º andar - MEC

quarta-feira, 1 de julho de 2009

UFPA - Deu no blog do Edir "Bilhetim"

Quarta-feira, 1 de Julho de 2009

Maneschy: as tarefas centrais
1- Construir um novo plano decenal com a participação da sociedade civil paraense, da capital e do interior. Envolvendo todos os segmentos sociais ( empresariais, trabalahistas, camponeses, quilombolas, ONGS, e e tc.)

2- Com base no plano decenal produzir o plano plurianual- 2009-2013

3- Transformar a qualidade do ensino de graduação e sua integração com a pesquisa e a extensão.

4- Qualificar o significado da universidade multicampi.

5- Manter o investimento na pesquisa e na pós-graduação.

6- Criar um política de assistência médica e social aos servidores técnicos-administrativos e docentes.

7- Crair um organismo consultivo de participação da sociedade civil no planejamento e avaliação das políticas da UFPA de ensino, pesquisa e extensão para o estado do Pará.

8- Articular o zoneamento acadêmico educacional das microrregiões do estado, em parceria com as instituições acadêmicas públicas e privadas do estado. O objetivo é evitar a superposição de instituições, cursos acadêmicos em um único município e ou microrregião em detrimento de outros municípios.

9- Reorganizar as políticas de esporte, lazer e cultura da UFPA, em escala institucional, estadualmente.

10- Fazer uma ampla articulação política-institucional com os governos municipal, estadual e federal, visando garantir investimento crescente na UFPA.

11- Criar iniciativas planificadas de relacionamento entre universidade e empresa, visando garantir, não só parceria, como também aprofundar campo de estágios para os cursos de graduação da UFPA.



Cerimonial deve preparar festa popular
Toda a comunidade da UFPA está esperando a festa popular da posse. A tarefa deve ser organizada pelo cerimonial.

Maneschy deve nomear os Pró-Reitores no dia 03
Após a transmissão do cargo de Reitor, a primeira atitude de Maneschy deverá ser a nomeação imediata de sua equipe de Pró-Reitores. Se a vice-reitora renunciar neste dia, então Maneschy nomeará imediatamente Schneider como vice reitor.

Maneschy, Schneider e Tourinho seguem para BSB
Hoje pela manhã seguem para Brasília Maneschy, Schneider e Emanuel Tourinho. Schneider e Tourinho estarão amanhã (02-06) na solenidade de posse de Maneschy em Brasília. A reitoria não se dignou a oferecer passagem e estadia ao novo reitor da UFPA nesta viagem de serviço ao MEC. Dia 03 a partir das 10 hs no hangarzinho teremos a solenidade de transmissão de cargo ao Prof. Dr. Carlos Edilson de Almeida Maneschy. Já estou alugando a beca.

Bilhetim

terça-feira, 30 de junho de 2009

Amazônia perde 124 km² de florestas em maio, diz Inpe


Área equivale a sete vezes a Ilha de Fernando de Noronha.
Houve queda de 89% em relação a mesmo mês de 2008.

Do Globo Amazônia, em São Paulo

A Amazônia perdeu pelo menos 123,7 km² de florestas no mês de maio – área equivalente a sete vezes a Ilha de Fernando de Noronha, em Pernambuco. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (24) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O número representa uma redução de 89% se comparado com o mesmo mês de 2008, quando foi registrado desmatamento de 1.096 km².
A leitura dos satélites foi prejudicada pelas nuvens, que cobriram 62% da Amazônia Legal. Em maio do ano passado, a área coberta por nuvens era de 46%.

O estado onde foram encontradas mais áreas desmatadas foi Mato Grosso, que teve 61,2 km² de florestas derrubadas. Em segundo lugar está Roraima, com 17,7 km², seguido pelo Maranhão, com 17,6 km².

Aqui na íntegra

Aprenda a vigiar a floresta usando o mapa do Globo Amazônia

DESMATAMENTO - Madeireiras clandestinas exploram floresta avaliada em R$ 30 bilhões

Operação do Ibama tenta desarticular quadrilha de devastadores no PA.
Cerca de 40 mil metros cúbicos de madeira já foram apreendidos.

O alvo criminoso escolhido na última semana pelo Ibama são as madeireiras clandestinas que operam na região oeste do Pará. Elas cortam árvores em uma área ainda preservada, onde o órgão ambiental calcula que existam cerca de R$ 30 bilhões em madeira.
A operação ocorre em conjunto com a Polícia Federal e a Polícia Civil do Pará. Como as madeireiras usam balsas para transportar a madeira, os fiscais estão tentando barrar a circulação de barcos com carregamentos clandestinos, que usam como rota principal o rio Curuá-Una, um dos afluentes do Amazonas. Até agora, agentes do Ibama e policiais da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado, apreenderam mais de 40 mil metros cúbicos de madeira nobre – o suficiente para carregar 1.600 caminhões. Quatro pessoas foram presas. A carga está avaliada em aproximadamente R$ 100 milhões. Várias armas foram apreendidas no acampamento.

