Google+ Badge

sábado, 4 de abril de 2009

PEDOFILIA - TODO DIA NOVOS CRIMES SÃO DESCUBERTOS - ALL DAY neue Verbrechen finden

Taubaté - Dois homens foram presos anteontem em São Luiz do Paraitinga, região de Taubaté, interior de São Paulo, acusados de pedofilia. De acordo com a polícia civil, o lavrador Cláudio Henrique Leite, 47 anos, e o pedreiro Darci Caetano Amaral, de 38 anos, são suspeitos de manter relações sexuais com uma menina de 7 anos e uma adolescente de 13 anos, que seriam sobrinha e tia. O lavrador Cláudio Leite é padrasto de uma das vitimas e Amaral, o outro suspeito, casado com uma irmã mais velha da adolescente de 13 anos.

Ainda segundo a polícia, a mãe e a irmã mais velha desconheciam a situação. A prática sexual se dava, segundo as vitimas, quando as mulheres dos acusados não estavam em casa.


A policia chegou ao caso depois que a criança de 7 anos estava chorando muito, sentada na calçada. Uma das vizinhas se aproximou e acabou convencendo a menina a contar o motivo do choro. Os vizinhos levaram o caso ao Conselho Tutelar e a adolescente de 13 anos acabou revelando que também sofria abusos. Em seguida, a policia começou a investigar o crime e fez as prisões na tarde de ontem em uma operação que durou cerca de 8 horas.


No mês passado, um ex-policial também foi preso em Taubaté, acusado de aliciar e manter relações sexuais com três irmãs de 7, 11 e 13 anos, filhas de sua amante. A prática acontecia em uma chácara da cidade de São Luiz do Paratinga.

MÚSICA - BOM FIM DE SEMANA!

MUSICA INESQUECIVEL - INOLVIDÁVELMENTE

AQUI EM BRASÍLIA - Brasília vai amanhecer correndo...- Brasília vai at dawn


Corredores preparem-se!
A Maratona Brasília de Revezamento, maior corrida de rua do DF, chega a sua terceira edição com muitas novidades. Para comemorar o 49º aniversário de Brasília, o evento se realizará no dia 21 de abril, já faz parte do calendário de festividades da capital.
Em 2009 o percurso de 42.195m deve contar com 5.500 atletas, divididos nas categorias masculina, feminina, mista e adaptada, em equipes compostas de dois, quatro ou oito atletas.
Os maratonistas agora podem participar do site por meio do canal interativo, postando fotos, vídeos, respondendo enquetes e contando suas experiências com o esporte.
A Maratona ocorre dia 21 de abril, a partir das 8 horas, na Esplanada dos Ministérios. As inscrições vão do dia 19 de fevereiro até o dia 09 de abril.
Monte sua equipe e corra para participar!

Preparando-se para esse evento, o Parque da cidade está concorrido com treinos que param só para esperar a chuva acabar.

AQUI EM BRASÍLIA - Turismo sexual é crime no Brasil - Sex tourism is a crime in Brazil

PARA NÃO ESQUECER.

Legislação sobre turismo sexual.

É crime: Submeter criança e adolescente à prostituição ou à exploração sexual.
Pena: Reclusão de 4 a 10 anos e multa (artigo 244A do Estatuto da Criança e do Adolescente).

É crime: Hospedar criança ou adolescente, desacompanhado dos pais ou responsável ou sem autorização escrita destes ou da autoridade judiciária, em hotel, pensão, motel ou congênere.
Pena: Multa de 10 a 50 salários de referência.
Em caso de reincidência, a autoridade judiciária poderá determinar o fechamento do estabelecimento por 15 dias (artigo 250 do Estatuto da Criança e do Adolescente).

É crime: Mediação para servir à lascívia de outrém. Pena: Reclusão de 1 a 3 anos (artigo 227 do Código Penal Brasileiro).

É crime: Favorecimento da prostituição.Pena: Reclusão de 2 a 5 anos (artigo 228 do Código Penal Brasileiro).

É crime: Manter por conta própria ou de terceiros casa de prostituição ou lugar destinado a encontros libidinosos, haja ou não a intenção de lucros. Pena: Reclusão de 2 a 5 anos (artigo 229 do Código Penal Brasileiro).

É crime: Tirar proveito da prostituição alheia, participando diretamente de seus lucros ou fazendo-se sustentar, no todo ou em parte, por quem a exerça. Pena: Reclusão de 1 a 4 anos e multa (artigo 230 do Código Penal Brasileiro).

É crime: Promover, intermediar ou facilitar a entrada, no território nacional, de pessoa que vem exercer a prostituição ou a saída de pessoas para exercê-la no estrangeiro.Pena: Reclusão de 3 a 8 anos e multa. Se há emprego de violência, grave ameaça ou fraude, a pena é de reclusão de 5 a 12 anos e multa, além da pena correspondente à violência (artigo 231 do Código Penal Brasileiro).
É crime: Promover tráfico interno de pessoas. Pena: Reclusão de 3 a 8 anos e multa (artigo 231A do Código Penal Brasileiro).

BRASIL, AMAZÔNIA - Índigenas peruanos buscam abrigo no Amazonas


Sertanistas da Fundação Nacional do Índio (Funai) descobriram casualmente, por imagens do Google Earth, a entrada no Brasil de índios peruanos isolados, próximo ao Rio Envira, no Acre. O grupo ainda não foi identificado, mas a Funai acredita tratar-se de integrantes da etnia Pano, que estariam fugindo da devastação da Reserva Territorial Murunahua, no departamento de Pucallpa. Até agora, foram localizadas duas malocas com aproximadamente 60 pessoas. Uma outra tribo, provavelmente nômade, e também peruana, migrou durante o verão para um local que fica a 50km da cidade de Santa Rosa, às margens do Rio Purus. A estimativa é de que existam na região cerca de 600 índios arredios.
Os sertanistas já tinham informações sobre a entrada de índios arredios peruanos em território brasileiro, mas a certeza surgiu por acaso. “Um amigo me mostrou imagens do Google Earth de uma clareira no meio da floresta, em uma mesma região onde já havíamos ouvido gritos de pessoas por várias vezes quando passamos de barco em uma expedição”, afirma o sertanista José Carlos dos Reis Meirelles Júnior, responsável pela Frente de Proteção Etnoambiental Rio Envira, criada há 10 anos pela Funai. Segundo ele, as coordenadas indicadas pelo Google Earth foram localizadas por GPS e em seguida um sobrevoo no local, em abril do ano passado, confirmou a presença dos índios peruanos.
Os levantamentos feitos por Meirelles indicam que existem pelo menos três grupos indígenas isolados na região do Rio Envira, sendo que dois deles estão no local há vários anos.

TAUTOLOGIAS DO DIA SABADO

- Acabamento final;
- Quantia exata;
- Nos dias 8, 9 e 10, inclusive;
- Superávit positivo;
- Todos foram unânimes;
- Habitat natural;
- Certeza absoluta;
- Quantia exata;
- Sugiro, conjecturalmente;
- Nos dias , e inclusive;
- Como prêmio extra;
- Juntamente com;
- Em caráter esporádico;
- Expressamente proibido;
- Terminantemente proibido;
- Em duas metades iguais;
- Destaque excepcional;
- Sintomas indicativos;
- Há anos atrás;
- Vereador da cidade;
- Outra alternativa;
- Detalhes minuciosos / pequenos detalhes;
- A razão é porque;
- Interromper de uma vez;
- Anexo (a) junto a carta, ao e-mail;
- De sua livre escolha;
- Superávit positivo;
- Vandalismo criminoso;
- Palavra de honra;
- Conviver junto;
- Exultar de alegria;
- Encarar de frente;
- Comprovadamente certo;
- Fato real;
- Multidão de pessoas;
- Amanhecer o dia;
- Criar novos empregos;
- Retornar de novo;
- Freqüentar constantemente;
- Empréstimo temporário;
- Compartilhar conosco;
- Surpresa inesperada;
- Completamente vazio;
- Colocar algo em seu respectivo lugar;
- Escolha opcional;
- Continua a permanecer;
- Passatempo passageiro;
- Atrás da retaguarda;
- Planejar antecipadamente;
- Repetir outra vez / de novo;
- Sentido significativo;
- Voltar atrás;
- Abertura inaugural;
- Pode possivelmente ocorrer;
- A partir de agora;
- Última versão definitiva;
- Obra-prima principal;
- Gritar/ Bradar bem alto;
- Propriedade característica;
- Comparecer em pessoa;
- Colaborar com uma ajuda / auxílio;
- Matriz cambiante;
- Demasiadamente excessivo;
- Individualidade inigualável;
- A seu critério pessoal;
- Abusar demais;
- Preconceito intolerante;
- Medidas extremas de último caso;
- De comum acordo;
- Inovação recente;
- Velha tradição; - Beco sem saída;
- Discussão tensa;
- Imprensa escrita;
- Sua autobiografia;
- Sorriso nos lábios;
- Goteira no teto;
- General do Exército; (Só existem generais no Exército)
- Brigadeiro da Aeronáutica; (Só existem brigadeiros na Aeronáutica)
- Almirante da Marinha; (Só existem almirantes na Marinha)
- Manter o mesmo time;
- Labaredas de fogo;
- Erário público; (Os dicionários ensinam que erário é o tesouro público, por isso, basta dizer somente erário)
- Despesas com gastos;
- Monopólio exclusivo;
- Ganhar grátis;
- Países do mundo;
- Viúva do falecido;
- elo de ligação;
- criação nova;
- Expectativas, planos ou perspectivas para o futuro.

e...atire a primeira pedra quem não comete esse vício!

sexta-feira, 3 de abril de 2009

BRASÍLIA - Bilhetes aéreas para deputados de Brasília

O assunto passagens aéreas desperta especial apreensão na bancada dos Deputados do DF, que faz pleno uso da cota embora seu deslocamento, em tese, limite-se ao trajeto Asa Norte-Asa Sul.

