Google+ Badge

sábado, 9 de maio de 2009

CHILE - MÚSICA DO PAÍS DO FIM DO MUNDO - um feliz domingo

CHILE - Começa campanha eleitoral, filho de dirigente da esquerda revolucionária, -assassinado pela ditadura- já está com mais de 15% das preferências

Marco Enríquez (35) filho de Miguel Enríquez, dirigente do Movimento de Esquerda Revolucionária – MIR do Chile, está complicando seriamente a vida dos possíveis candidatos para as eleições de 2010 que querem suceder a Michele Bachelett.

Enríquez apresenta uma proposta totalmente inovadora, denunciando a corrupção, a falta de transparência da política chilena e sobre tudo, a falta de alternativas para a juventude. No Chile, quase 3 milhões de jovens chilenos não se inscrevem, até hoje nos registros eleitorais (o voto não é obrigatório) e não demonstram interesses nas propostas dos quase setuagenários políticos chilenos.
Suas idéias não são as mesmas do seu pai, muito renovadas, com a experiência dos anos de exílio, de sucesso e de erros cometidos pelas esquerda chilena, Marco tem para o chile do futuro uma proposta que está sendo aceita pela grande da maioria da população.

A juventude está respaldando fortemente sua campanha que parece ganhar cada dia mais adeptos.

Marco Enríquez-Ominami, saiu do chile com menos de um ano de idade, quando seu Pai, Miguel Enríquez, Secretário Geral do MIR e dirigente da resistencia contra a ditadura de Pinochet morre em combate nos suburbios de Santiago do Chile, sua companheira Carmen Castillo, gravemente herida, sobrevive (veja comentário sobre o filme da vida do líder do MIR)
,


Veja mais informações no site do candidato MARCO ENRÍQUEZ aqui

sexta-feira, 8 de maio de 2009

ECONOMIA - Vale amplia investimentos e empregos no Estado

Mesmo enfrentando as enormes dificuldades decorrentes de uma profunda recessão global, a Companhia "Vale do Rio Doce" conseguiu ampliar, no primeiro trimestre deste ano, o montante dos seus investimentos no Pará, quando comparados ao mesmo período do ano passado (O Diário do Pará deveria atualizar suas fontes de informação, o nome da empresa é "VALE", só) . Em entrevista coletiva concedida ontem, o diretor-executivo de finanças e relações com investidores da Vale, Fábio Barbosa, informou que a empresa registrou também um saldo positivo de 1.200 novas contratações no Estado. Fábio Barbosa, que detalhou os resultados obtidos pela mineradora nos três primeiros de 2009, disse que a Vale injetou na economia paraense, entre janeiro e março, mais de um bilhão de dólares, entre investimento e custeio. Foram US$ 1,073 bilhão, valor 9% maior que os US$ 980 milhões investidos no primeiro trimestre do ano passado. Também neste primeiro trimestre, a Vale desembolsou US$ 30,4 milhões em projetos socioambientais.
Leia na integra no Diário do Pará

ECONOMIA - Petrobras vende concessões no Golfo do México

Portal Exame.
Uma das companhias mais ativas em leilões de áreas petrolíferas nos Estados Unidos, a Petrobras prepara agora a venda de operações na porção norte-americana do Golfo do México. A ideia é se desfazer das concessões em águas rasas, para concentrar esforços e capital em águas profundas e ultraprofundas. Além da crise financeira, a mudança é motivada pela avaliação da direção da companhia de que a expansão dos negócios americanos foi superdimensionada. A decisão de venda foi tomada durante os debates do planejamento estratégico da companhia, no ano passado. A necessidade de desenvolver o pré-sal, camada localizada abaixo do leito marinho, num momento de petróleo barato no mercado internacional e de escassez de recursos levou a empresa a optar por um foco mais fechado nos negócios brasileiros. "A estratégia da companhia vem mudando nesses últimos anos", disse o presidente da Petrobras América, Orlando Azevedo. A estatal petrolífera tem hoje 250 concessões exploratórias no Golfo do México, das quais quase 200 em águas profundas, sua principal especialidade. "Se tenho de gastar dinheiro para perfurar um poço, prefiro gastar onde tenho expertise", disse Azevedo. Segundo ele, ainda não há definição sobre quantos blocos serão vendidos nem qual o prazo para o fim do processo. As negociações vão acompanhar o interesse do mercado. A legislação norte-americana permite que o concessionário fique até dez anos com um bloco, mesmo que não invista na área. No Brasil, ao contrário, o investimento em exploração é definido nas ofertas das empresas nos leilões da Agência Nacional do Petróleo (ANP).
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Leia na Integra aqui na revista EXAME