Aqui na íntegra

CHILE - Economia do Conhecimento , exemplo de recuperação econômica






Por Marcela Sanchez



No final de 2008, enquanto o resto do mundo caía em uma das piores recessões em décadas, o governo chileno havia juntado US$ 42 bilhões em reservas - resultado da disciplina fiscal e de um aumento de 60% nas exportações desde 2005.

Agora o Chile é uma nação credora e o único país que teve um aumento na avaliação de crédito da agência de classificação de risco Moody's durante a recessão global. Em 23 de junho, o presidente Obama disse que a presidente do Chile Michelle Bachelet é uma das "lideranças mais fortes que temos, não apenas no hemisfério mas em todo o mundo."

Mas ela nem sempre recebeu elogios assim. Há apenas um ano, a taxa de aprovação de Bachelet era de apenas 44%; em 2007, ela caiu para 35%.

Desde que ela assumiu o poder em março de 2006, Bachelet resistiu repetidamente a seu próprio partido, economizando enquanto outros queriam gastar e pensando a longo prazo enquanto outros buscavam ganhos imediatos.

Como ela mesma perguntou à plateia na Brookings Institution durante sua visita recente a Washington: "Podem imaginar o quanto eu seria mais popular se eu fosse uma populista?". Felizmente para o Chile, Bachelet não é.

O plano de economias de Bachelet permitiu que o Chile investisse no quinto maior pacote de estímulo do mundo, em proporção à renda nacional. O compromisso exigirá gastos deficitários, mas de acordo com o Ministro das Finanças chileno Andres Velasco, o déficit chegará apenas a um total de 4% do PIB do país, bem menos do que os 14% do PIB necessários nos EUA.

Horas antes de encontrar com Bachelet no Salão Oval na semana passada, Obama expressou admiração pelo fato de o Chile ter economizado seus superávits.

"Eles tinham os recursos para lidar com uma queda", disse.
"É uma boa lição para os Estados Unidos. Quando tivemos superávits, eles foram dissipados."

Mas a boa lição não é apenas poupar. Bachelet também está gastando com sabedoria. Ela está enfrentando as vulnerabilidades econômicas do país e reduziu a dependência do Chile dos mercados instáveis.

Sua solução é simples: diversificar aumentando o capacidade humana e evoluir na direção de uma economia baseada no conhecimento.
Na íntegra aqui

MEIO AMBIENTE - Frigoríficos recusam acordo para combate ao desmatamento na Amazônia


Em resposta à proposta de acordo do MPF, a União das Indústrias Exportadoras de Carne recusa se comprometer com datas, prazos ou sistemas de controle previstos na legislação

O Ministério Público Federal recebeu ontem da União das Indústrias Exportadoras de Carne documento que significa, na prática, recusa ao acordo proposto semana passada pelos procuradores da República que buscam conter os danos ambientais praticados na cadeia produtiva da pecuária. O MPF já respondeu ao documento.

“O que a Uniec propôs não traz nenhuma garantia consistente de busca pela legalidade e sustentabilidade do setor pecuário no estado do Pará, garantia essa imprescindível para justificar a suspensão dos efeitos das recomendações expedidas”, diz a resposta, enviada hoje ao presidente da União, Francisco Victer.

Todos os pontos propostos pelo MPF para efetivas mudanças no controle da atividade pecuária – georreferenciamento, licenciamento ambiental, regularização fundiária e recuperação de áreas degradadas – foram listados pelos frigoríficos como responsabilidade do governo do Pará.

“Essas questões já são responsabilidade legal do Estado, não há nenhuma novidade nisso. O que seria novidade seria o setor produtivo reconhecer o ônus de sua atividade e se comprometer com esses controles, garantir que as compras serão interrompidas se os fornecedores não obtiverem a regularização”, explica o procurador da República Daniel César Azeredo Avelino, um dos responsáveis pela negociação.