G-20 - UM MUNDO NOVO COM DINHEIRO VELHO - A NEW WORLD WITH OLD MONEY

Números trilionários do G20 ocultam ação tímida.
Maior parte dos valores anunciados ao final do encontro não é recurso novo.
Quando todos os números são somados, em lugar de US$ 1,1 tri, total de novos compromissos parece ficar abaixo de US$ 100 bilhões.
CHRIS GILESDO
"FINANCIAL TIMES",
EM LONDRES

O premiê britânico, Gordon Brown, declarou que ontem foi "o dia em que o mundo se uniu para combater a recessão, não com palavras, e sim com um plano para a recuperação e a reforma econômica". Ele afirmou que os estímulos fiscais globais, os maiores "que o mundo já viu", chegam a US$ 5 trilhões e que haveria um novo "programa de apoio para restaurar o crédito, o crescimento e os empregos, na economia mundial", de US$ 1,1 trilhão.
Os números apresentados ao final de uma conferência de cúpula internacional precisam sempre ser examinados com atenção, especialmente se quem os estiver apresentando for o primeiro-ministro britânico. A reputação de Brown por inflar números, anunciar mais de uma vez as mesmas medidas e contar duplamente os valores envolvidos é bem conhecida. O número de US$ 5 trilhões para as medidas de estímulo fiscal fica bem distante do valor total de estímulo que os EUA e o Fundo Monetário Internacional (FMI) desejavam.
Não foi oferecido nenhum dinheiro novo, e o Tesouro britânico, embora tentasse atribuir o número ao FMI, na verdade afirmou que ele se referia à elevação cumulativa na captação dos governos do G20 para o período de 2008 a 2010, ante os resultados de 2007.
Leia mais aqui: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi0304200909.htm

MÚSICA - Bob Dylan perdeu para as nove mulheres - Bob Dylan lost to the nine women


Alexandre Xavier
De São Paulo
Nesta semana Bob Dylan, Leonard Cohen e Belle & Sebastian apareceram com novidades. Pena que só as duas últimas são dignas de aplauso.
O mestre Dylan lançou na internet "Beyond Here Lies Nothing", o primeiro single de Together Through Life, seu 33° álbum de estúdio que sai só dia 28 de abril. A única novidade deste álbum é o fato de que todas as faixas do disco terão um acordeon no arranjo. De resto, a julgar pelo single, não vem nada de relevante aí.

Por enquanto, a impressão é que o novo álbum será uma continuação sem inspiração do Modern Times, seu belo último trabalho. Uma pena, haja vista que havia muita expectativa em relação ao Together Through Life (não só porque trata-se de um álbum surpresa, mas também porque Bob Dylan é Bob Dylan e seus últimos quatro discos são excelentes).
É digno de nota também o novo CD do Leonard Cohen, o Live in London, um registro da turnê que marcou sua volta aos palcos depois de 15 anos. Esse é um discasso porque conta com as melhores músicas da discografia do homem num show memorável.

Mas a grande novidade musical da semana vem do Stuart Murdoch, o vocalista do Belle & Sebastian (a banda escocesa que já pode ser considerada um clássico indie).
Murdoch lançou nesta quinta-feira a primeira música do seu novo projeto, o God Help the Girl. Este projeto doido começou há cinco anos e juntou uma orquestra, uma idéia grandiosa e nove vocalistas mulheres. Só para se ter uma idéia da minúcia da coisa, para escolher as vocalistas Murdoch recorreu não só a anúncios de jornais, mas também ao Ídolos escocês.
O álbum sai só em junho, mas o site do God Help the Girl e o primeiro single lançado nesta quinta-feira (chamado "Come Monday Night") já dão um gostinho do que vem por aí.
A coisa parece divina. Ouça tudo e leia mais aqui.

TECNOLOGIA - Google estaría em conversações para comprar Twitter - Google is in talks to buy Twitter


El gigante de las búsquedas en Internet, Google, estaría en negociaciones para adquirir el servicio de microblogging Twitter, afirmó el blog especializado TechCrunch hoy citando fuentes cercanas a las conversaciones.Aunque no se conoce el precio, Twitter estaría avaluado en unos US$250 millones. La compañía rechazó anteriormente una oferta de compra por parte de Facebook por casi US$500 millones, aunque esa oferta estaba compuesta en parte de acciones de la red social, en lugar de efectivo.Según fuentes citadas por el sitio web, las discusiones estarían aún en una etapa temprana, y que también sería posible una cooperación entre ambas para la creación de un buscador en tiempo real.Twitter permite el envío de mensajes de 140 caracteres a Internet a través de teléfonos móviles o mediante el mismo sitio Web. Según TechCrunch, tendría valor para Google ya que permite realizar búsquedas de información de último minuto gracias a los mensajes enviados por los usuarios.
Fonte: El Financiero, Chile.

AMAZÔNIA - As ameaças do dendê para a conservação da biodiversidade e das florestas - Dengan ancaman dari minyak kelapa sawit untuk konservasi keaneka

Um estudo sobre os efeitos da expansão do cultivo de palmeiras de óleo à biodiversidade da Amazônia foi publicado na revista Tropical Conservation Science, indicando que potenciais investimentos nessa produção para a região podem causar sérios impactos ambientais à floresta amazônica. De acordo com a pesquisa, quase metade da Amazônia (2,3 milhões de quilômetros quadrados) é apropriada para o cultivo de palmeira de óleo, e corporações da Malásia vêm sinalizando seu interesse em se instalar na região para estabelecer novas plantações.
O relatório também considera preocupante o fato de o governo brasileiro cogitar a aprovação de uma lei que passaria a contar as plantações de palmeira de óleo como “florestas”, dentro da exigência de reserva florestal de 80% para propriedades privadas da Amazônia.

Essa medida pode ser uma forma de incentivar a indústria de palmeira de óleo amazonense, diante das demandas mundiais por produtos industrializados feitos a partir de óleo.
“A primeira preocupação é de que as plantações de palmeiras são biologicamente pobres e dependem da floresta. A segunda é: desacreditamos em afirmações políticas e corporativas que sugerem que as plantações de palmeiras de óleo estarão concentradas em terras previamente desflorestadas da Amazônia”, afirmam os responsáveis pelo estudo.

A preocupação é justificada pelo histórico da produção de palmeiras no mundo. Segundo o estudo, historicamente os produtores têm desmatado as florestas primárias para instalar suas plantações, de modo a obter lucros imediatos com a utilização da madeira, para compensar seus gastos com o estabelecimento do cultivo, que passa a dar retorno apenas de três a cinco anos após seu início.Pelo estudo, a agricultura de palmeiras de óleo poderia então emergir como uma nova grande ameaça para o meio ambiente da Amazônia, que tem potencial para a produção de palmeiras, por sua alta temperatura, quantidade de chuvas e solo, muito mais propícios ao cultivo dessas plantas do que às plantações de soja e cana.

O relatório também aponta que a expansão das plantações de óleo para áreas remotas seria facilitada por uma proliferação de estradas e outras obras de infraestrutura, que aumentam o acesso a novas fronteiras da floresta. Inclusive, o estudo aponta a probabilidade de que cresçam as pressões por grandes refinarias para que terras da Amazônia sejam licenciadas por agências ambientais para produção de palmeiras de óleo.
Por Fabíola Munhoz, do Amazônia.org.br


Estudo completo disponível aqui

G-20 - A nova promessa de um mundo novo - The new promise of a new world

Alguns dos principais resultados e críticas que receberam às discussões dos países mais ricos do mundo.

1. Reforma dos sistemas financeiros nacionais e criação de mecanismos de controle dos bancos transnacionais, que regulem o mercado financeiro internacional;
2. Estimulo fiscal, gastos governamentais de cerca 5 trilhões, para incentivar o crescimento econômico;
3. Ampliação das ações do FMI e do Banco Mundial;
4. Injeção de 500 bilhões em esses organismos para ampliar o apoio e financiamento para países emergentes e, principalmente aos mais pobres;
5. A conclusão da Rodada de Doha de comércio que limite as ações protecionistas.