ECONOMIA - Lucro da Vale deve cair 70% nos três primeiros meses do ano

No comparativo trimestral, Brascan estima forte retração nos ganhos por causa dos impactos negativos da crise

Portal EXAME.
Apesar de alguns indícios de recuperação tenham aparecido nas últimas semanas, a crise econômica ainda deve penalizar os resultados que a Vale apresentará na quarta-feira (6) referentes ao primeiro trimestre do ano. Segundo projeções da Brascan, o lucro líquido da companhia deve cair 70% no comparativo trimestral, ficando próximo a 3,2 bilhões de reais.
A expectativa é de mais um trimestre de fraco desempenho operacional, como conseqüência de fortes quedas na produção siderúrgica e na atividade industrial, reduzindo a demanda por matérias-primas. Tal contração levou a Vale e outras mineradoras globais a cortar produção e reduzir custos, como lembrou a corretora.
"Em contrapartida, esperamos que a recente política da mineradora de priorizar a minimização de custos compense parcialmente a menor escala de suas operações", afirmou a equipe, que manteve recomendação ouperform (desempenho acima da média do mercado) aos papéis, com preço-alvo de 52,04 reais por ação.
A receita bruta também deve sofrer queda, ficando 22% menor que a apresentada nos três últimos meses de 2008. O total deve chegar a 14 bilhões de reais, com o faturamento da Vale impactado pelos preços mais baixos em cerca de mais de 15%. Além disso, o volume de vendas, projetado para ficar 10% menor, também pesa negativamente.
Leia na integra aqui

quinta-feira, 7 de maio de 2009

GRIPE SUÍNA - Investigar e regular! - AVIAN PORCINE - Investigate and regular!

- Campanha de protesto pelas formas de produção intensiva da carne suína. Site inicia a primeira recoleção de assinaturas para enviar à OMS e FAO, órgaõs das Nações Unidas.

Leia na Integra no site.

Os científicos estão começando a estudar os indícios recentes que relacionam o vírus híbrido triple da gripe suína com as granjas de produção intensivas e que caracterizam-se pela falta de limpeza, trato cruel para com os animais e perigosidade.

(Carta de protesto)
Dra. Margaret Chan, Diretora General da OMS
e Dr. Jacques Diouf, Diretor Geral da FAO
ONU

Quens abaixo assina instamos a realizar uma exaustiva investigação e desenvolver uma nova normativa para as empresas de beneficiamento de carne suína que respeite asa normas de segurança para a saúde pública.

A produção de alimento deve ser regulada para garantir a segurança sanitária em nível mundial.

COTIDIANO - Do Portugal, touradas






Saber Partilhar

POLÍTICA - Bajo la sombra de Lula, Brasil ya vive clima de campaña

Cuando faltan 18 meses para las elecciones, los precandidatos calientan los motores en Internet
César González-Calero
LA NACION
Brasil vive, para bien y para mal, de sus excesos. Y ahora el país se enfrenta a otro desafío gigantesco: sustituir al hombre que representa al espíritu del pueblo brasileño, ese que viaja en un pau-de-arara, el camión informal que traslada, como si fueran en un gallinero, a los empobrecidos trabajadores del Nordeste hacia el próspero sur.

Cuando falta todavía un año y medio para las elecciones presidenciales en Brasil, los posibles sucesores de Luiz Inacio Lula da Silva saben que el verdadero rival para batir es, precisamente, ese aura que envuelve al mandatario: el lulismo, un daguerrotipo perfecto del espíritu popular brasileño.

