Google+ Badge

sábado, 1 de janeiro de 2011

Brasil - A emoção e o discurso da Presidenta Dilma


Brasil - O Estadão - Os últimos minutos de Lula no poder. Seu maior legado, a inclusão social

O maior legado a inclusão social

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Pará - A equipe do Governo do Estado. Veja o perfil do primeiro escalão

CASA CIVIL

Zenaldo Coutinho - Chefe da Casa Civil
Formado em Direito pela UFPA, Zenaldo Rodrigues Coutinho Júnior exerceu três mandatos de deputado federal pelo PSDB (1999-2003, 2003-2007 e 2007-2011). Zenaldo Coutinho foi ainda vereador de Belém pelo PDS de 1983 a 1988. De 1989 a 1991 exerceu o mandato de deputado estadual pelo PTB. Pelo mesmo partido, ele foi deputado estadual por mais dois mandatos (1991-1995 e 1995-1999). Natural de Belém, Coutinho nasceu em 4 de fevereiro de 1961.


CASA MILITAR
Tenente-Coronel Fernando Noura - Chefe da Casa Militar
Atualmente, Fernando Noura é comandante do Batalhão de Polícia de Choque. Possui curso de infantaria (NPOR) pelo Exército Brasileiro e de pós graduação em Defesa Social e Cidadania. Possui curso de Gestão Governamental (pós-graduação Lato Sensu) e de especialização em Gestão Estratégica em Defesa Social, além de curso de Especialização em Segurança Pública e Gestão de Informação. É paraense, casado e tem 44 anos.

SEDUC
Nilson Pinto - Secretário de Educação
Formado em Geologia pela UFPA, com mestrado em Geoquímica e doutorado em Geociências, Nilson Pinto de Oliveira foi reitor da UFPA no período de 1989 a 1993. Exerceu também o cargo de Secretário Especial de Promoção Social do Estado do Pará, de 5 de março de 2001 a 8 de abril de 2002. Foi ainda Secretário de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente no período de 1995 a 1998. Nilson Pinto exerceu três mandatos de deputado federal pelo PSDB. É natural de Belém, nascido em 25 de março de 1952. 



SEFA
José Tostes - Secretário da Fazenda
Economista, José Barroso Tostes Neto foi Superintendente da Receita Federal do Brasil na 2ª Região Fiscal durante 14 anos. Em 2008 passou a ocupar o cargo de Coordenador-Geral de Administração Aduaneira da Receita Federal do Brasil, em Brasília, onde residia atualmente.



SEGUP
Luiz Fernandes Rocha - Secretário de Segurança Pública
Delegado de Polícia Civil desde 1991, Luiz Fernandes é formado em Direito pela UFPA e doutorando em Ciências Jurídicas-Sociais pela Universidad Del Museo Social Argentino. Natural de Vitória da Conquista (BA), Luiz Fernandes exerceu o cargo de Delegado Geral da Polícia Civil no período de 2003 a 2006, no governo de Simão Jatene. Dentro da Polícia Civil, Fernandes foi diretor da Divisão de Investigações e Operações Especiais, de Polícia Operacional e da Delegacia de Furto de Veículos. Foi ainda superintendente da Regional do Salgado.


SESPA
Hélio Franco - Secretário de Saúde Pública
Formado em 1975 pela Faculdade de Medicina da UFPA, Hélio Franco de Macedo Junior é especialista em Clínica Médica. Foi o primeiro médico a trabalhar na Transamazônica, no período de 1977 a 1983 no Projeto Pacal. De 1995 a 2002, Helio Franco foi presidente da Fundação Santa Casa de Misericórdia. Ele também é médico concursado do Ministério da Saúde, desde 1983 e da Secretaria Estadual de Saúde do Pará, desde 2005. Hélio Franco nasceu em 10 de julho de 1950. É casado e pai de duas filhas.


SEMA
Teresa Cativo - Secretária de Meio Ambiente
Bacharel em Ciências Econômicas pela UFPA, Teresa Lusia Mártires Coelho Cativo Rosa é mestre em Planejamento do Desenvolvimento pelo NAEA/UFPA e professora do curso de Economia da UFPA. A economista foi diretora geral do Idesp, secretária adjunta da Secretaria de Fazenda  do Pará, diretora geral da Agência de Desenvolvimento da Amazônia (ADA) e secretária especial de Gestão no governo de Simão Jatene. Atualmente, Teresa Cativo é secretária geral de Gestão do Tribunal de Justiça do Estado do Pará.