Algumas das críticas aos resultados da reunião questionaram a injeção de novos recursos aos organismos financeiros internacionais, devido a que foram eles os principais responsáveis da crise financeira internacional. Houve propostas que não receberam o apoio dos países participantes da reunião, como a criação de uma moeda alternativa ao dólar.
Em geral, as críticas foram no sentido de os resultados serem inviáveis e sobre as novas formas de administração desses recursos já que se criará um novo órgão chamado de “Comitê de Estabilização Financeira” aos quais poucos países prestaram atenção. Existe a dúvida sobre o papel dessa nova estrutura que pode ser, segundo alguns, uma nova forma de controle do G-7 ou G-8 (os países mais ricos do Planeta).

G. ENRÍQUEZ.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

AMAZÔNIA, BELÉM - Pesquisa revela a “geografia do crime” - Research shows the geography of crime

Foto: G. ENRÍQUEZ/2008
Das plantações da folha de coca na Colômbia, Bolívia e Venezuela, a droga, transformada em pó, peteca ou pasta, chega ao Brasil via Itabatinga, no Amazonas. De lá, a mercadoria é transportada por rio até Abaetetuba, no Pará, e, em seguida, distribuída para todo o país. Em Belém, o produto vem pela baía de Guajará até o rio Guamá e atravessa o canal do Tucunduba, seguindo livremente em direção ao coração do bairro da Terra Firme. Essa é a “geografia do crime”, apresentada como resultado da pesquisa de Aiala Colares, geógrafo e especialista em Planejamento Urbano, integrante do grupo Observatório de Estudos em Defesa da Amazônia, pertencente ao Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA), da Universidade Federal do Pará.

A monografia “A geografia do crime na metrópole: da economia do narcotráfico à territorialização perversa em uma área de baixada de Belém” tem como objetivo mostrar de que forma o tráfico de drogas condiciona a situação de violência urbana na capital paraense. A pesquisa de Aiala, orientada pelo professor Durbens Nascimento, realizou um mapeamento dos pontos de venda de drogas na Terra Firme e os problemas decorrentes desse comércio ilegal para as comunidades locais. De acordo com o pesquisador, o tema da violência ainda é muito negligenciado do ponto de vista acadêmico. Embora seja muito forte socialmente e recorrente na mídia, é um assunto pouco estudado, principalmente em se tratando do narcotráfico.
O bairro da Terra Firme surgiu na década de 50 como consequência de uma expansão populacional, não acompanhada de planejamento urbano. Com a valorização da área central da cidade, boa parte da população pobre de Belém se deslocou para as áreas de baixada, que eram vistas como espaço de ocupação provisória. Hoje, a Terra Firme tem mais de 60 mil habitantes e se encontra com outro bairro ainda mais populoso, o Guamá, com mais de 100 mil moradores, onde proliferam as áreas carentes de infraestrutura e de serviços públicos, situação propícia para que se revelem a pobreza e a miséria.
Cria-se, então, um locus estratégico para a manifestação do tráfico e, assim, da violência. “Onde o Estado se ausenta, a criminalidade se apresenta como boa oportunidade. E é aí que entra toda a teoria da escolha racional: a população que está desempregada, ganha pouco ou vive em situação de extrema pobreza é facilmente captada pelo tráfico. Desse modo, surge uma territorialidade precária e, a partir daí, a manifestação simbólica do tráfico. Isso não quer dizer que o tráfico e a violência urbana existam somente na Terra Firme ou nas áreas precárias e de ocupação espontânea, mas esses são fatores que propiciam essa manifestação social e disseminam esse conceito”, explica Aiala Colares, que também é um morador do bairro.
Leia reportagem completa aqui: http://www.ufpa.br/beiradorio/rep1.html.

Zoneamento Ecológico beneficia pecuária na Amazônia

Nem o mais otimista dos que acreditam no progresso a qualquer custo poderia imaginar, que a realização de Zoneamento Econômico e Ecológica beneficiaria traria benefícios ao setor que mais o combatia: os pecuaristas.
Eles, os pecuaristas, temiam o Zoneamento por acreditarem que ao se destinar porções de terra, ou as zonas como são chamadas, para certas atividades produtivas, a pecuária, sempre combatida pelos ambientalistas, seria prejudicada com redução de terras e, em alguns casos, até com a proibição total de instalação.
Ledo engano, não foi isso que aconteceu.
No embate entre ambientalistas e pecuaristas perderam os ambientalistas. Na maioria dos Zoneamentos, já realizados na Amazônia, foram destinadas mais terras para a pecuária e menos para as Unidades de Conservação.
Ocorre que a metodologia de Zoneamento, que tanto agradava os planejadores da década de 1980 parece mostrar fragilidades insuperáveis. Zonear é muito caro e o resultado nem sempre satisfatório.
É consenso de que a destinação de usos produtivos para as diversas Zonas com base no potencial técnico é muito complicada. Ou a indicação das atividades produtivas para cada Zona é feita com elevado grau de generalização (o que acaba por permitir a produção de quase tudo) ou as indicações são óbvias demais (quando sugere conservar Unidades de Conservação já criadas, por exemplo).
Costuma-se, após a realização de vários e onerosos estudos como de solos, geologia, geomorfologia, vegetação, fauna e assim por diante, limitar as indicações produtivas tendo por base os riscos de erosão. Ou seja, dependendo da inclinação do terreno o risco à erosão é maior e aí é melhor não usar para agropecuária. Afinal não se deve plantar em morro, coisa que todo produtor sabe.
O desinteresse pela metodologia do Zoneamento se ampliou quando, de uns tempos para cá, se deu uma forte ênfase à dimensão política do processo. O deslumbramento com os tais dos empoderamentos fez com que ouvir as populações, ou zonear de baixo para cima, se transformasse em bandeira de luta.
O exemplo do Zoneamento feito no Acre talvez seja o melhor exemplo. Depois de vários onerosos estudos se reconheceu a ocupação que já ocorria. Ou seja, onde era pecuária se ampliou e onde era protegido se manteve.
Talvez seja o único caso no mundo de uma ocupação social realizada à gandaia ser referendada pela técnica.
A partir daí a orientação de uso baseada na técnica, que já era algo difícil de fazer, tornou-se quase impossível. A conseqüência natural é que atores sociais e agentes econômicos com maior peso político, como o dos pecuaristas, conseguem exercer maior pressão junto as autoridades de plantão.
Dessa maneira os pecuaristas ganharam terras no Acre, em Rondônia, no Amapá e, mais recentemente, no Pará. Melhor ainda o Zoneamento, com todo seu dito embasamento técnico, tem sido usado como principal argumento dos pecuaristas para jogar por terra o Código Florestal.
A Reserva Legal definida pelo Código Florestal e que, em conjunto com as Áreas de Proteção Permanente das nascentes de rios, são consideradas maiores conquistas dos ambientalistas, correm sério risco de acabar com base nos Zoneamentos.
A conclusão, que parece óbvia, é que se Zonear significa ceder terras aos pecuaristas melhor deixar a zona como está.
Pro. Dr. Ecio Rodrigues, Professor da Universidade Federal do Acre (Ufac)

G-20 vai considerar plano do príncipe Charles para salvar florestas tropicais

Líderes do Grupo dos 20 (G20, os países ricos e os principais emergentes) concordaram em considerar o plano proposto pelo príncipe Charles para salvar as florestas tropicais do mundo. A decisão ocorreu durante o encontro entre o G-20 e o príncipe, no Palácio St. James, Inglaterra, cujo um dos objetivos era discutir as ações que podem ser feitas a fim de proteger as florestas tropicais e, assim, diminuir o ritmo das alterações climáticas.
Intitulado de "Um Pacote Emergencial para Florestas Tropicais" (An Emergency Package for Tropical Forests - em inglês), o plano defende o pagamento de bilhões de libras aos países em desenvolvimento para evitar o desmatamento por meio de mecanismos do mercado. Enquanto o plano não é colocado em prática, o príncipe defende a adoção de um "pacote de emergência", que investirá bilhões na salvação de florestas já no começo do ano que vem.
Os 15 líderes mundiais presentes, incluindo o ministro de relações Exteriores, Celso Amorim, e a secretária de Estado Hillary Clinton, concordaram em tentar criar um meio de aumentar o financiamento de emergência.
"Acredito que o consenso alcançado nesta reunião vai permitir o desenvolvimento de uma abordagem para lidar com a questão do desmatamento, sendo capaz não só de aliviar o sofrimento de milhões de pessoas pobres do nosso planeta, mas também de nos dar o presente mais evasivo e precioso em nossa luta contra as alterações climáticas, o tempo", conclui o príncipe.
Mais sobre o planoEm termos gerais, o relatório descreve um pacote de medidas de emergência para diminuir o desmatamento das florestas tropicais do mundo inteiro. Ao todo há dez propostas, entre elas: pagamento às nações que possuem florestas para conter o desmatamento e ação global para mapear os responsáveis pela devastação.
Neste ano, o plano será trabalhado e discutido com as partes interessadas para melhorar ainda mais a proposta e integrá-la com outras iniciativas.
A implementação deste pacote de emergência dependerá da aceitação por parte dos governos e das comunidades de nações que possuem florestas tropicais e os governos dos principais países desenvolvidos, em conjunto com a participação ativa dos mercados de capitais privados.
Veja o plano completo: An Emergency Package for Tropical Forests