Si la Constitución brasileña se lo permitiera, Lula barrería de un plumazo a cualquier adversario en los comicios de octubre de 2010. Ni siquiera la crisis económica ha logrado erosionar la imagen de este ex obrero metalúrgico de 63 años que no tiene reparos en llorar en público si la ocasión lo requiere, o en reconocer en privado que el único libro que le ha enseñado algo en la vida es "el libro de la calle". Así es Lula. Ni de izquierda ni de derecha, sino todo lo contrario. Populista o pragmático, según convenga. Capaz de adular a Fidel Castro sin que Washington se moleste por ello y de situar a Brasil con el bastón de mando en la región.
Leia mais em La Nación de Buenos Aires

POLÍTICA - Coordenador da pré-campanha de Dilma defende volta de Delúbio

Coordenador da pré-campanha presidencial de Dilma Rousseff (Casa Civil) no Nordeste, o ex-prefeito de Recife João Paulo Lima e Silva pediu para ser o principal defensor do ex-tesoureiro Delúbio Soares na reunião do PT que decidirá sua volta ao partido, prevista para amanhã.
Antes da discussão do Diretório Nacional, porém, será votada proposta de duas correntes minoritárias, a Mensagem ao Partido e a Articulação de Esquerda, para retirar o tema da pauta. Ontem, a tendência era de aprovação do adiamento.
A proposta agrada ao Planalto: um de seus defensores é o chefe da assessoria especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia.A volta de Delúbio, artífice do mensalão, rachou a cúpula do governo e praticamente todas as correntes. Enquanto o principal representante de Dilma no diretório o defende, palacianos trabalham contra. Chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho tem dito internamente que ficará difícil aceitar presidir o PT se Delúbio, que foi expulso em 2005, for anistiado.
O diretório tem 84 integrantes. Havendo quórum mínimo de 43 petistas, uma maioria simples será suficiente para aceitar o retorno de Delúbio.
Leia mais na Folha

DILMA - Franklin critica Folha no caso da suposta ficha sobre Dilma

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Franklin Martins, disse ontem, no Rio, que a Folha está em "posição insustentável", ao comentar a reprodução, na edição do dia 5 de abril, de suposta ficha criminal com informações sobre a participação da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, no planejamento ou execução de ações armadas contra a ditadura militar (1964-1985).
A ministra contesta a veracidade do suposto documento. No último dia 25, em outra reportagem, a Folha relatou não ter encontrado meios de comprovar a veracidade da ficha e admitiu erro ao publicá-la como se fizesse parte do arquivo do extinto Dops (Departamento de Ordem Política e Social).
Leia mais na Folha

TECNOLOGIA - Empresa noruega cria helicóptero espião que cabe na palma da mão - Norsk selskap skaper spion helikopter som passer i håndflaten din

Um helicóptero que cabe na palma da mão pode se tornar a mais nova ferramenta para auxiliar nos serviços de espionagem. Criado pela empresa norueguesa Prox Dynamics, o helicóptero espião PD1200 foi desenvolvido por soldados e espiões e também poderá ser usado em complicados serviços de resgate. O pequeno equipamento é movimentado por um motor elétrico e comandado por controle remoto. Com hélices medindo 10 cm, o objeto do tamanho de um brinquedo pesa apenas 15 gramas e pode atingir a velocidade de 32 km/h. O helicóptero capta imagens dos locais que devem ser espionados a partir de uma câmera acoplada em seu interior. "O PD 1200 pode ser carregado dentro do bolso e levanta voo em segundos, dando um panorama quase que imediato sobre o que se passa no terreno", disse Petter Muren, presidente da Prox Dynamics.
Leia mais no UOL Notícias

ECONOMIA - Economia brasileira é atrativa para quem está ávido por lucros


Jonathan Wheatley
A forte alta das ações e moeda brasileiras nos últimos dois meses deixou muitos analistas à procura de explicações convincentes.O índice da Bolsa de Valores de São Paulo, a Bovespa, valorizou de 35 mil pontos no início de março para quase 52 mil pontos na manhã de quarta-feira.