SAGRI
Hildegardo Nunes – Secretário de Agricultura
Formado em Agronomia, foi secretário estadual de Agricultura entre os anos de 1995 e 1998. Também exerceu os cargos de Secretário Municipal de Saúde e de Secretário municipal de Governo, em Ananindeua. No Sebrae-PA já exerceu os cargos de Diretor Superintendente (2007/2008) e de presidente do Conselho Deliberativo (1997/1998). De 2003 a 2005 foi diretor dos programas regionais Norte e Nordeste, do Ministério da Integração Regional. Foi vice-governador do Pará entre os anos de 1999 e 2002.


SEPAQ
Asdrúbal Bentes - Secretário de Pesca e Aquicultura
Advogado, Asdrúbal Mendes Bentes é deputado federal reeleito pelo PMDB. Asdrúbal Bentes exerceu quatro mandatos como deputado federal. Foi prefeito do município de Salinópolis no período de 1983 a 1985, procurador do Tribunal de Contas e superintendente do Incra.

SEIR
Antônio José Guimarães - Secretário de Integração Regional
Engenheiro florestal e funcionário público federal do Ibama desde 1977, Antonio José Costa Guimarães já exerceu as funções de sub-coordenador do Poloamazônia do IBDF, diretor de Divisão de Marcados (IBDF-DF), Delegado estadual do IBDF no Pará, presidente nacional do IBDF e secretário do Ministério da Previdência Social. Entre os anos de 1991 e 1995 foi secretário no Governo do Estado do Pará.

SEPE
Sidney Rosa - Secretário de Projetos Estratégicos
Sidney Rosa, 54 anos, é formado em Administração de Empresas. É empresário do setor florestal, há mais de 30 anos, no Pará. Foi prefeito do município de Paragominas por dois mandatos sucessivos, entre os anos de 1997 e 2004. É vice-presidente da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa). É deputado estadual eleito pelo PSDB com a sexta maior votação no Estado. É casado e tem 54 anos de idade.

SECULT
Paulo Chaves Fernandes - Secretário de Cultura
Arquiteto e urbanista paraense. Foi assessor de urbanismo na gestão de Almir Gabriel na prefeitura de Belém, em 1983, promovendo as reformas do Ver-o-Peso, mercado de São Brás e outras. Ficou na prefeitura até 1988. No governo Collor, foi superintendente do Instituto de Patrimônio Histórico Nacional, deixando o cargo para ser secretário de Cultura do Pará da gestão de Almir Gabriel, em 1994, função que ocupou durante 10 anos. Realizou importantes obras, como o Projeto Feliz Lusitânia, Museu de Artes Sacras, Estação das Docas, Parque da Residência, Mangal das Garças, Pólo Joalheiro e Theatro da Paz. Manteve-se no cargo até o final do governo de Simão Jatene, em 2006.

SEDECT
Alex Fiúza de Mello - Secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia
Alex Bolonha Fiúza de Mello foi reitor da UFPA nos períodos de 2001 a 2005 e 2005 a 2009. Possui graduação em Ciências Sociais pela UFPA (1977), mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais (1982), doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1998) e pós-doutorado pela Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, Paris (1999/2000) e pela Cátedra Unesco de Gestión y Política Universitaria, da Universidad Politécnica de Madrid (2009/2010). Foi membro do Conselho Nacional de Educação, do Ministério da Educação (2004/2008) e membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República (2007/08).

SEEL
Sahid Xerfan - Secretário de Esporte e Lazer
Empresário e político, Sahid Xerfan nasceu em 25 de junho de 1942. Ex-prefeito de Belém por duas vezes e ex-secretário de Obras Públicas do governo Simão Jatene. Atualmente, é vereador em seu terceiro mandato e líder do Partido Progressista (PP) na Câmara Municipal de Belém. Presidiu importantes empresas, atacadista e varejista, nos estados do Pará, Amapá e Goiás. Secretário adjunto: Cristian Pinheiro da Costa.