AMAZÔNIA, BIOPIRATARIA - biopiracy

Sabia que:

  • A retirada ilegal de madeira e produtos da floresta para fins comerciais é um crime previsto na Lei de número 9.605/98, de crimes ambientais.
  • Os produtos amazônicos com reconhecido poder medicinal mais procurados pelos piratas da floresta são a casca da Jatobá, casca do Ipê-roxo, folha da pata-de-vaca, cipó da unha- de-gato, casca da canelão e da catuaba. De acordo com estudos realizados por pesquisadores brasileiros foram identificadas 105 espécies medicinais, que estão entre as mais visadas na Amazônia.
  • No mercado mundial de medicamentos (US$ 320 bilhões anuais), 40% dos remédios são oriundos direta ou indiretamente de fontes naturais (30% de origem vegetal e 10% de animal). Estima-se que 25 mil espécies de plantas sejam usadas para a produção de medicamentos.

MEIO AMBIENTE - Marina Silva é premiada na Noruega por luta ambiental - Marina Silva is winning the fight for environmental Norway

A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PT-AC) foi a vencedora do Prêmio Sophie 2009, anunciado nesta quarta-feira (1º) na Noruega. A senadora levou US$ 100 mil por seus esforços para preservar "o maior e mais rico ecossistema da Terra: a Floresta Amazônica". Um painel de jurados afirmou que Marina, de 51 anos, demonstrou coragem e conseguiu resultados que são "sem comparação" na proteção das florestas.
A ex-ministra nasceu de uma família com 12 irmãos, que viviam da extração da borracha em seringais.
Mesmo analfabeta até a adolescência, estudou e chegou a formar-se em História na Universidade Federal do Acre. Parte da militância de Marina pela proteção do meio ambiente se deu ao lado do líder seringueiro Chico Mendes, assassinado em 1988.
Apesar da oposição de fazendeiros e outros interesses econômicos, Marina usou a lei e as instituições para proteger a floresta, fundamental para o meio ambiente, pois absorve grandes quantidades de dióxido de carbono.
Ela também ajudou a criar o Fundo Amazônia, para evitar a emissão de gases causadores do efeito estufa através da conservação da floresta. "Marina Silva recebeu o Prêmio Sophie por sua coragem, criatividade e habilidade em forjar alianças, mas primeiro e sobretudo por sua batalha para conservar a Floresta Amazônica", disse o júri do prêmio.
"Seu esforço para assegurar um manejo sustentável da terra em que vivemos é uma inspiração para todos nós."Marina demitiu-se após quase cinco anos no posto de ministra, em maio de 2008. O prêmio foi criado em 1997, pelo escritor norueguês Jostein Gaarder e pela mulher dele, e seu título refere-se ao maior sucesso do autor, "O Mundo de Sofia". No ano passado, o vencedor foi o biólogo norte-americano e escritor Gretchen C. Daily. O prêmio deste ano será entregue em uma cerimônia em Oslo, no dia 17 de junho.
(Fonte: Estadão Online)

AMAZÔNIA, PARÁ - Notícias 'Tecnologias de Informação e comunicação" - TIC - Information and Communication Technologies

Boletim Bitnews
Belém/Pa

01/04/2009

Santarém Conectada - No último dia 27 foram inaugurados mais três infocentros, desta feita em Santarém, em alusão ao Dia Nacional da Inclusão Digital, comemorado no dia 29 de março. Os infocentros foram instalados na Associação dos Moradores do Bairro da Conquista, Associação de Moradores do Bairro do Maracanã I e na Federação das Associações de Moradores e Comunidades Organizadas de Santarém - Famcos, que são organizações não governamentais. Com estes, totalizam sete infocentros no município, dentro do programa Navegapará.

Educação Digital - O Boletim Bitnews foi convidado para participar da mesa redonda Mídias Digitais e Comunicação Regional , dentro do 1º Encontro de Educação Digital para Amazônia, que acontecerá de 8 a 9 de maio de 2009, no IFPA - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (antigo Cefet), em Belém.

Gesac no Pará - A governadora do Estado, Ana Júlia, e os secretários de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Maurílio Monteiro, e de Comunicação, Fábio Castro, entregaram no último mês, em Brasília/DF, ao ministro das Comunicações, Helio Costa, a lista de pedidos do governo estadual para a implantação de pontos de acesso ao Programa Gesac (Governo Eletrônico - Serviço de Atendimento ao Cidadão) em diversos municípios paraenses. O Programa Gesac do governo federal disponibiliza acesso à Internet e a um conjunto de outros serviços de inclusão digital para comunidades excluídas do acesso e dos serviços oferecidos na rede mundial.

Metrobel Explicada - O Engenheiro Cassius Abelém, diretor da Conecta Networking, ministrou palestra no Cesupa, unidade José Malcher, em março último, onde apresentou os primeiros resultados da implantação da Rede Metrobel, a rede de comunicação de dados compartilhada entre as instituições de ensino superior, em fibra óptica e em altíssima velocidade de comunicação, cujo objetivo é de melhorar a educação e disponibilizar serviços à comunidade acadêmica. A rede integra ainda diversos órgãos da administração federal e estadual.

Estratégia em TI - E o Cesupa - Centro de Ensino Superior do Pará, está com inscrições abertas para o curso de Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia de Informação, sob coordenação do prof. Marcos Paulo Alves de Sousa, que tem objetivo formar profissionais capazes de aplicar os principais modelos de governança e gestão de TI nas organizações, tais como, ITIL, PMI, BS 7799, COBIT, CMMI. Maiores informações em http://www.cesupa.br/.

DDS Day na Prodepa - Cerca de 80 profissionais do setor de Desenvolvimento de Sistemas da Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará - Prodepa, parceiros e convidados participaram no último dia 24, no auditório da empresa, do primeiro Workshop de Desenvolvimento de Software (DDS Day), onde trocaram experiências, disseminaram questões relativas à área de engenharia e processos de software.

Relatório de Incidentes - O Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (CERT.br) registrou um aumento de 39% das notificações de incidentes na Internet em 2008. Esse crescimento está relacionado, principalmente, à ampliação de notificações de quebra de direitos autorais por meio da distribuição de material pirata em redes Peer-to-Peer (P2P). Somente nessa categoria foram registradas mais de 108 mil notificações, valor sete vezes superior ao computado em 2007.

Comparativo de Compra - Para comprar um computador de marca nacional, o brasileiro precisa de 1,7 salários; para adquirir um PC de marca global, 1,55 salários. Já para um notebook nacional, o brasileiro necessita de 1,92 salários; e um notebook de marca global, 2,44 salários. É isso que demonstra a pesquisa "Índice Marco Gap Digital" realizada pela Marco Consultora. O salário de comparação é de R$ 1.274,00, renda média do brasileiro, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O índice vem sendo estudado deste outubro de 2005 para PCs e de setembro de 2006 para notebooks. O índice começou em 1,9 para computadores e 2,1 para laptops, o que significa que eram necessários 1,9 e 2,1 salários, respectivamente, para a compra desses produtos de marcas nacionais. Hoje, o índice é 1,7 e 1,9, respectivamente.

SBPC em Manaus - Foi prorrogado para o dia 6 de abril o segundo prazo para a inscrição na 61ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC. Os inscritos poderão submeter resumos de trabalhos científicos até 13 de abril. As normas e ficha de inscrição podem ser acessadas no site www.sbpcnet.org.br/manaus. O evento, que tem como tema "Amazônia: Ciência e Cultura", será realizado de 12 a 17 de julho, na Universidade Federal do Amazonas - Ufam, em Manaus/AM.

Pesquisa de Serviços - A Sociedade Softex (http://www.softex.br/), através de sua unidade de estudos e pesquisa, o Observatório Softex, auxiliará o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, no planejamento do questionário de campo a ser utilizado na próxima edição do Suplemento de Informática da Pesquisa Anual de Serviços - PAS.