O índice subiu mais de 75% desde sua queda em outubro passado, apesar de ainda estar longe de sua alta de mais de 73 mil pontos há um ano.Enquanto isso, o real - que se desvalorizou frente ao dólar americano de R$ 1,62 para R$ 2,48 entre agosto e dezembro - era negociado a R$ 2,12 na manhã de quarta-feira.

Ele se recuperou tão rapidamente nesta semana que o Banco Central começou novamente a comprar os dólares americanos pela primeira vez desde setembro.

"Eu vou te dizer, é muito confuso", disse Alvise Marino, analista de mercados emergentes da IDEAglobal, uma firma de pesquisa de Nova York.

Por um lado, as notícias econômicas que vêm do Brasil - assim como de todos os mercados emergentes e do mundo em geral - não são tão boas.

A produção industrial caiu mais de 10% em março, em comparação ao ano passado, após três quedas mensais consecutivas de cerca de 17%.

As vendas de veículos - um indicador chave, que despencou em dezembro mas se recuperou neste ano, graças a uma isenção temporária de impostos - caiu de novo em abril em 13,6% em comparação a março.

Leia na integra

MEIO AMBIENTE - ONU alerta para redes de pesca "fantasmas" que ameaçam a vida marinha



Um relatório da ONU divulgado nesta semana afirma que redes e equipamentos de pesca abandonados ou perdidos estão ameaçando a população de peixes e outros animais marinhos.

O relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês) e do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) afirma que o equipamento abandonado ou perdido constitui cerca de 10% (640 mil toneladas) dos resíduos marinhos.

O transporte comercial marítimo é o principal responsável pelo abandono, perda ou descarte destes materiais em mar aberto. Nas áreas costeiras, os principais responsáveis estão localizados em terra. O estudo feito pelas duas organizações da ONU afirma que o problema está piorando devido ao aumento na escala de operações de pesca no mundo e devido à introdução de equipamentos que alta durabilidade, fabricados com materiais sintéticos.

O relatório afirma que entre os maiores impactos deste problema estão a captura contínua de peixes, conhecida como "pesca fantasma", e outros animais como tartarugas, aves e mamíferos marinhos, que ficam presos e morrem nas redes.

Além disso, estes equipamentos também podem causar alterações do ambiente e do solo marinho e o aumento dos riscos para navegação, com acidentes ou danos a embarcações.

Leia mais no UOL e na BBC Brasil

quarta-feira, 6 de maio de 2009

ECONOMIA - Banco Central intervém e interrompe queda do dólar

Um dia depois de o dólar cair ao menor valor desde novembro de 2008, o Banco Central (BC) surpreendeu analistas de mercado ao voltar a comprar a moeda americana ontem. Em um único leilão, comprou US$ 3,4 bilhões. Essa atuação expressiva revirou o mercado, que operava em queda, mudou de rumo e fechou em alta de 1,03%, a R$ 2,148. O BC não fazia esse tipo de operação desde setembro de 2008, mês do agravamento da crise.

A ação de ontem foi feita com o chamado swap cambial reverso, instrumento financeiro que equivale à compra de dólares no mercado futuro. Esse retorno às compras foi explicado pelo BC como uma decisão provocada por "alterações nas condições de fluxo prevalentes no mercado nas últimas semanas". De fato, indicadores sinalizam a volta dos dólares ao Brasil. Em abril, o comércio exterior, por exemplo, foi responsável pelo ingresso de US$ 3,71 bilhões.

Leia aqui no Estadão

BIODIVERSIDADE - Amazônia ganha rede de Biodiversidade e Biotecnologia - Amazon wins network of Biodiversity and Biotechnology


A Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal (Bionorte) terá R$ 6 milhões para a sua implantação. O anúncio foi feito hoje (28) pelo secretário de Política e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Luiz Antonio Barreto de Castro, na 1ª Reunião do Conselho Diretor da rede, em Brasília.
“O papel da Bionorte é criar uma nova realidade para o desenvolvimento da região”, afirmou Barreto de Castro. Os recursos para esta ação são dos Fundos Setoriais e o termo de referência para o edital já está pronto. Além daquela verba, estão previstos ainda para este ano mais R$ R$ 8,5 milhões para a estrutura de redes temáticas para a conservação e o desenvolvimento sustentável da Amazônia.
“Queremos grandes projetos sem pulverizar o dinheiro e envolvendo todos os estados do Norte”, acrescentou o secretário. O objetivo da Bionorte, segundo Barreto de Castro, é integrar competências para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, desenvolvimento, inovação e formação de doutores, com foco na biodiversidade e biotecnologia.
Conselho
O conselho da Bionorte é formado por representantes do MCT, dos ministérios da Integração (MI), do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), dos conselhos Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência e Tecnologia e Inovação (Consecti), Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap), setor empresarial e das universidades.
“Os representantes presentes têm condições de fazer um trabalho na Amazônia bem coordenado entre a sociedade e o governo”, destacou Barreto de Castro. Na reunião de hoje, ficou decidido que os membros enviarão até o dia 7 de maio, os 12 nomes que formarão o Comitê Científico da Bionorte.
Este comitê já tem uma pauta definida, que é a de debater a estruturação de um curso de pós-graduação em Biotecnologia, avaliar um documento de criação do Centro Franco Brasileiro de Biodiversidade e Biotecnologia e o fortalecimento do sistema de pesquisa e desenvolvimento na Amazônia por meio de Redes Temáticas. Em princípio a reunião ocorre em meados de maio.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

IMAGEM DE HOJE - O MAIOR CANAL DE IRRIGAÇÃO DO MUNDO - the largest irrigation canal in the world and a key landmark along the U.S.-Mexico

All-American Canal, California-Mexico border
Posted February 23, 2009




The All-American Canal, o maior canal de irrigação do mundo e um marco fundamental ao longo da fronteira EUA-México, é o foco desta imagem, tirada pela tripulação da Expedição 18 a bordo da Estação Espacial Internacional.

A linha escura proeminentes que atravessam a imagem é o canal, que é atravessada neste vista por Interstate Highway 8. O canal transporta 26.155 pés cúbicos de água por segundo para oeste a partir do rio Colorado para apoiar a agricultura intensiva da Califórnia.


EXTRATIVISMO - SERÁ REALIZADO EM BRASÍLIA SEMINÁRIO SOBRE EXTRATIVISMO NA AMAZÔNIA

Será realizado em Brasília o Seminário "O Plano Amazônia Sustentável e o Futuro do Extrativismo".

1. O evento contará com a presença de extrativistas, secretários de meio ambiente, florestas e desenvolvimento rural e parlamentares dos estados da Amazônia Legal para debater a política de Soerguimento do Extrativismo na Amazônia.

2. O seminário, uma parceria entre a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República e o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, acontecerá nos dias 06 e 07 de maio de 2009, das 9h30 às 18h, com a abertura no dia 06 de maio de 2009, às 09h30.

O evento será sediado no Auditório Acrópole, Hotel Mercure Apartment Brasília Líder, Setor Hoteleiro Norte, Quadra 05, Bloco I, Brasília - DF.

3. O objetivo central do Seminário é debater com os atores sociais e políticos a proposta de uma política de desenvolvimento do extrativismo baseada na valorização econômica da biodiversidade e na modernização da floresta. Trata-se, portanto, de evento público de relevância para o soerguimento econômico e tecnológico do extrativismo.

4. Confirmação, pelos telefones: (61) 3411-4705 e (61) 3411-4704 ou pelo e-mail: cerimonial.sae@planalto.gov.br.

LOCAL: Hotel Mercure Apartment Brasília Líder - Setor Hoteleiro Norte, Quadra 5, Bloco I (ref. ao lado do McDonald's)

AGENDA

6 de maio de 2009

09:30-11:00 Abertura com Ministro Mangabeira Unger (SAE) e Ministro Carlos Minc (MMA).
11:00-12:00 Apresentação da proposta de Nova Política para o Extrativismo pela SAE.
14:00-18:00 Trabalho em grupo e apresentação dos resultados.

7 de maio de 2009

08:00-10:00 Apresentação dos resultados do trabalho em grupo.

