Google+ Badge

sábado, 15 de março de 2014

Zeca Pirao, antes renuncio ao remo




segunda-feira, 10 de março de 2014

Esclarecimento necessário

Lula fala na Itália e repercute no Brasil,  e mal. 


A Fala do ex-presidente Lula não foi recebida com alegria nos meios jornalistico que gostam encontrar os pontos fracos das intervenções pouco brilhantes do Lula. Ele já disse que o que realmente gosta é falar (não escrever, claro). 

Não adianta termos pleno emprego se a inflação se dispara a 100% ao dia. Não esqueçamos que os três fundamentos básicos ou mais importantes do modelo econômico sustentado pelo Petismo de Estado, tem sido:  taxa de crescimento econômica  alta e sustentada, Inflação baixa e,  alto superavit comercial. 
A Presidenta Dilma, precisamente tem invertido a ordem dos fundamentos. 

O Brasil vive uma fase pouco feliz de inflação em alta, taxas de crescimento baixas e uma queda brutal do superavit comercial, de mais de 85%, sustentado, apenas e unicamente, pelas exportações dos commodities. 


Ninguém está feliz por isso, entretanto, o que estamos percebendo tem sido uma crônica de uma crise já anunciada e que o governo pouco fez para resguardar os fundamentos econômicos do período áureo da economia brasileira.  
   





domingo, 9 de março de 2014

Comitiva visita Serra Pelada amanhã


Mina de ouro

Objetivo é assegurar que garimpeiros não sofram com falência de exploradora

Brasília

RAFAEL QUERRER

Da Sucursal

Em comitiva liderada pelo deputado federal Arnaldo Jordy (PPS-PA) visitará Serra Pelada amanhã, pela manhã, para assegurar que os garimpeiros vinculados à Cooperativa dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp) não sejam prejudicados por eventualidades provocadas pela falência do grupo canadense Colossus Minerals Inc.. A comitiva será composta pelo deputado federal Domingos Dutra (SDD-MA), pelo promotor de justiça Hélio Rubens, pelo geólogo Nivaldo Pimenta e por um representante da Secretaria de Indústria Comércio e Mineração do Estado do Pará (Seicom). Um dos objetivos centrais é garantir que o primeiro contrato firmado entre a Colossus e a Coomigasp seja cumprido. Segundo esse documento, os garimpeiros teriam direito a 49% dos lucros da mineração mecanizada em Serra Pelada e a empresa exploradora, 51%. Antes de quebrar, a Colossus teria modificado o acordo e redividido os lucros em 75% e 25%, respectivamente, segundo denúncias dos garimpeiros.

De acordo com o deputado Arnaldo Jordy, os acionistas da Colossus já estariam negociando com uma outra empresa a participação no projeto de mineração junto à Coomigasp. "Eles já investiram US$ 450 milhões aqui e estão se organizando para não perder esse dinheiro. Eles já entraram em contato com outra empresa com experiência em exploração de minérios, mas ainda não divulgaram o nome do grupo. Estamos aguardando para fazer as devidas averiguações. Viemos aqui para conversar com os garimpeiros, com o pessoal que restou na Colossus e com o interventor da Coomigasp, Marcus Alexandre, para que o primeiro contrato firmado seja cumprido e para que esse povo, que trabalhou muito em Serra Pelada, não perca seu direito a esse dinheiro, em nenhuma hipótese", explicou o parlamentar.

O grupo de visitantes também negociará para que o Banco do Brasil disponibilize contas personalizadas aos garimpeiros, com segurança avançada, para evitar fraudes no repasse do dinheiro aos trabalhadores. "Nós queremos encerrar essa novela toda e impedir mais desgraças nas vidas dessas pessoas. Elas merecem ser recompensada pela contribuição que já deram", disse o deputado. "Todos os garimpeiros deverão receber, sempre, 49% dos lucros, de acordo com o que estava estipulado no contrato. Isso deve começar em seis meses, depois que a mina começar a ser explorada", completou.

O Liberal. 

Encontrando o caminho certo para arrecadar fundos

Richard Branson
O megaempresário inglês é criador do grupo Virgin, que tem 200 companhias em mais de 30 países, incluindo a empresa aérea de baixo custo de mesmo nome

Pergunta:
Eu sou um empreendedor social e tenho me empenhado para desenvolver um negócio na África que faça diferença na vida das pessoas. Mas a minha dificuldade é a mesma que a de milhões de outras pessoas: encontrar financiamento para essa empreitada. Eu sou da Dinamarca, e os potenciais investidores sempre me dizem: "sua ideia é ótima, mas por favor, antes me prove que seu modelo de negócio funciona e volte depois". Será que devo buscar financiamento no exterior?

- Christian Høegh-Guldberg Hoff, Nairóbi, Quênia

Resposta: Eu tenho visto, cada dia com mais frequência, pessoas como você, que estão em nossa área de atuação pelas razões certas. É muito encorajador ver empreendedores sociais mostrando que querem ajudar as pessoas e o planeta por meio da criação de negócios benéficos para todos.