AMAZÔNIA, DESMATAMENTO -Representantes de diversos setores da sociedade discutem no Mato Grosso

Danielle Jordan / AmbienteBrasil
Governadores, acadêmicos, pesquisadores, organizações não governamentais brasileiras e do exterior, representantes de comunidades tradicionais, entre outros, debatem desde ontem (01), medidas para evitar a degradação ambiental no XIV Katoomba Meeting Brasil 2009 – “Evitando o Desmatamento na Amazônia através dos mercados PSA”.
A conferência internacional, realizada anualmente, tem como sede este ano Cuiabá, no Mato Grosso, tendo como parceiros a Forest Trends, The Katoomba Group, Instituto Centro de Vida, The Nature Conservancy, Instituto Socioambiental, Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia e Aliança da Terra.
O governador do Amazonas, Eduardo Braga, apresentou a Política Estadual de Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Sustentável implementada no Estado. Ele disse acreditar no avanço positivo dos processos.
O anfitrião, Blairo Maggi, governador de Mato Grosso, defendeu uma linha de crédito específica para a pesquisa e aplicação de projetos pilotos para a ampliação da agricultura em áreas ocupadas atualmente pela pecuária. A proposta foi apresentada ao ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que participou também do Painel dos governadores da região amazônica. Maggi afirmou que é possível ampliar a produção do país sem a derrubada da floresta.
A governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, defendeu maior autonomia aos Estados da Amazônia para que possam desenvolver suas próprias metodologias visando o acesso direto aos mecanismos de pagamentos dos serviços ambientais prestados pela floresta.

G-20 - 7 horas de reunião para salvar ao mundo da crise

El País
De Madrid
Sarkozy e Merkel marcam as "linhas vermelhas" inegociáveis da cúpula do G-20.
França e e Alemanha "falarão com a mesma voz" na cúpula do G-20.- Merkel quer criar uma listagem dos paraísos fiscais.- Obama adverte ao G-20 que "EE UU não pode ser o único motor" da economia mundial.


El presidente francés, Nicolas Sarkozy, ha asegurado este miércoles que Francia y Alemania "hablarán con una sola voz" en la cumbre del G20, que empieza mañana en Londres. Sarkozy ha hecho estas declaraciones en una rueda de prensa conjunta con la canciller alemana, Angela Merkel, que ha insistido en la necesidad de crear una "nueva arquitectura para el sistema financiero mundial".

Merkel, que junto con el presidente francés ha subrayado en los últimos días en que la reforma de los mercados es más importante que los planes de estímulo económicos, por oposición a la insistencia de Gordon Brown y Barack Obama en aumentar los programas de estímulo, ha añadido que los países que no respeten las nuevas normas "deben de ser identificados".

Ambos gobernantes han señalado las que consideran "líneas rojas" de la reunión, entre las que figura su exigencia de que se publique una lista de paraísos fiscales. "Tiene que haber una lista de los (paraísos fiscales) que se nieguen a ser controlados", ha asegurado la jefa del Gobierno alemán, mientras el presidente francés ha afirmado que se ofrece ahora "una oportunidad histórica para moralizar un sistema que se ha vuelto inmoral".
Sarkozy, que ha amenazado con abandonar la cumbre que empieza mañana si no se llega a acuerdos sustanciales, ha dicho que la cumbre de Washington fue una cumbre de principios y que la de Londres es el momento de llegar a acuerdos concretos.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

O senhor não tem as mãos limpas - do BLOG pelos Corredores do Planalto

DITADURA frase acima foi o que ouviu o ex governador, ministro e senador Jarbas Passarinho, que passou um belo constrangimento que em nada se compara a indgnação e revolta de Ivo Herzog (filho do jornalista Wladimir Herzog, torturado e morto em São Paulo) durante a ditadura militar que por 21 anos perseguiu, cassou, torturou e matou segmentos das forças esquerdistas brasileiras que combateram essa excrecência chamada jocosamente por Passarinho de "Contra-Revolução".

O embate foi durante a gravação do programa "3 a 1" que irá ao ar, logo mais à noite, na TV Brasil, cujo tema de hoje é: 45 anos do golpe militar de 1964.
http://blogdovalmutran.blogspot.com/

AMAZÔNIA, DESMATAMENTO, Noruega doa U$ 110 milhões para o Fundo Amazônia

No dia 25, o Fundo Amazônia recebeu U$ 110 milhões, doados pelo governo da Noruega, para serem aplicados em ações contra o desmatamento e a degradação ambiental na floresta amazônica. É a primeira doação recebida pelo fundo, que até junho contará com mais U$ 18 milhões, que será investido pelo governo alemão.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), gestor dos recursos, irá receber até junho as cartas-consultas de organizações não-governamentais, do setor privado e de governos estaduais, municipais e federal interessados em ações socioambientais voltadas para a redução de emissão de CO2, que estejam de acordo com o previsto pelo Plano de Prevenção de Combate ao Desmatamento na Amazônia (PPCDAM) e no Plano Amazônia Sustentável (PAS).

As pré-propostas serão analisadas pelo BNDES e, caso sejam aprovadas, serão reenviadas aos interessados para o detalhamento técnico e gerencial. A gestão de áreas protegidas, zoneamento ecológico-econômico, conservação e uso sustentável, monitoramento e manejo florestal, além do pagamento por serviços ambientais são algumas das aplicações previstas pelo fundo. O BNDES deverá lançar, também, um sítio eletrônico do próprio Fundo Amazônia, onde pretende dar transparência aos assuntos relacionados à captação e aplicação dos recursos.

Fundo Amazônia Criado em 2008, o Fundo Amazônia foi proposto pelo governo brasileiro durante a Conferência das Partes, em Bali, na Indonésia, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para debater as condições climáticas do planeta. O programa é destinado a projetos de manejo florestal sustentável, manejo de áreas protegidas e florestas públicas, fiscalização e controle ambiental, atividades econômicas com base no uso sustentável dos recursos naturais, regularização fundiária e projetos de conservação e uso sustentável da biodiversidade. O fundo também financiará pesquisas científicas e tecnológicas e equipará os órgãos de fiscalização, para que possam monitorar com mais eficiência a riqueza amazônica. As doações podem ser feitas por governos, empresas e pessoas físicas, comprometidas com a redução das emissões de carbono provenientes do desmatamento e da degradação da floresta, que é responsável por 20% das emissões de CO2.

Informações sobre as ações do Ministério do Meio Ambiente podem ser consultadas no site www.mma.gov.br.
(Com informações do MMA)

MINERAÇÃO NO PARÁ - CRISE ECÔMICA E EFEITOS NA MINERAÇÃO NO BRASIL


A PROFESSORA MARIA AMÉLIA ATUALMENTE É ASSESSORA NA SECRETARIA DE GEOLOGIA E MINERAÇÃO DO MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA.

JORNALISMO - Excercicio da profissão, só com diploma

Em 1964, há 45 anos, na madrugada de 1º de abril, um golpe militar depôs o presidente João Goulart e instaurou uma ditadura de 21 anos no Brasil. Em 2009, a sociedade brasileira pode estar diante de um novo golpe. Desta vez contra o seu direito de receber informação qualificada, apurada por profissionais capacitados para exercer o jornalismo, com formação teórica, técnica e ética.

A exigência do diploma para o exercício da profissão de jornalista, em vigor há 40 anos (1969/2009), encontra-se ameaçada. O Supremo Tribunal Federal (STF) julgará, também em 1º de abril, o recurso que questiona a constitucionalidade da regulamentação da profissão de jornalista. O ataque à profissão jornalística é mais um ataque às liberdades sociais, cujo objetivo fundamental é desregulamentar as profissões em geral e aumentar as barreiras para a construção de um mundo mais pluralista, democrático e justo.

É importante esclarecer: defender que o jornalismo seja exercido por jornalistas está longe de ser uma questão unicamente corporativa. Trata-se, acima de tudo, de atender à exigência cada vez maior, na sociedade contemporânea, de que os profissionais da comunicação tenham uma formação de alto nível. Depois de 70 anos da regulamentação da profissão e mais de 40 anos de criação dos cursos de Jornalismo, derrubar este requisito à prática profissional significará retrocesso a um tempo em que o acesso ao exercício do jornalismo dependia de relações de apadrinhamentos e interesses outros que não o do real compromisso com a função social da mídia.

Prática profissional responsável
A Constituição, ao garantir a liberdade de informação jornalística e do exercício das profissões, reserva à lei dispor sobre a qualificação profissional. A regulamentação das profissões é bastante salutar em qualquer área do conhecimento humano. É meio legítimo de defesa corporativa, mas sobretudo certificação social de qualidade e segurança ao cidadão. Impor aos profissionais do Jornalismo a satisfação de requisitos mínimos, indispensáveis ao bom desempenho do ofício, longe de ameaçar à liberdade de Imprensa, é um dos meios pelos quais, no estado democrático de direito, se garante à população qualidade na informação prestada - base para a visibilidade pública dos fatos, debates, versões e opiniões contemporâneas.

A existência de uma imprensa livre, comprometida com os valores éticos e os princípios fundamentais da cidadania, portanto cumpridora da função social do jornalismo de atender ao interesse público, depende também de uma prática profissional responsável. A melhor forma, a mais democrática, de se preparar jornalistas capazes a desenvolver tal prática é através de um curso superior de graduação em Jornalismo.

Interesses e motivações
A manutenção da exigência de formação de nível superior específica para o exercício da profissão, portanto, representa um avanço no difícil equilíbrio entre interesses privados e o direito da sociedade à informação livre, plural e democrática.
A sociedade já disse o que quer: jornalista com diploma. Pesquisa realizada pelo Instituto Sensus, em setembro de 2008, em todo país, mostrou que 75% dos brasileiros são a favor da exigência do diploma de Jornalismo.

