Google+ Badge

sábado, 25 de maio de 2013

Casa das Caldeiras


O combate solitário do BC contra a inflação


Assessores do governo fazem, periodicamente, uma avaliação do que a imprensa internacional está publicando sobre o Brasil. A última é frustrante. Varia entre uma visão pessimista sobre crescimento, inflação e taxa de juros, e um abandono geral do foco no país. A expressão máxima do pessimismo seria a do Financial Times. A The Economist, por exemplo, vem deixando de tratar do Brasil nas suas páginas. Isso seria um indício de que o humor dos investidores estrangeiros com o país continua ruim, afetado por uma postura pouco amigável do governo com o mercado.

Diante da campanha eleitoral, as expectativas começam a se voltar para 2015. Será a presidente Dilma Rousseff, se reeleita, vítima de sua própria herança?

Baixo crescimento e inflação alta são os efeitos colaterais de uma política econômica errante. No primeiro ano ela teve que corrigir os excessos de Lula, que deixou uma política fiscal e de crédito em franca expansão, exacerbando o consumo e gerando uma cadeia de inadimplência no sistema bancário, com todos os danos sobre a inflação.

A ação do governo derrubou a atividade econômica. No segundo ano, 2012, optou pela anabolização do consumo como instrumento para irradiar dinamismo na economia. As famílias, já altamente endividadas, não tinham mais fôlego para repetir a saída da crise de 2008/2009 e o modelo desandou. O governo tentou ajudar a indústria com a desvalorização cambial e colheu mais inflação.

Os juros, em queda desde agosto de 2011, começaram a subir este ano, depois que o governo entendeu que juros baixos, por si só, não produzem crescimento e ainda sancionam pressões inflacionárias. Na área fiscal, o superávit primário deixou de ser meta e passou a ser uma variável flutuante, ao sabor das receitas e despesas públicas. Se teve ajuda da contenção fiscal , no passado, para reduzir os juros, agora o BC está sozinho para conter a inflação.

Na próxima semana, o Copom deve aumentar novamente a taxa Selic. O mercado se divide entre uma elevação de 0,25 e de 0,50 ponto percentual. O BC reafirma seu compromisso em encerrar o ano com uma variação do IPCA inferior aos 5,84% do ano passado e de levar o índice para as “cercanias” de 4,5% em 2014. O pior que o BC pode fazer, agora, é deixar a inflação se arrastando como um problema no ano eleitoral de 2014.

Claudia Safatle

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Incubadora de Empresas da UFPA comemora 18 anos


A Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Agência de Inovação Tecnológica,  da Universidade Federal do Pará (UFPA), completa 18 anos de contribuição para o desenvolvimento do empreendedorismo baseado em ciência e tecnologia e na disseminação da transferência de conhecimentos gerado na UFPA.

Para comemorar a data, a Universitec promove, nesta sexta-feira, 24, das 8h30 às 10h30, um coquetel que contará com a apresentação de cases de sucesso de empresas que fazem parte da incubadora, bem como as que já estão no mercado, além de serem apresentadas as metas para os próximos anos. Na ocasião estarão presentes o reitor da UFPA, pró-reitores, empresários, representantes do Estado, Sebrae, Banco da Amazônia, entre outros parceiros da Universitec, da Incubadora e da Universidade. A programação ocorre no Auditório da Universitec, Campus Profissional da UFPA, no Guamá.

Aproveitamento da biodiversidade da Amazônia - Ao longo desses 18 anos da Incubadora-PIEBT, já foram apoiadas 42 empresas/projetos, nas áreas de biotecnologia, produtos naturais, alimentos, cosméticos, Dermocosméticos, fitoterápicos, energia, tecnologia da informação, comunicação e design e, em geral, empresas voltadas para o aproveitamento da biodiversidade da Amazônia.

Como parte das suas atividades e foco de atuação do PIEBT, durante esses anos, foram apoiados a criação e o desenvolvimento de projetos inovadores de alunos, professores, pesquisadores e da sociedade em geral, que contavam com potencial para transformarem-se em produtos, serviços ou processos dotados de tecnologia agregação de valor, que contribuíssem para o desenvolvimento do Estado.

Incubados - Atualmente, o PIEBT possui nove empresas incubadas e seis projetos pré-incubados, Dentre os que já passaram ou ainda estão instaladas na Incubadora, encontram-se a Chamma da Amazônia, Amazon Dreams, Inovar, Digitalizar, Dynamis Techne, ITAIC, BIO+, Amazon Biotec, Mundo Digital Interativo e a Syanz. Entre as que receberam premiações regionais e nacionais, estão a Chamma da Amazônia e a Amazon Dreams. Ambas já têm forte atuação nos mercados nacional e internacional.

 




 Com um espaço físico especialmente construído para alojar temporariamente micro e pequenas empresas, a Incubadora-PIEBT oferece uma série de serviços, tais como cursos de capacitação gerencial, assessorias, consultorias, orientação na elaboração de projetos a instituições de fomento, serviços administrativos, acesso a informações entre outros. A Incubadora é reconhecida por oferecer suportes técnico, gerencial, operacional e agilizar o processo de inovação tecnológica nas micro e pequenas empresas.

Para o professor Gonzalo Enríquez, diretor da Agência de Inovação Tecnológica (Universitec), da qual a Incubadora faz parte , a Incubadora vem cumprindo o seu objetivo principal que é promover e disseminar o empreendedorismo inovador na comunidade acadêmica e empresarial local. Entretanto um dos desafios mais importantes, não apenas da Incubadora, mas também da própria Agência de Inovação Tecnológica (incluindo o PIEBT, a área de serviços de laboratórios e de propriedade intelectual), consiste na criação de um Ambiente de Inovação na Universidade, em conjunto com seus importantes Stakeholer, que se constitua em uma referência para a Amazônia.

Texto: Ascom / Universitec
Fotos: Alexandre Moraes

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Santos inocentes e criminosos.


Vejam como é interessante as visões do "Pensamento Único", quando é um membro do PT indiciado pela justiça, com provas de crimes e á espera de serem condenados. O Governo pede calma e quer a maior das justiças, para não condenar alguém que pode ser inocente. 


Ora, o caso do boato sobre extinção da Bolsa Família, em menos de três horas a Ministra Rosário encontrou os culpáveis criminosos.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

A conferir