SEPOF
Sérgio Bacury - Secretário de Planejamento, Orçamento e Finanças
Sérgio Roberto Bacury de Lira é economista e doutor em Planejamento Governamental. Atualmente, é professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Economia, da UFPA. Foi pesquisador do Idesp, Diretor de Planejamento e Diretor de Ensino da Seduc, Diretor de Desenvolvimento Organizacional da Sead e Auditor Adjunto da Auditoria Geral do Estado do Pará. Foi presidente do Conselho Regional de Economia, membro do Conselho Federal de Economia e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Economia da UFPA. Coordenou o programa de Governo do candidato e agora governador eleito, Simão Jatene.

SETRAN
Francisco de Chagas Melo - Secretário de Transporte
Foi eleito três vezes vereador do município de Ananindeua, presidiu a Câmara Municipal por três períodos legislativos. Foi vice-prefeito de Ananindeua no período de 2004 a 2006. Foi eleito deputado estadual em 2006 e reeleito em 2010. Foi ainda secretário de Obras do Estado no período de 2007 a 2009.
POLÍCIA MILITAR
Coronel Mário Solano - Comandante Geral da Polícia Militar
É bacharel em Ciências Sociais pela UFPA. Possui curso de gerenciamento de crises na Segurança Pública e de especialização em gestão estratégica em Defesa Social. Na área militar, formou-se em 1981 no Núcleo Preparatório de Oficiais da Reserva do Exército, tendo servido no 2º Batalhão de Infantaria de Selva (PA) e no 3º Batalhão Especial de Fronteira (AP). Em 1987 ingressou na Polícia Militar do Pará e, já como coronel, foi comandante do Comando de Missões Especiais da PM.

POLÍCIA CIVIL
Nilton Atayde - Delegado Geral da Polícia Civil
Nilton Atayde é formado em Direito pela UFPA. Ingressou na Polícia Civil em 1992, após aprovação em concurso público. Possui pós-graduação em Polícia Judiciária, pela UFPA, e em Direito Penal e Processo Penal, pela Universidade Estácio de Sá –RJ. É doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais pela UMSA (Argentina-Buenos Ayres). Foi advogado militante no período de 1985 a 1992. Como delegado atuou em unidades policiais da capital e do interior do Estado. É atual vice-presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Pará.

SUSIPE
Major Francisco Bernardes - Superintendente do Sistema Penal
É Graduado em Ciências de Defesa Social – Curso de Formação de Oficiais da PM do Pará, e em Direito pela UFPA. Possui especialização em Segurança e Cidadania. Atualmente é subcomandante do 16º Batalhão de Polícia Militar, em Altamira. Já foi diretor de Núcleo de Inteligência e Diretor de Unidade Prisional da Susipe. Foi Gerente de Unidade de Internação da Funcap. Tem 39 anos.

PROCURADORIA GERAL
Procurador Geral do Estado - Caio de Azevedo Trindade
Advogado, graduado pela UFPA em 2000. Especialista em Direito Civil e Direito Processual Civil pela Fundação Getúlio Vargas. Mestre em Direito pela UFPA. Procurador do Estado do Pará desde o ano de 2000, tendo sido aprovado em 1º lugar no respectivo concurso público. Articulista com trabalhos publicados em diversas revistas especializadas tais como Revista Dialética de Direito Tributário, Revista Dialética de Direito Processual, entre outras. Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção do Pará.


Jatene chama mais 11, mas não fecha lista


Somente após a posse o governador Simão Jatene (PSDB) anunciará a conclusão de sua equipe de governo. Ontem, ele divulgou mais onze nomes que vão comandar secretarias e órgãos da administração. 