Não apenas a categoria dos jornalistas, mas toda a nação perderá se o poder de decidir quem pode ou não exercer a profissão no país ficar nas mãos de interesses privados e motivações particulares. Os jornalistas esperam que o STF não vire as costas aos anseios da população e vote pela manutenção da exigência do diploma para o exercício da profissão de jornalista no Brasil. Para o bem do jornalismo e da própria democracia.
http://www.fenaj.org.br/

CIÊNCIA E TECNOLOGIA - O MCT perde mais 6,6% do orçamento de 2009

Governo anuncia detalhamento de contingenciamento, que aumentou e chegou a R$ 25 bilhões

O orçamento do MCT sofreu perdas de 6,6% em verbas não obrigatórias após o detalhamento do contingenciamento no Orçamento Geral da União, que havia sido inicialmente anunciado pelo Ministério do Planejamento em 19 de março.
No decreto de programação de execução, editado na sexta-feira, dia 27, e publicado no Diário Oficial da União nesta segunda-feira, dia 30, o governo detalhou os cortes e ampliou o contingenciamento total.
Em 19 de março, ele fora anunciado em R$ 21,6 bilhões, mas ficou em R$ 25 bilhões segundo o decreto do dia 27.A “Folha de SP” informou na edição desta terça-feira, dia 31, que, segundo o Ministério do Planejamento, a diferença entre os valores cortados em janeiro e em março será liberada mais à frente, para setores ainda não definidos.
No decreto de programação de execução do Orçamento de janeiro, o governo havia fixado a verba não obrigatória (exclui salários, encargos e previdência) do MCT em R$ 4,1 bilhões.

Agora, com a perda de mais R$ 274 milhões, o orçamento disponível ficará em R$ 3,8 bilhões.
O MEC sofreu corte ainda maior em termos absolutos. Dos R$ 11,7 bilhões fixados no decreto de janeiro, ficarão disponíveis R$ 10,5 bilhões. O R$ 1,2 bilhão a menos representa 10,6% do total de verbas não obrigatórias.
Vinícius Neder: http://www.blogger.com/post-create.g?blogID=9112004725162461624

CIÊNCIA E TECNOLOGIA - Incentivos fiscais para inovação tecnológica

Relatório do MCT sobre utilização de incentivos fiscais mostra que uso da lei "do Bem" aumentou 147% de 2006 para 2007.

Um total de 320 empresas declarou ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) ter utilizado em 2007 os incentivos fiscais previstos pela Lei 11.196/2005, dita "do Bem". O aumento foi de 147% em relação a 2006, quando 130 companhias usaram os incentivos. Os números estão no "Relatório Anual da Utilização dos Incentivos Fiscais — Ano Base 2007", publicado na página do MCT na Internet. A lei beneficia empresas que declaram Imposto de Renda com base em lucro real.
Das 320 firmas que enviaram relatórios, o MCT considerou 291 para efeitos estatísticos. De acordo com o documento, o investimento delas em pesquisa, desenvolvimento e inovação somou R$ 4,8 bilhões em 2007. As demais empresas apresentaram informações imprecisas ou incompatíveis com os dispositivos da Lei 11.196. As 291 empresas representam um aumento de 124% em relação a 2006.

Por setores

As 291 empresas foram agrupadas em 17 setores. As que mais usaram incentivos foram firmas das áreas de mecânica e transportes (79), eletroeletrônica (44) e metalurgia (44). Os R$ 4,8 bilhões mobilizados por elas para investimentos em P&D se dividiram em R$ 4,3 bilhões para despesas de custeio e R$ 527,7 milhões para despesas com compras de bens de capital usados no processo de inovação das firmas.
Somado o volume de dinheiro investido pelas empresas com custeio — os R$ 4,3 bilhões, mais R$ 2,4 bilhões que correspondem aos incentivos fiscais concedidos pela Lei do Imposto de Renda, que já permite a dedução de 100% dos valores investidos em pesquisa, desenvolvimento e inovação, mais os incentivos concedidos pela Lei 11.196 —, resulta que os recursos mobilizados pelas empresas que utilizaram os incentivos foram de R$ 6,8 bilhões.

Os setores que mais tiveram ganhos reais com o uso dos incentivos foram os de mecânica e transportes (R$ 339,3 milhões), petroquímico (R$ 262 milhões) e bens de consumo (R$ 51,8 milhões). No ano de 2006, os setores que tiveram maior ganho real foram os de mecânica e transportes (R$ 87,2 milhões), metalurgia (R$ 38 milhões) e química (R$ 21,7 milhões).

A divisão regional

Das 320 empresas que enviaram relatório ao MCT, 180 são do Sudeste, 120 do Sul, 16 do Nordeste, três do Norte e uma do Centro-Oeste.

Em 2006, quando 130 empresas usaram o benefício, a maioria, 73, também era de firmas do Sudeste; 52 do Sul, três do Nordeste, uma do Norte e uma do Centro-Oeste. Entre as 291 empresas que o MCT julgou aptas ao benefício, 155 são do Sudeste, 117 do Sul, 15 do Nordeste, três do Norte e uma do Centro-Oeste.
Do total de R$ 4,8 bilhões investidos em P&D, 85% vieram de empresas do Sudeste, 12% de empresas do Sul, 2,49% do Nordeste, 0,3% do Norte e 0,26% do Centro-Oeste.

http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=62557

terça-feira, 31 de março de 2009

QUANDO DESCUBRO TODAS AS RESPOSTAS, MUDAM TODAS AS PERGUNTAS

  • Como se escreve zero em algarismos romanos???
  • Por que os Flintstones comemoravam o Natal se eles viviam numa época antes de Cristo??
  • Por que os filmes de batalha espaciais tem explosões tão barulhentas, se o som não se propaga no vácuo???
  • Se depois do banho estamos limpos porque lavamos a toalha???
  • Como é que a gente sabe que a carne de chester é de chester se nunca ninguém viu um chester??? (vc já viu um chester? )
  • Por que quando aparece no computador a frase 'Teclado Não Instalado', o fabricante pede p/ apertar qualquer tecla???
  • Se os homens são todos iguais, por que as mulheres escolhem tanto???
  • Por que a palavra 'Grande' é menor do que a palavra Pequeno'???
  • Por que 'Separado' se escreve tudo junto e 'Tudo junto' se escreve separado???
  • Se o vinho é líquido, como pode existir vinho seco???
  • Por que as luas dos outros planetas tem nome, mas a nossa é chamada só de lua???
  • Por que quando a gente liga p/ um número errado nunca dá ocupado???
  • Por que as pessoas apertam o controle remoto com mais força, quando a pilha está fraca???
  • O instituto que emite os certificados de qualidade ISO 9002, tem qualidade certificada por quem???
  • Quando inventaram o relógio, como sabiam que horas eram, para poder acertá-lo???
  • Se a ciência consegue desvendar até os mistérios do DNA, porque ninguém descobriu ainda a fórmula da Coca-Cola???
  • Como foi que a placa 'É Proibido Pisar na Grama' foi colocada lá???
  • Por que quando alguém nos pede que ajudemos a procurar um objeto perdido, temos a mania de perguntar: 'Onde foi que você perdeu?'
  • Por que tem gente que acorda os outros para perguntar se estavam dormindo???
  • Se o Pato Donald não usa calças, por que ele amarra uma toalha na cintura quando sai do banho???

SAÚDE, CIÊNCIA - A construção da felicidade - The construction of happiness

© IMAGES.COM/CORBIS/LATINSTOCK
Psicólogos estudam como as pessoas podem moldar o próprio bem-estar voltando a atenção aos marcadores somáticos e investindo nas “pequenas alegrias” – a despeito dos contratempos que inevitavelmente enfrentamos.
Às vezes, pequenos detalhes têm conseqüências de grande extensão. Por exemplo, eu devo à ausência de um coelho de chocolate o fato de não dirigir mais um Alfa Romeo. Explico: eu sempre fiquei satisfeita com o trabalho de um mecânico que trabalhava na oficina da Alfa Romeo. Um dia, soube que ele pedira demissão. “Por quê?”, perguntei, curiosa. “Mudou o proprietário da empresa e o clima não é mais o mesmo.
As pessoas já não se sentem bem.”“Mas o que está diferente agora?”, eu quis saber. “Difícil dizer. Na verdade, apenas detalhes, coisas que podem até parecer bobagem, mas fazem diferença. Antes, por exemplo, a mulher do dono da oficina sempre colocava um coelho de chocolate na caixa de ferramentas de cada um dos funcionários na época da Páscoa. Pode ser só um gesto de delicadeza, mas nessas horas percebemos que alguém ainda pensa na gente.” Eu podia jurar que a voz daquele homem com quase 50 anos estava trêmula naquele momento.
Seja como for, o coelhinho da Páscoa não veio mais, o valioso mecânico foi embora e eu, diante da dificuldade de encontrar uma oficina confiável, próxima à minha casa, terminei comprando um carro novo.Por trás dessa pequena história, há um importante objeto de pesquisa de psicólogos: a questão sobre como surgem a satisfação e a felicidade. A esperança de inúmeros estudiosos é que, se compreendermos melhor os mecanismos que possibilitam essas sensações, seremos capazes de produzir esse estado de forma objetiva em nós mesmos.