Às vezes, pode ser mais difícil para os empreendedores sociais obter financiamentos do que para aqueles que se propõe a administrar empresas puramente comerciais e com fins lucrativos. Transmitir a sua mensagem para os potenciais investidores pode ser uma tarefa especialmente difícil, uma vez que eles podem supor que, porque você pretende resolver um problema ou ajudar pessoas, você deve ter adotado um modelo de negócio sem fins lucrativos para seu empreendimento.

Geralmente, sua comunidade local é o melhor lugar para começar a buscar oportunidades de financiamento. Mas, se você não conseguir encontrar ninguém adequado para firmar uma parceria, o próximo passo lógico é ampliar sua busca para o nível nacional ou mesmo internacional. E, se você tiver a opção de trazer investidores estrangeiros para seu negócio, essa pode ser sua vantagem no longo prazo. Sua empresa poderá ganhar alguns contatos importantes e, ao mesmo tempo, o olhar externo sobre o seu negócio pode oferecer alguns insights interessantes. Quando estiver pronto para expandir seu empreendimento internacionalmente, o processo será muito mais fácil se você já tiver firmado alguns contatos.

Além dos fundos de capital de risco ou dos bancos, existem muitas organizações com as quais as startups socialmente responsáveis podem tentar buscar financiamento. Durante anos a Virgin trabalhou com a Dutch Postcode Lottery (Loteria Holandesa do Código Postal, a maior loteria de caridade da Holanda, que doa 50% dos recursos arrecadados a instituições cadastradas. Os vencedores dos prêmios são os donos de propriedades cujo código postal residencial é sorteado) e, no ano passado, eu presidi seu júri de concorrência sustentável, que oferece um grande volume de recursos para financiar empresas verdes. Junto com o prêmio são oferecidas oportunidades para trabalhar com um mentor, que são tão importantes quanto o dinheiro distribuído. Eu também participei do júri do Zayed Future Energy Prize, prêmio oferecido pelos Emirados Árabes Unidos que distribui US$ 4 milhões. Essa premiação incentiva os empresários a encontrarem soluções inovadoras "que sirvam para enfrentar os desafios apresentados pelas mudanças climáticas, pela segurança energética e pelo meio ambiente".

Outra opção pode ser a Carbon War Room (Sala de Guerra do Carbono), para a qual que a Virgin Unite serviu de incubadora e que ajuda a estimular as empresas que pretendem reduzir suas emissões de carbono e promover a economia de baixo carbono. Embora a Carbon War Room não possa financiar diretamente as empresas, trabalhar com elas permite que empresários como você levem suas ideias a formadores de opinião, especialistas de vários setores e muitos outros investidores potenciais.

Seja qual for a sua ideia de negócio, se você procurar bem e por tempo suficiente, na maior parte das vezes será capaz de encontrar alguém com uma visão compartilhada e que desejará ajudá-lo em sua missão. As comunidades e os fóruns online que abordam os problemas de seu setor também podem ajudá-lo a entrar em contato com pessoas interessadas no que você está fazendo. Todas essas pessoas são potenciais investidores.

Outra ótima maneira de gerar entusiasmo para a sua ideia e levantar fundos é por meio do crowdfunding, uma opção que muitas startups estão usando. Graças a sites como o Kickstarter e o EquityNet hoje em dia está mais fácil do que nunca despertar interesse sobre sua nova ideia ou inovação e obter pequenos empréstimos e compromissos que forneçam o dinheiro de que você precisa para levar seu negócio adiante.

Existem outros benefícios em seguir pelo caminho do crowdfunding. Divulgar uma ideia para uma sala cheia de investidores pode ser complicado. E, embora apresentar uma ideia para um fórum online não seja uma tarefa fácil, ela exige um conjunto diferente de habilidades – mas, talvez, essa seja uma área na qual você e a sua ideia de negócio possam brilhar. Ganhar impulso também é algo muito importante: o processo de crowdfunding pode gerar um burburinho em torno de seu negócio quando o dinheiro começar a entrar. Se as coisas forem bem, em breve você poderá encontrar pessoas de todo o mundo que queiram comprar seu produto ou serviço – por isso, certifique-se de que você está pronto para fornecê-lo.

O empreendedorismo não tem apenas a ver com vender coisas – essa atividade também está relacionada a encontrar maneiras de fazer a diferença na vida das pessoas. A criação de uma empresa que tenha como finalidade explícita gerar mudanças positivas pode ser um desafio, mas tenha em mente que as empresas que sobrevivem e prosperam no longo prazo são aquelas que ganharam a confiança e o respeito de suas comunidades. Se você inserir sua missão em seu modelo de negócio, é provável que você estabeleça as bases para o sucesso. Boa sorte!

Tradutora: Cláudia Gonçalves