10:00-12:30 Mesa 1: Regularização Fundiária das Reservas Extrativistas
Objetivo: Realizar um balanço das dificuldades encontradas na regularização fundiária das Unidades de Conservação de Uso Sustentável, especialmente das Reservas Extrativistas na Amazônia, e apresentar alternativas.

Participantes:
1. Instituto Chico Mendes
2. Advocacia Geral da União
3. Secretaria de Patrimônio da União
4. INCRA
5. Ministério Público Federal
6. Secretaria de Assuntos Estratégicos

14:30-17:00 Mesa 02: Gestão e Desenvolvimento das Reservas Extrativistas
Objetivo: Realizar um balanço das ações, dificuldades e oportunidades relacionadas à gestão e ao desenvolvimento econômico das Reservas Extrativistas na Amazônia.

Participantes:
1. Instituto Chico Mendes
2. Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável/MMA
3. Serviço Florestal Brasileiro
4. Representante Mapa/Conab
5. Representante MDS
6. Representante PAC Social/Casa Civil
7. Secretaria de Assuntos Estratégicos

17:00-18:00 Encerramento e Agenda de Compromissos.

MEIO AMBIENTE - CORTES ORÇAMENTÁRIOS REDUZEM PROGRAMAS DO MMA

O anúncio feito em abril pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) de ampliar o programa de monitoramento via satélite da cobertura florestal, que hoje é feito só na Amazônia, para incluir também a Caatinga, o Cerrado, a Mata Atlântica, o Pampa e o Pantanal, foi bem recebido por grande parte da sociedade - preocupada com os altos índices de desmatamento.
Porém, antes mesmo de ser iniciada, a ampliação já sofreu um revés. Neste mesmo mês, o governo federal diminuiu em 20% a verba para a construção de novos satélites, instrumentos primordiais para acompanhar as tendências de devastação. Como resultado do corte de gastos, o início do acompanhamento e divulgação anual dos índices de desmatamento de todos os biomas pode atrasar ter atrasos.
A continuidade do monitoramento da devastação de florestas na região e também em outros biomas depende do lançamento, até 2014, de outros dois satélites - CBERS 3 e 4.

A construção desses satélites já está acertada com a China desde 2002. Contudo, dos R$ 203 milhões previstos na Proposta de Lei Orçamentária para o programa espacial do Inpe, R$ 15 milhões foram ceifados.

Além disso, R$ 25 milhões foram retirados do satélite Amazônia 1, um novo equipamento previsto para ser lançado em 2011 que diminuiria o tempo de monitoramento na floresta. Segundo informou o Inpe, ainda não é possível afirmar que haverá atraso, mas o risco passou a existir. O problema em retirar verbas do CBERS não é apenas causar uma possível quebra no monitoramento da Amazônia, mas também atrasar o início do monitoramento de outros biomas prometido pelo MMA.

Leia na integra aqui

POLÍTICA FUNDIÁRIA - Fazenda de Dantas: "Há certo receio do judiciário em discutir a propriedade", diz promotor

Em entrevista exclusiva ao Amazonia.org.br, o procurador-geral do Estado do Pará, Ibrahim Rocha, que trabalha em vários processos relacionados à questão fundiária no Estado, fala sobre o caso da ocupação das fazendas do banqueiro Daniel Dantas e, de um ponto de vista jurídico, analisa o caos fundiário na região. Confira.

Amazonia.org.br - Quantas ações similares à da Fazenda Castanhal, de propriedade de Daniel Dantas, estão em curso no Pará?
Rocha - O Estado tem aproximadamente 60 ações ajuizadas

Amazonia.org.br - Na sua opinião, todas essas ações são ligadas à grilagem?
Rocha - São causas variadas de grilagem, mas no geral, o cerne comum são ações de combate à grilagem em terras públicas.

Amazonia.org.br - Na sua opinião, qual o principal motivo pela grilagem no Pará hoje?Rocha - Primeiro que nós temos cartorários que nunca exerceram de fato o ofício de matricular somente o que era de direito, mas admitiram vários títulos que não eram registrados como representativos de domínio e por aí se criou uma grande facilidade na especulação do direito à terra que gerou esse caos hoje existente no Estado.