MAIO AMBIENTE - Lei de acesso a recursos genéticos da biodiversidade continua travada

Jornal O Estado
Depois de passar seis meses em consulta pública, em 2008, o projeto de lei que deveria regulamentar o acesso aos recursos genéticos da biodiversidade brasileira parece ter caído num buraco negro interministerial em Brasília, sem data para chegar ao Congresso.
Segundo o Estado apurou, o projeto foi devolvido pela Casa Civil ao Ministério do Meio Ambiente, que diz ter feito alterações necessárias e enviado o texto para o Ministério da Ciência e Tecnologia, que afirma não ter recebido nada.
A nova lei é aguardada por cientistas, empresas e comunidades tradicionais, que há anos tentam se desvencilhar das amarras "antibiopirataria" criadas pela Medida Provisória (MP) 2186, de agosto de 2001.
A MP instituiu o Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGEN) e regulamentou o acesso aos recursos genéticos da biodiversidade brasileira.
"O órgão responsável pelas licenças de bioprospecção é o CGEN, presidido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA).
O relacionamento do órgão com a comunidade científica e empresarial foi conturbado desde o início. Quase todos concordam - até mesmo dentro do governo - que a MP é ruim e precisa ser substituída por uma lei mais favorável à pesquisa e à inovação tecnológica. Quase ninguém concorda, porém, sobre o que deve dizer essa lei.
Todas as tentativas do governo de produzir um projeto de lei nos últimos anos empacaram em divergências ministeriais profundamente arraigadas. A última proposta foi colocada em consulta pública durante todo o primeiro semestre de 2008, sob articulação da Casa Civil. Desde então, não se ouviu falar mais dela.
O projeto foi devolvido pela Casa Civil ao MMA em outubro, a pedido do ministro Carlos Minc, que assumira a pasta alguns meses antes."Quando cheguei ao ministério esse assunto já estava travado havia dois anos e meio", disse Minc, em entrevista ao Estado. Ele disse que tomou ciência do problema em julho de 2008, na reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Campinas, quando ouviu muitas reclamações da comunidade científica sobre o projeto em consulta. "Era um monstrengo burocrático, com um monte de coisas que não deveriam estar numa lei e com cada ministério dono de dois capítulos, defendendo seu feudo.
Parecia coisa de capitanias hereditárias."Minc disse que sua equipe reduziu o projeto pela metade, retirando todos os "penduricalhos que só emperravam o processo", e repassou o texto para o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).
"A responsabilidade maior agora é do MCT. Eles estão em primeiro e a gente, em segundo", disse Minc.
"Isso para mim é novidade", disse o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCT, Luiz Antonio Barreto de Castro, responsável pelo assunto na pasta.Seja como for, diz ele, o MCT não aceitará nenhum texto que mantenha a necessidade de pesquisadores pedirem licenças ao CGEN. "Não faz sentido que cientistas tenham de pedir autorização a um órgão ambiental para fazer ciência nos seus laboratórios", afirma Barreto. Segundo ele, essa responsabilidade cabe ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

MEIO AMBIENTE - Ministro reconhece que a Amazônia necessita de mais áreas protegidas

O blog já tinha noticiado a importância de que fossem criadas novas áreas de conservação ambiental. http://blogdoenriquez.blogspot.com/2009/03/brasil-amazonia-regiao-menos-protegida.html

31 de Março de 2009 -
O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou ontem que deverá investir na criação de novas áreas de conservação ambiental na Amazônia. Segundo ele, outros países da área pan-amazônica possuem mais áreas protegidas do que o Brasil. "Eu vou usar essa informação para criar mais unidades de conservação na Amazônia e também no Cerrado e na Caatinga", disse. Segundo ele, existem algumas unidades com mais de um milhão de hectares que não recebem fiscalização adequada. "Não basta criar unidades de conservação, nós temos que criar unidades, planos de manejo e ter gente para cuidar delas", afirmou. Para mudar essa situação, o ministro anunciou a realização de um novo concurso com mil vagas para analistas ambientais, sendo 550 do Ibama e 450 do Instituto Chico Mendes.
"No próximo mês esse edital já estará pronto", disse. A comemoração dos 20 anos do Ibama também contou com a presença do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). De acordo com ele, o Ibama foi criado para unificar as repartições que tratavam de meio ambiente no país. "Nós extinguimos cinco institutos e criamos um órgão só. Esse órgão foi o Ibama", disse. O Ibama foi instituído em fevereiro de 1989 com a promulgação da Lei nº 7.735, que unificou a Secretaria Especial do Meio Ambiente (Sema), o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), a Superintendência de Pesca (Sudepe) e a Superintendência da Borracha (Sudhevea). Após sua criação, o instituto tornou-se referência nacional e internacional em preservação ambiental.

ORÇAMENTO - Corte em áreas prioritárias, Ministro Genro protesta

Detalhado ontem, dez dias após seu anúncio pelo governo, o bloqueio de gastos em razão da crise econômica global atingiu áreas apresentadas como prioritárias no Orçamento deste ano, caso de educação, segurança pública e defesa, e provocou o protesto do ministro da Justiça, Tarso Genro.Ao todo, os cortes -ou contingenciamento, no jargão da tecnocracia- atingem de imediato R$ 25,4 bilhões em despesas do Executivo, na quase totalidade, do Legislativo e do Judiciário, mais do que os R$ 21,6 bilhões divulgados de início. A diferença entre os dois valores, segundo o Planejamento, será liberada mais à frente, para setores ainda não escolhidos.

O Ministro Tarso Genro diz que bloqueio poderá "imobilizar" a PF e afetar investimento no sistema prisional.
Corte de R$ 25,4 bi é o maior já promovido pelo governo Lula, que desde 2004 não enfrentava ameaça real de frustração das receitas.

"O corte prejudicará os principais programas do Ministério da Justiça, poderá imobilizar a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária e tornará insustentável a manutenção do Pronasci", afirma nota divulgada pelo Ministério da Justiça. "Estão congelados, por enquanto, todos os convênios com Estados e municípios relativos ao Pronasci. Estão também suspensos todos os investimentos em novas vagas no sistema prisional."

CIÊNCIA - Instituto de SP cria o maior banco de próstata do mundo


Inaugurado ontem, centro investe em pesquisas sobre todo sistema urinário masculino.

Entre os novos aparelhos, há uma terapia a laser que permite reduzir tamanho da próstata de forma menos agressiva e sem internação.
O Hospital Alemão Oswaldo Cruz, de São Paulo, inaugurou ontem o primeiro centro especializado em próstata da América Latina. Nele, passa a funcionar também o maior banco de próstata do mundo, com amostras de 2.000 pacientes, que subsidiará pesquisas voltadas ao diagnóstico precoce do câncer que afeta um em cada seis homens.Coordenado pelo urologista Miguel Srougi, professor titular da USP (Universidade de São Paulo), o instituto custou R$ 8 milhões e focará em atendimento multidisciplinar ao paciente tecnologia de última geração e em pesquisas sobre o sistema urinário, que serão feitas em parceria com a Faculdade de Medicina da USP.

CORRUPÇÃO - Dinheiro para campanhas, todos receberam R$ da Camargo Corrêa e ponto

Não adianta os partidos políticos querer se passar por virgens ou juniores, todos são cobras vacinadas e têm uma vela nesse grande bolo que as empresas produzem para distribuir recursos entre os partidos, claro, os recursos saem do bolso dos contribuintes.

O relatório da Operação Castelo de Areia, da Polícia Federal, omitiu as doações da construtora Camargo Corrrêa a outros três partidos políticos: PT, PTB e PV, segundo o Jornal Nacional, da TV Globo.

Deflagrada na semana passada, a operação desarticulou uma quadrilha especializada em crimes financeiros e lavagem de dinheiro e também menciona sete partidos políticos que podem ter recebido doações ilegais da construtora nas eleições de 2008.

O relatório da PF cita PSDB, DEM, PPS, PSB, PDT, PMDB e PP, que negam caixa dois. A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) é apontada na investigação como intermediária das doações da empresa a políticos. A entidade nega as suspeitas.

Segundo a reportagem do Jornal Nacional, os nomes dos três partidos que ficaram de fora do primeiro relatório da PF estão em um e-mail enviado por um dos diretores da Camargo Corrêa em novembro do ano passado para um representante da Fiesp.

Na mensagem, o diretor cobra recibos pendentes de doações ao PT, PTB e PV, além do PSDB --já citado no relatório anterior. O PV e o PTB disseram que as doações da Camargo Corrêa foram registradas na Justiça Eleitoral. A Direção Nacional do PT afirmou que não responde pelos diretórios regionais --a doação foi para um diretório regional mas não cita qual.