Secretaria de Administração (Sead) - Alice Vianna
Secretaria de Comunicação (Secom) - Ney Messias
Secretaria de Governo (Segov) - Sérgio Leão
Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH) - José Acreano Brasil Jr.
Secretaria de Obras Públicas (Seop) - Sebastião Miranda
Auditoria Geral do Estado - Roberto Amoras
Instituto de Terras do Pará (Iterpa) - Carlos Lamarão
Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) - Adelina Braglia
Fundação de Amparo à Pesquisa do Pará (Fapespa) - Claudio Ribeiro
Imprensa Oficial do Estado (Ioepa) - Claudio Rocha
Banco do Estado do Pará (Banpará) - Augusto Costa

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Música - Novo hit da internet, mais de 500 mil acessos,

Veja aqui a nova musa descoberta por Roberto Carlos, Paula Fernandes e apresentada no Show do Rei no Natal.





quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Literatura - Recomendo são 140 pág para rir e aprender


" A pior coisa que você pode ser é mentiroso. Tá, tudo bem, a pior coisa que você pode ser é nazista, mas a segunda pior é mentiroso. Nazista, um; mentiroso, dois."

"Aquela mulher era sexy... Muita areia para o seu caminhãozinho? Filho, deixe que as mulheres descubram por que não querem transar com você. Não faça isso por elas."

Aos 28 anos, depois de ser dispensado pela namorada, Justin Halpern volta a morar com o pai, Sam Halpern, de 73 anos. Na infância, Justin morria de medo dele, tão mal-humorado, direto e desbocado que beirava a grossura.

Agora, já adulto, ele passa a admirar a mistura de franqueza e insanidade que caracteriza os comentários e a personalidade do pai, que considera "sábio como Sócrates e até mesmo profético".

Disposto a registrar a sabedoria contida nas tiradas de Sam, Justin cria uma página no Twitter para reunir suas frases malucas e observações ridículas. Em pouco tempo, os devaneios filosóficos do médico aposentado conquistam mais de um milhão de seguidores.

O fenômeno da internet dá origem a um dos livros mais engraçados dos últimos tempos. Tomando como base as pérolas do pai, o filho recria com brilhantismo as memórias da infância e da juventude.

Extremamente divertido e inspirador, Meu pai fala cada m*rda traça um retrato profundo da relação pai e filho e aborda os grandes temas da vida: medo, amigos, estudo, namoro, esporte, família. Uma lição de integridade, amizade e amor. Sem papas na língua.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Veja as manchetes dos principais jornais desta terça-feira 27 de dezembro de 2010

Jornais nacionais
Folha de S.Paulo
Planalto pulveriza sua propaganda em 8.094 veículos
Agora S.Paulo
Lula deixa a decisão sobre o reajuste do mínimo para Dilma
O Estado de S.Paulo
Lula muda discurso e afirma que Dilma será sua candidata em 2014
Jornal do Brasil
Brasil tentará erradicar aftosa em 2011
O Globo
Estado do Rio gratificará policial que matar menos
Valor Econômico
Petrobras ensaia revolução tecnológica para o pré-sal
Correio Braziliense
Caminho livre para Dilma
Diário do Nordeste
Novo secretariado: Cid amplia aliança
Zero Hora
Impasse entre Yeda e Tarso emperra presídio com iniciativa privada
Diário do Pará
Teresa Cativo comandará a Sema na gestão de Jatene
O Liberal
Definido o calendário do pagamento de aposentados
*
Jornais internacionais
The New York Times (EUA)
Costa leste se desenterra após nevasca deixar um rastro de destruição
Le Monde (França)
França se prepara para um ano crucial no Afeganistão
El País (Espanha)
Rússia castiga a Espanha com a expulsão de dois diplomatas
Clarín (Argentina)
Falta de gasolina se agrava e motoristas fazem filas para abastecer
El Mercurio 
EE.UU. entrega excusas al Gobierno tras filtración de documentos sobre Sebastián Piñera

Pará - Fala o Ex-PT


Porque o governo que encerra cometeu pecados estruturais frente aos princípios construídos em 30 anos de vida partidária no Pará, senão vejamos:

1- A governadora não tomou nenhuma medida pública contra as denúncias de corrupção e nem afastou seus auxiliares diretos envolvidos em tais denúncias.

2- São cristalinas as manobras executadas racionalmente para a dispensa de licitação nas compras dos Kits escolares.

3- Foi vergonhoso o método de contratação de aluguel de 450 carros para as policias.
4- É uma vergonha o que está acontecendo neste momento na SEMA onde vários dirigentes encontram-se presos pela PF.