Amazonia.org.br - A impunidade está relacionada a isso?
Rocha - Com toda certeza, porque não sendo apurados, não sendo devidamente corrigidos esses descalabros e também com pouca eficiência nas decisões para cancelar esses registros imobiliários irregulares, incentiva-se a impunidade e o pensamento de que é fácil grilar terra pública.

Amazonia.org.br - Com relação ao caso do Daniel Dantas e da fazenda Castanhal Espírito Santo, que teve o registro bloqueado recentemente, por que ainda não houve o cancelamento definitivo do registro? Por que por enquanto só houve uma suspensão?
Rocha - O Estado requereu o cancelamento definitivo por entender que uma vez que o objeto para o qual foi concedido o aforamento - que é a exploração de castanhal - foi totalmente desvirtuado e mesmo no contato de aforamento a terra permanece como pública, na verdade o que tem que se cancelar é a concessão de aforamento.
Então deveria ter sido concedida essa decisão pelo juiz liminarmente, mas não foi o que aconteceu. E neste sentido, estamos apresentando a réplica. Esperamos que então a Justiça decrete - da maneira mais rápida possível - o cancelamento deste registro imobiliário que diz respeito ao contato de aforamento e que a terra então seja plenamente do Estado.

Amazonia.org.br - O processo de investigação que dá subsídios à decisão do juiz já está completa?
Rocha - Sim. Toda a documentação comprova que foi feita a promessa de compra e venda sem autorização do Estado; a prova pública de que na verdade não tem mais castanhal no local, portanto não tem mais sentido nenhum se falar em contato de aforamento - além do que a própria autorização para a consolidação da área do aforamento como propriedade não foi feita na forma da Lei, com autorização do governador.

Então há uma série de irregularidade que só levam a um caminho: o reconhecimento de que essas são terras públicas estaduais.
Leia na integra aqui

ECONOMIA - Uncertainty bedevils the best system A incerteza atormenta o melhor sistema




Por Edmund Phelps
Do Financial Times

Antes de dar um salto no escuro a um "sistema desconhecido" ou de incertezas, o autor propõe uma versão do capitalismo regulada.
O capitalismo “free market” or laisser faire– ou system of zero government, acrescido de polícia não funciona bem reconhece o autor.
Veja o comentário na integra no Financial Times

GRIPE - O virus pode ser "vingativo" disse a Chinessa Diretora da OMS, só podia vir da China

Acontece que agora a Gripe foi batizada com o nome de Gripe "A", segundo a OMS, para não afetar às as empresas suínas. E a gripe aviária?. Coitadas das galinhas sofreram, como sempre, o preconceito das instituições de saúde.

A Diretora da OMS rebate críticas de reação exagerada .

A diretora da Organização Mundial de Saúde rebateu as críticas que acusaram a entidade de reagir exageradamente à crise da gripe suína, alertando que a doença pode retornar "com espírito de vingança" nos próximos meses.

Em sua primeira longa entrevista à imprensa desde o alerta mundial de uma possível epidemia da gripe há nove dias, Margaret Chan, diretora-geral da organização, disse ao Financial Times que o fim da temporada da gripe no hemisfério norte significa que este primeiro surto pode ser mais suave, mas que uma segunda onda seria mais letal, como aconteceu em 1918.

As últimas informações do México sugerem que o impacto da gripe pode ser menor do que se acreditou no início. O ministro da Saúde mexicano José Angel Cordova disse que a epidemia do vírus da gripe havia passado do seu ápice e estava em declínio. "A evolução da epidemia agora está em uma fase decrescente", disse ele.

O governo mexicano, que já havia reduzido sua estimativa original de 176 mortes, disse que foram confirmadas apenas 19 das possíveis 100 mortes causadas pelo vírus H1N1.Mas Chan alertou que o aparente declínio das taxas de mortalidade dentro e fora do México não significa que a pandemia esteja no fim.

"Esperamos que o vírus se enfraqueça, porque se isso não acontecer, podemos estar a caminho de um grande surto". Mas completou: "Não estou prevendo que a pandemia estoure, mas se eu perdê-la de vista e nós não nos prepararmos, eu terei falhado. Prefiro me precaver em demasia a não estar preparada."