A reportagem mostra ainda comentário do delegado Otávio Russo que diz no relatório que ser "impossível se afirmar, apenas com os dados atuais, a ilicitude de tais doações".

A Operação Castelo de Areia prendeu dez pessoas na última quarta-feira (25), entre elas quatro diretores e duas secretárias da Camargo Corrêa. Eles foram soltos no último sábado (28) mas foram indiciados pela PF por crimes de câmbio ilegal, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

segunda-feira, 30 de março de 2009

CONFIRMADA NO CONSUN A VOTAÇÃO DO PROF. MANESCHY COMO NOVO REITOR ELEITO DA UFPA

Depois de praticamente um dia de deliberações, às 18:00h de hoje, foi ratificada no Conselho Superior da Universidade Federal do Pará (CONSUN) a consulta à comunidade universitária que elegeu ao Prof. Carlos Maneschy, Reitor da UFPA pelo Quatrienio 2009-2113.
A Lista triplice será encaminhada ao MEC onde constará o primeiro colocado O Prof. Maneschy, que recebeu 49 votos, Regina Feio 34, Ana Tancredi 3 e Ricardo Ishak 1 voto, foram registradas, ainda, 2 abstenções e 1 falta.
Conforme já tinha falado o Prof. Maneschy agora é aguardar a confirmação pelo MEC que deverá oficializar a eleição e por enquanto realizar o planejamento das ações estratégicas, a partir da nova realidade gerada pela crise econômica, focando seu plano estratégico nas ações fundamentais a realizar nos primeiros meses do seu mandato.
Assista a entrevista do Maneschy, que já tinha sido publicada por estre blog, quando foi eleito pela comunidade universitária, em 6 de dezembro de 2008. ENTREVISTA PLENAMENTE VIGENTE.

DEPUTADO DO PARÁ GANHA BELO DESTAQUE EM BLOG DA 5ª EMENDA

O deputado VPF, do Pará, ganhou hoje, cedinho, um belo destaque no blog do Juvêncio. A campanha já começou, dando lições de moral e ética, o mesmo que faz campanha com crianças no colo e que pouco tem feito pelas crianças do Pará, durante seu mandato de deputado federal.
Com esse apelo de defensor das crianças, esperavamos mais do Deputado. Iniciativas de lei contra pedofilia, repassado recursos de emendas parlamentares para atender a crianças em situação de risco, que teriam marcado sua gestão política em defesa das crianças paraenses ou, como mínimo, condenado fortemente as ações dos criminosos da pedofilia no Estado.

Ainda tenho fé em que ele vai ter uma maior expressão nesse campo e lutará, no congresso, por maiores recursos para atender às crianças abandonadas e em situação de risco, como estão milhares de filhos de paraense pobres. Lanço esse desafio como cidadão, assim acreditarei na sua campanha com crianças no colo. Estarei a seu lado nessa luta.

VALE TRANSPORTE - Congressistas podem gastar até R$ 33 mil com passagens

Verba permite compra de mais de 30 bilhetes ida e volta por mês de Brasília a Estados.

54 congressistas têm cota adicional de até R$ 13 mil; em 2008, Câmara gastou R$ 80 mi com passagens; Senado não revela valor.
Em meio a muito sigilo, desvio de finalidade e suspeita de irregularidade, o Congresso Nacional destina mensalmente aos 594 deputados federais e senadores uma cota para compra de passagens aéreas que, em alguns casos, permite a aquisição todo mês de mais de 30 bilhetes de ida e volta entre Brasília e o Estado de origem.Criada originalmente para permitir ao congressista quatro deslocamentos mensais ao Estado, a cota aérea é paga conforme o Estado do parlamentar e se ele ocupa ou não posto de destaque nas duas Casas. Na atual legislatura, o valor varia de R$ 4.700 a R$ 33 mil.
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc3003200902.htm

USA - Para os paises pobres livre comércio, agora, para eles rígido capitalismo de estado e controle do governo sobre as empresas

WASHINGTON, EUA, 30 Mar 2009 (AFP) - A montadora americana General Motors (GM) confirmou na noite de domingo a renúncia imediata de Rick Wagoner como presidente de diretoria e chefe executivo da empresa."Rick Wagoner deixará o cargo de presidente e diretor executivo, efetiva e imediatamente", afirma a empresa em um comunicado.Wagoner, 56 anos, assumira a direção da gigante em 2000 e a presidência em 2003. Em um comunicado publicado no site da empresa, Wagoner afirma ter se reunido na sexta-feira em Washington com funcionários do governo, que pediram sua renúncia.Um alto funcionário do governo confirmou à AFP que a Casa Branca solicitou a saída Wagoner.A GM anunciou ainda o nome de Fritz Henderson, atéa agora chefe operacional da empresa, como novo presidente da diretoria."Fritz Henderson, presidente e chefe operacional da GM, será agora o diretor geral", anunciou a empresa em um comunicado.Henderson, 50 anos, foi nomeado para seu posto atual em 2008. Ele já foi vice-presidente e diretor financeiro da empresa.A saída de Wagoner acontece no momento que a General Motors e a Chrysler operam à beira da falência e buscam uma ajuda adicional do governo de US$ 21,6 bilhões.
http://economia.uol.com.br/ultnot/afp/2009/03/30/ult35u68631.jhtm

ECONOMIA - Salários invioláveis: uma questão de liberdade



Os bancos públicos falam num potencial a atingir de nove milhões de pessoas no crédito consignado. Leia-se nove milhões de pessoas com seus salários provisoriamente bloqueados. Os refinanciamentos sucessivos são o triste resultado dessa camisa de força do crédito consignado
Desgraças, às vezes, veem embaladas em boas intenções equivocadas.
O governo do P.T. ofereceu aos trabalhadores aposentados empréstimos com desconto dos pagamentos diretamente em folha. Como contrapartida, exigiu juros menores dos bancos, se é que juros de até 3% ao mês podem ser considerados decentes. Este presente de grego aos aposentados agraciou os bancos com o fim da inadimplência.
Os pagamentos das prestações dos empréstimos passaram a ser garantidos diretamente pelo INSS que os descontam dos holerites dos aposentados e os repassam contabilmente aos bancos. Isso permitiu também uma grande redução de custos às entidades financeiras que não precisam mais arcar com as despesas de cobrança sejam nos seus caixas ou através de carnês. Já o aposentado não tem mais como administrar seu pagamento. Ele já vem reduzido da prestação contratada, diretamente na fonte, restando ao aposentado administrar apenas a sobra do seu salário.
Estranho capitalismo brasileiro. É inerente aos negócios capitalistas, tanto o auferir dos lucros quanto o risco do negócio. Por aqui, o governo cuida de eliminar o risco e garantir o lucro do sistema bancário e financeiro. Ou seja, o melhor dos mundos possíveis para quem tem um banco ou uma financeira neste país. Agora, os jornais anunciam outro futuro “benefício” aos assalariados do país. Os empréstimos da casa própria serão também descontados diretamente da folha de pagamento dos mutuários. Ou seja, o risco do negócio, da falta de pagamento, será mais uma vez anulado.

domingo, 29 de março de 2009

BRASIL - AMAZÔNIA A REGIÃO MENOS PROTEGIDA NO BRASIL

CLAUDIO ANGELO
Editor de Ciência da Folha.
Em comparação com vizinhos, só o Peru destina uma proporção menor da selva a reservas florestais e terras indígenas
Apenas 39,6% da Amazônia brasileira está sob proteção, contra 56% da colombiana, 79,7% da equatoriana e 71,5% da parte venezuelanal.

Quem acha que existe muita terra em mão de índio na Amazônia brasileira faria bem em olhar o mapa www.raisg.socioambiental.org) que será apresentado na sexta feira 3 de abril, publicado por uma rede de 11 ONGs sul-americanas, e mostra que o Brasil é, na verdade, um dos países que têm proporcionalmente menos territórios indígenas e áreas protegidas na região.

São 39,6% da Amazônia brasileira sob proteção na forma de terras indígenas e unidades de conservação de vários tipos, contra 56% da Amazônia colombiana, 79,7% da equatoriana e 71,5% da venezuelana. Somente o Peru destina uma proporção menor de sua selva às reservas florestais e às comunidades indígenas: 34,9%.

O mapa, produzido pela Raisg (Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada), é o primeiro a localizar as áreas protegidas e os territórios indígenas dos nove países amazônicos.

Considerando só este último quesito, o Brasil também fica atrás dos vizinhos: 50,6% da Amazônia colombiana, 25,7% da boliviana e 65% da equatoriana são indígenas.
A partir da Sexta-feira 3 de abril acesse o site www.raisg.socioambiental.org onde poderá obter abundante informação sobre as terras protegidas, terras indíginas e áreas desmatadas do países amazônicos.
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc2903200910.htm

BOM DOMINGO!!!