5- Está estourando denúncias de que a SEDUC está torrando, apressadamente, 90 milhões do governo federal em apressados pagamentos, inclusive antecipando quitação de futuros serviços e compras. Estas informações estão sendo prestadas por dirigentes graduados do PT na SEDUC.

6- Sem falarmos nos relatórios, tornados públicos pela AGE.

Não resta dúvida. O PT está em Xeque, não importa se foi a DS, ou outro segmento petista, o que importa é que a marca PT está sofrendo um profundo questionamento e, em sua maioria por petistas que construiram esta legenda nos últimos 30 anos, e que foram marginalizados nestes 4 anos, sendo preteridos pelos néopetistas, cujos passes foram adquiridos através de DAS's.

Não adianta os cães de guarda da DS tentarem tapar o sol com peneira...o estrago está feito. O PT deixou de ser um local que possa ser depositário de utopias. A ética, como marca construída pelo PT, perdeu a razão de ser.

Blog do Bilhetim

Comunicação - Publicidade e transparência crescem no governo Lula

Em oito anos de mandato, o presidente Lula elevou de 499 para 8.094 o número de órgãos de comunicação que recebem verbas publicitárias do governo federal, informa a reportagem de Fernando Rodrigues publicada na edição desta terça-feira da Folha (íntegra disponível para assinante do jornal e do UOL)

A alta, de 1.522%, beneficiou veículos espalhados por 2.733 municípios; em 2033, eram 182 cidades.

Os dados incluem jornais, revistas, rádios, TVs e "outros", categoria que inclui sites e blogs e saltou de 11 para 2.512 veículos no mesmo período.

Por ano, o petista gastou R$ 2,310 bilhões com propaganda, média semelhante à do tucano Fernando Henrique Cardoso.

Lula, que pulverizou sua verba publicitária por mais veículos, avançou na transparência em relação à gestão FHC --a estatística não existia até 2003.

Ainda assim, não se sabe quais veículos recebem verbas de publicidade estatal nem quanto cada um ganha.


segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Pará Meio Ambiente - Nova secretária da SEMA, boa sorte na diícil missão

O governador eleito Simão Jatene (PSDB) anunciou agora há pouco novos nomes que vão compor seu secretariado e cargos no segundo escalão. 

Tereza Cativo, para a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). Já foi Secretária da Fazenda e Secretária Executiva  de Gestão, do primeiro mandato do Governo Jatene.

O deputado federal Asdrubal Bentes (PMDB) assumirá a Secretaria de Estado da Pesca, abrindo vaga na Câmara dos Deputados para o ex-senador Luiz Otávio Campos.

Também foram indicados Sergio Duboc para a direção-geral do Detran; Ana Lídia Cabeça, para o Hospital das clínicas; Maria do carmo Lobato, para a Fundacao Santa Casa; José Alberto Colares, para o Ideflor;e Theo Pires, para a Prodepa.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Economia - Crise afeta América Latina com menor profundidade e duração



Em julho de 2007, quando se multiplicaram os problemas financeiros e imobiliários que tiveram seu epicentro nos Estados Unidos, teve início um debate sobre se o efeito contagioso da crise iria chegar ou não aos países emergentes. Então entrou na moda o termo “descolamento”, para indicar que aquelas dificuldades do centro não chegariam à periferia.

Foi uma ilusão. A crise afetou também os emergentes, mas agora vemos que foi com muito menos profundidade e duração. A América Latina, por exemplo. A região teve uma queda média em seu crescimento, em 2009, de 1,9%, mas se recuperou de forma espetacular no ano que se encerra: em 2010, o PIB regional terá aumentado cerca de 6% (o que significa um incremento na renda per capita de 4,8%), com países como Paraguai (9,7%), Uruguai (9%), Peru (8,6%) e Argentina (8,4%) com crescimentos de nível chinês. Lula deixa o Brasil, a grande potência emergente da região, crescendo a um ritmo de 7,7%, enquanto o México e o Chile o farão a 5,3%. As duas grandes exceções são o desafortunado Haiti (-7%) e a Venezuela (-1,6%).