Portal Eco Debate

POLÍTICA - No Senado na farra de nomeações secretas ao varejo era a prática comum, a vez do Heráclito Fortes


Portal Terra

BRASÍLIA - O senador Heráclito Fortes (DEM-PI), primeiro-secretário do Senado, emprega um assessor que também faz lobby por uma empresa especializada em intermediar convênios de prefeituras do Piauí com a União. Os contratos da Planacon Planejamento e Assessoria de Projetos Técnicos, de Teresina (PI), com o governo federal subiram de R$ 153 mil em 2005 para R$ 1,89 milhão nos seis primeiros meses do ano. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Alcides Gomes Muniz Filho é assessor do gabinete pessoal de Heráclito desde 2003. Ele confirma que já representou a empresa pelo menos três vezes em Brasília. Em uma delas, em 13 de fevereiro, Muniz Filho participou da entrega das propostas para uma concorrência de saneamento, na sede da Companhia do Desenvolvimento do Vale do São Francisco. Ele disse ter agido em nome da empresa por amizade ao dono, Odivaldo Mendes Viana.
Veja no Jornal do Brasil na íntegra

POLÍTICA - Nomeaçãoes secretas ao varejo, a melhor defesa é o ataque, pensa o senador Arthur Virgílio

ADRIANO CEOLIN
ANDREZA MATAIS
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

A irmã do subchefe de gabinete do senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) foi nomeada por ato secreto na direção geral em 20 de março de 2007.
Com salário de R$ 7.484,43, Ana Cristina Nina Ribeiro ingressou no órgão comandado pelo então diretor-geral Agaciel da Silva Maia um mês depois de o irmão dela, Carlos Homero Vieira Nina, começar a trabalhar para o tucano, que é líder do PSDB no Senado.
Ontem, Virgílio subiu à tribuna para explicar os motivos de ter contratado três filhos de Carlos Homero para trabalhar no seu gabinete. Ele também teve de justificar o empréstimo que tomou de Agaciel para quitar uma dívida de cartão de crédito. Segundo a versão do tucano, o caso ocorreu em 2005 enquanto ele fazia uma viagem a Paris e constatou que seu cartão estava bloqueado, conforme revelou a revista "IstoÉ".
Virgílio atacou Agaciel e Sarney, mas não fez referência ao fato de que seu subchefe de gabinete também teve uma irmã empregada na direção geral do Senado. Ana Cristina só foi exonerada em outubro por conta da súmula do STF (Supremo Tribunal Federal) que proibiu o nepotismo nos três Poderes.

Na íntegra aqui na folha

TRÂNSITO - NO BRASIL NÃO EXISTEM LEIS PARA PUNIR CRIMINOSOS DO TRÂNSITO

segunda-feira, 29 de junho de 2009

POLÍTICA - Senador Arthur Virgílio se defende de acusações e pede que Conselho de Ética investigue Sarney, não convence....

A agressividade do discurso do senador Virgílio não guarda relãção com a complicada explicação sobre os recursos que recebeu para gastos no exterior e tratamento de saúde, bem como pagamentos para assessores que actuam no seu gabinete, inclusive um deles que mora no exterior. O Senador não convence.

O senador Arthur Virgílio ocupa a tribuna há cerca de três horas para se defender das denúncias publicadas pela a matéria da revista IstoÉ deste fim de semana. De acordo com a reportagem, um assessor do líder tucano teria pedido US$ 10 mil emprestados ao ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, para sanar um problema com os cartões de crédito do parlamentar durante uma viagem ao exterior.

Segundo o senador, fontes ligadas ao ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, estariam espalhando calúnias contra ele. Ele apresentou uma série de documentos para comprovar os esclarecimentos prestados.

- Se eu tivesse que pedir dinheiro emprestado, ligava para um amigo rico - disse.

Denúncia contra José Sarney

Arthur Virgílio (AM) também leu denúncia que pretende apresentar ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado pedindo a investigação do presidente da Casa, José Sarney.

O líder do PSDB embasou seu pedido na série de escândalos no âmbito da administração do Senado, que atingiram os ex-diretores Agaciel Maia e João Carlos Zoghbi - este, envolvido na intermediação de empréstimos consignados a funcionários da Casa.

Para Arthur Virgílio, é grave o fato de um neto de Sarney, José Adriano Cordeiro Sarney, ser sócio de uma empresa que também atua no Senado a com intermediação de empréstimos consignados. No pedido de investigação contra Sarney, Arthur Virgílio enumerou diversas denúncias contra o atual presidente do Senado.

Presidindo a sessão, o 1º secretário do Senado, Heráclito Fortes, listou as providências tomadas pela Mesa do Senado para responder às diversas denúncias, entre elas a mudança de diretores e a divulgação dos atos secretos.

- Eu não jogarei minha biografia no lixo - disse Heráclito.

Tratamento médico da mãe

Arthur Virgílio anunciou que apresentará requerimento de informações sobre a legalidade do ressarcimento pago pelo Senado à sua mãe devido às despesas com tratamento de saúde. A revista IstoÉ afirma que o ressarcimento foi de aproximadamente R$ 700 mil.