Leia na Integra no UOL INTERNACIONAL, Financial Times

domingo, 3 de maio de 2009

MEIO AMBIENTE - Qual é a disponibilidade de terras no Brasil? - What is the availability of land in Brazil?

Qual a disponibilidade de terras para ampliar a produção de alimentos e energia, para a reforma agrária, para o crescimento das cidades e a instalação de obras de infra-estrutura no Brasil? Para o cidadão comum, o país tem muita área disponível. Na realidade, não. Segundo pesquisa realizada pela Embrapa Monitoramento por Satélite, a rigor, em termos legais, menos de 30% do país seriam passíveis de ocupação econômica urbana, industrial e agrícola. Talvez menos.
Nos últimos 15 anos, um número significativo de áreas foram destinadas à proteção ambiental e ao uso territorial exclusivo de populações minoritárias. Parte dessas iniciativas legais foi feita sem o conhecimento de seu real alcance territorial. Esta pesquisa avaliou, pela primeira vez, o alcance territorial dessa legislação em todo o país.
Os resultados numéricos e cartográficos obtidos são apresentados nesse site, assim como alguns cenários de alcance territorial do dispositivo das Áreas de Preservação Permanente. O sistema de gestão territorial estruturado para atingir os objetivos desse trabalho é resultado de um processo de pesquisa que continua. Em breve, alguns aspectos desse trabalho poderão ser aperfeiçoados mas os resultados obtidos representam um subsídio inédito para os formuladores de políticas públicas a nível federal, estadual e municipal.
Finalmente, os resultados desse trabalho apontam para uma distância crescente entre legitimidade e legalidade no uso e ocupação das terras. Além disso, existem novas e enormes demandas territoriais por parte dos ambientalistas, indigenistas, comunidades quilombolas, processos de assentamento e reforma agrária, além das necessárias à expansão da área agrícola, urbana e energético-mineradora. Tudo aponta para grandes impasses no ordenamento territorial do Brasil e um agravamento ainda maior dos conflitos no futuro.
Leia reportagem na integra

MEIO AMBIENTE - Degelo acelerado é alerta para pacto climático, diz Al Gore - Accelerated melting is alert for climate pact, says Al Gore


O derretimento acelerado do gelo do Himalaia ao Círculo Polar Ártico é um sinal de alerta para que os governos trabalhem por um novo e forte tratado climático sob a chancela da Organização das Nações Unidas a fim de combater a mudança climática, disse o ex-vice presidente dos EUA Al Gore nesta terça- feira (28).
"O gelo está derretendo mais rápido do que as piores projeções de apenas alguns anos atrás no Ártico e na Groenlândia", disse Gore, que dividiu o prêmio Nobel da Paz de 2007 com o Painel Climático da ONU, durante conferência na Noruega sobre o degelo.
"O gelo também está derretendo na Antártida Ocidental e em regiões de montanha ao redor do mundo", acrescentou.

Na abertura de um encontro de dois dias com cientistas e oito países do Ártico na cidade de Tromsoe, no norte do país, o ministro das Relações Exteriores norueguês, Jonas Gahr Stoere, acrescentou que o gelo estava desaparecendo da terra ao redor do planeta com o aumento das temperaturas e o aumento do nível dos oceanos.
"Esse é um fenômeno global refletindo o aquecimento global", afirmou ele em uma entrevista coletiva, referindo-se ao degelo em locais como "o Himalaia, os Alpes, os Andes, Kilimanjaro, Groenlândia, Polo Sul ou Polo Norte".
Stoere afirmou que ele e Al Gore planejam organizar uma força-tarefa com especialistas para estudar o derretimento e relatá-lo à conferência da ONU em Copenhague em dezembro, na qual deverá ser aprovado um novo pacto climático.
As evidências mais recentes do degelo seriam uma "mensagem de alerta para Copenhague", afirmou ele.
Muitas geleiras estão sofrendo retração, mas até agora a relação entre o degelo nas montanhas nos trópicos e o Ártico não foi suficientemente ressaltado, afirmou.
Leia aqui na integra no Estadão Online