As perspectivas para 2011 são um pouco mais modestas (previsão de crescimento de 4,2%, e cerca de 3% na renda per capita). Por quê? Pela incerteza externa, sobretudo a europeia, e por um desses paradoxos que se produzem na economia: a entrada de um grande fluxo de capitais na região e a consequente valorização de suas moedas. No balanço preliminar das economias da América Latina e do Caribe, publicado pela Comissão Econômica para a América Latina (Cepal), se explica esse fenômeno: a curto prazo, uma maior entrada de capitais poderia repercutir negativamente sobre as contas externas, mas não seria um risco para o crescimento. Porém, a história da região indica que os efeitos podem ser perigosos a longo prazo: a elevada liquidez mundial pressionaria para baixo as taxas de câmbio real e para cima os preços dos produtos básicos, o que pode gerar uma deterioração das contas externas e incentivar uma excessiva especialização na produção e exportação de bens primários. “Com isso, a região ficaria mais vulnerável aos choques vindos do exterior”.

Quase coincidindo com esse informe da Cepal aparece o Latinobarômetro, que mede as tendências subjacentes da região. Questionados sobre qual problema consideravam mais importante, os entrevistados responderam em sua maioria que era a criminalidade e a segurança pública. E logo atrás, apesar da melhoria mencionada, as questões relacionadas à economia: 19% entendem ser o desemprego; 12%, os problemas econômicos/financeiros, e 7% responderam a pobreza. É muito notável a percepção do problema da criminalidade e da violência, que aumenta continuamente ano após ano, e que se tornou fundamental para a qualidade da democracia da região.

El Pais

Cotas raciais - Por que não se aplica aos serviços públicos básicos?

A melhor e maior política pública de cotas raciais seria aquela aplicada a um dos sistemas públicos básicos mais importantes, o Sistema Único de Saúde (SUS). O círculo se fecharia incluindo também aos mais pobres.

Alguém é contra?.


A superação das desigualdades socioeconômicas impõe-se como uma das metas de qualquer sociedade que aspira a uma maior igualdade social. Em face aos problemas sociais, algumas alternativas são propostas para atenuação de desigualdades que mantém em condições díspares cidadãos de estratos distintos. Uma das alternativas propostas é o sistema de cotas que visaria a acelerar um processo de inclusão social de grupos à margem da sociedade.

O conceito de cotização de vagas aplica-se a populações específicas, geralmente por tempo determinado. Estas populações podem ser grupos étnicos ou raciais, classes sociais, imigrantes, deficientes físicos, mulheres, idosos, dentre outros.

A justificativa para o sistema de cotas é que certos grupos específicos, em razão de algum processo histórico depreciativo, teriam maior dificuldade para aproveitarem as oportunidades que surgem no mercado de trabalho, bem como seriam vítimas de discriminações nas suas interações com a sociedade.
A Constituição Brasileira de 1988 diz:
Artigo 37 (capítulo)
VIII- a lei reservará percentual dos cargos e empregos públicos para as pessoas portadoras de deficiência e definirá os critérios de sua admissão;
A lei constitucional estabeleceu a reservas de vagas para deficientes físicos, o qual passou a ser adotado em diversos concursos públicos, com a ressalva de que o emprego ou cargo não exija plena aptidão física. Isto marca o inicío da reserva de vagas para grupos específicos no Brasil. Com o tempo, outros grupos sociais passam a pleitear a cotização de vagas para "garantirem" uma participação mínima em certos setores da sociedade como as universidades públicas.

Nas universidades, a adoção de reserva de vagas começa em 2000, com a aprovação da lei estadual 3.524/00, de 28 de dezembro de 2000. Esta lei garante a reserva de 50% das vagas, nas universidades estaduais do Rio de Janeiro, para estudantes das redes públicas municipal e estadual de ensino. Esta lei passou a ser aplicada no vestibular de 2004 da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e na Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF).

A lei 3.708/01, de (9 de novembro, a confirmar) 2001, institui o sistema de cotas para estudantes denominados negros ou pardos, com percentual de 40% das vagas das universidades estaduais do Rio de Janeiro. Esta lei passa a ser aplicada no vestibular de 2002 da UERJ e da UENF e depois na maioria das universidades federais.

Economia - Salários públicos crescem mais do que os privados