Arthur Virgílio ressaltou que sua mãe não recebeu o ressarcimento por ser sua dependente, e sim viúva de ex-senador (o pai de Arthur Virgílio). Também disse que durante muitos anos ela nem sabia que poderia recorrer o Senado - e que só o fez após ser informada sobre isso por um amigo advogado.


Veja na íntegra reportagem na Revista ISTOÉ

GOLPE DE ESTADO EM HONDURAS - Lula diz que Brasil não aceita novo governo

(presidente de Honduras, Manuel Zelaya)
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou nesta segunda-feira (29) o que considera um golpe de Estado em Honduras. Segundo ele, a única saída para o país é a democracia. "Não há meio termo. Temos que condenar esse golpe", disse, em seu programa semanal de rádio Café com o Presidente.

O presidente de Honduras, Manuel Zelaya, foi detido por um grupo de militares no domingo (28) - horas antes de o país iniciar uma consulta pública para reformar a Constituição, o que daria ao presidente a possibilidade de reeleição. A consulta pública foi considerada inconstitucional pelo Parlamento e pela Suprema Corte de Honduras.

"Não podemos aceitar ou reconhecer qualquer novo governo que não seja o do presidente Zelaya, porque ele foi eleito diretamente pelo voto, cumprindo as regras da democracia. E nós não podemos aceitar mais, na América Latina, alguém querer resolver o seu problema de poder pela via do golpe", afirmou Lula.

Para ele, Zelaya deve retomar a Presidência de Honduras.
Na íntegra aqui no UOL

domingo, 28 de junho de 2009

ENRIQUEZ BLOG NO TWITTER

AGORA ENRIQUEZ BLOG TAMBÉM NO TWITTER com frases curtas, de menos de 140 caracteres sobre temas de meio ambiente, biodiversidade, economia, política e, principalmente sobre Belém e nossa Universidade Federal do Pará (UFPA).

A UFPA está de festa, no dia 3 de julho assumirá o novo reitor Prof. Dr. Carlos Maneschy e a UFPA toda estará celebrando esse dia histórico para a COMUNIDADE ACADÉMICA do Pará. Uma nova fase se inicia nesse dia 03 de julho, com novos esforços para melhorar o ensino, pesquisa e contribuir com a sustentabilidade da Amazônia. Quailidade de ensino, qualidade de pesquisa e sustentabilidade, issa é a expectativa da comunidade académica.

Bom domingo e boa semana. Acompanhe a música e voz desta mulher maravilhosa

A certeza da incerteza

Marcelo Gleiser
No mundo atômico,
são probabilidades que contam,
não medidas precisas

Todo mundo gosta de ter certeza, de estar sempre certo, de acertar. Para muita gente, principalmente aquelas pessoas que chamamos de teimosas, ou, em casos mais drásticos, de arrogantes, incertezas e dúvidas refletem uma espécie de fraqueza de caráter.

Infelizmente, saber aceitar que é perfeitamente razoável não sabermos tudo, que não precisamos estar sempre certos, requer uma boa dose de humildade. Especialmente quando você é daquelas pessoas que, de modo geral, estão sempre certas, sabem o que querem e não têm paciência para incertezas e imprecisões. Esse tipo de personalidade aparece com frequência por toda parte: nos esportes (como o técnico de vôlei da minha adolescência), nos escritórios e hospitais e, claro, nas universidades.
O grande matemático e físico francês Pierre-Simon de Laplace, que viveu no final do século 18, acreditava tanto na física de Newton que dizia que uma supermente que soubesse as posições e velocidades de todos os átomos que existem poderia usar as leis da mecânica para prever o futuro.

Por exemplo, a mente poderia prever que você estaria lendo essa coluna, qual trecho dela estaria lendo etc. Esse determinismo era o emblema do Universo-relógio, onde tudo estaria predeterminado pelas leis da física.
Claro, nem todo mundo gostou da ideia. O Romantismo, por exemplo, foi uma reação ao racionalismo exagerado do Iluminismo.


Na íntegra

AS MANCHETES DE JORNAIS BRASILEIROS


Domingo 28 de junho de 2009

- Globo: Afastado, pivô de escândalo mantém o poder no Senado
- Folha: Empresas são maior fonte de dinheiro de partidos políticos
- Estadão: Gabrielli diz que Petrobras está pronta para ‘vale-tudo’
- JB: A economia que esquenta no inverno
- Correio: Filhos de imigrantes são adotados pelo crime
- Veja: Michael Jackson - 1958 – 2009
- Época: Michael Jackson - 1958-2009
- IstoÉ: As várias vidas de Michael Jackson
- IstoÉ Dinheiro: Vendi minha empresa. E agora?
- CartaCapital: O Senado acoelhado
- Exame: Gestão para os novos tempos

Leia também os principais destaques de jornais brasileiros