Google+ Badge

sábado, 30 de janeiro de 2010

Belém, Pará - NO+ (*)



Instituto Evandro Chagas lança publicação

Amazônia Jornal, 30/01/2010


O Instituto Evandro Chagas (IEC) lançou ontem de manhã a primeira edição da revista Pan-Amazônica de Saúde (Pan Amazonian Journal of Health - Revista Pan-Amazónica de Salud), editada em três idiomas, espanhol, inglês e português. Entre as autoridades presentes no lançamento estiveram a secretária executiva do Ministério da Saúde, Márcia Bassit; o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Gerson Penna; e a diretora do IEC, Elizabeth Santos.

Com circulação internacional, a revista tem 200 páginas distribuídas entre artigos científicos assinados por 57 conselheiros, sendo 33 brasileiros e 24 estrangeiros, de países como Estados Unidos, Inglaterra, França, Argentina e Peru. A publicação conta, ainda, com um editor científico, um executivo e 11 editores associados, todos pesquisadores e cientistas que auxiliaram no processo editorial através da divisão de conteúdos por área.

Entre os temas contidos na primeira edição da revista, assuntos de relevância nas áreas da biomedicina, medicina tropical e saúde pública, meio ambiente e antropologia médica, devendo atingir as classes acadêmica, médica, de pesquisa e de ciência e tecnologia.

Elizabeth Santos, diretora do Instituto Evandro Chagas, diz que a revista Pan-Amazônica de Saúde promete ser mais uma ferramenta de pesquisa na área da saúde que pode ser acessada em todo o mundo, através de seus 2.500 exemplares, com publicação trimestral, e da versão on-line. A publicação pode ser baixada no endereço eletrônico www.revista.iec.poa.gov.br.


Problemas socioambientais discutidos em evento

Amazônia Jornal, 30/01/2010

'Cordão Peixe-Boi: um exemplo para refletirmos os problemas socioambientais de Belém' foi o tema de um seminário promovido, ontem à noite, pelo Instituto Arraial do Pavulagem, na sede da Unafisco, e que terminou a preparação para o 8º Cordão do Peixe-Boi, que ganhará as ruas da Cidade Velha no próximo dia 7 de fevereiro. O grande cortejo, que sai da escadinha da Estação das Docas em direção à Cidade Velha, começou em 2003 e, atualmente, abre oficialmente as atividades do instituto todos os anos.

Para ressaltar a mobilização sociocultural e a consciência ambiental, a palestrante e pesquisadora Graça Santana, geógrafa e especialista em antropologia social, discorreu sobre a importância do tradicional cordão e como o mamífero, característico da região Norte, é tratado pelos paraenses e pelo imaginário popular. 'O seminário faz uma relação entre o Peixe-Boi e a cidade de Belém. O Peixe-Boi possui várias características, mas ele quanto animal não recebe um tratamento como deveria receber. Na região, ele é mais bem tratado quando entra no imaginário popular, ou quando o Instituto Arraial do Pavulagem o homenageia, por meio do cordão. O instituto é uma das únicas organizações que vêm mostrando a importância desta relação homem/natureza', explicou.

Além do seminário, foram apresentados os resultados da programação de oficinas, iniciadas no último dia 14 deste mês. Dança, percussão, técnica circense e produção de objetos cênicos, foram algumas das atividades desenvolvidas em toda a cidade pelo Instituto Arraial do Pavulagem.


Ibama apreende muçuãs e tartarugas da Amazônia

Amazônia Jornal, 30/01/2010

Equipe de analistas ambientais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreendeu, no início da tarde de ontem, partes de muçuãs e tartaruga da Amazônia, que estavam sendo comercializados ilegalmente no restaurante Beto Grill, em Belém. Foram apreendidos 52 carcaças de muçuã, duas carcaças de tartaruga da Amazônia e 42 cascos de muçuã. O proprietário do restaurante foi autuado em flagrante e em seguida encaminhado para Delegacia do Meio Ambiente (Dema), onde prestou depoimento. O proprietário do estabelecimento foi multado em R$ 57 mil.

Segundo o analista ambiental Leandro Aranha, chefe do Núcleo de Fauna e Pesca do Ibama, o Ibama recebeu denúncias de que a carne dos animais estaria sendo comercializada ilegalmente no estabelecimento. 'Obtivemos essa informação sobre esse estabelecimento e fomos até lá para conferir. Além da comercialização ilegal, a carne desses animais não possui nenhuma inspeção sanitária', afirma.

As carcaças e os cascos apreendidos foram encaminhados até a sede do Ibama e de lá foram levados para a reserva do Bioparque Amazônia Crocodilo Safari, para alimentar os animais do zoológico. Segundo Aranha, o restaurante Beto Grill não será fechado. Porém, o proprietário deverá pagar a multa por comercializar a carne dos quelônios ameaçados de extinção.

Segundo Aranha, 'a tartaruga da Amazônia pode ser comercializada desde que seja proveniente de criadouros legalizados para fazer a produção desses animais. Já o muçuã não pode ser comercializado, em hipótese alguma, pois não há criadouro legalizado para a criação desse quelônio'.

Ônibus e comida arrasam renda

Amazônia Jornal, 30/01/2010

Sem reajuste da tarifa, gastos com os dois itens consomem até 79% do orçamento de quem ganha o mínimo

Simulações feitas pelo Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese) revelam que varia de 16,94% a 18,54% o impacto do reajuste da passagem de ônibus sobre o orçamento mensal de quem ganha um salário mínimo.

Hoje, junto com a alimentação básica, e sem contar com o reajuste na tarifa de ônibus, 79% da renda fica comprometida apenas com esses dois itens. Se o assalariado tiver filhos ou outros dependentes que utilizam o transporte público, os percentuais são bem maiores.

As simulações utilizam como base o salário mínimo de R$ 510 e o valor atual da passagem, de R$ 1,70. Quem ganha essa renda e apanha dois ônibus por dia, atualmente gasta R$ 81,60 por mês somente com transporte. Isso corresponde a 16% da renda.

Se o reajuste for de 5%, portanto igual à inflação medida entre dezembro de 2008 e janeiro de 2010, o gasto sobe para R$ 86,40, o correspondente a 16,94% da renda. Se for de 11,76%, como propõe a Companhia de Transportes de Belém (Ctbel), subirá para R$ 91,20, o equivalente a 17,88% do rendimento.

Caso a proposta do Sindicato das Empresas de Transporte de Belém (Setransbel) seja aprovada, o gasto subirá para R$ 94,56. Isso corresponde a 18,54 % do salário mínimo. Aí a passagem saltaria dos atuais R$ 1,70 para R$ 1,97.

Segundo o supervisor técnico do Dieese, Roberto Sena, uma pessoa que não recebe vale transporte, sustenta só a si mesma e utiliza duas conduções por dia, compromete de 16% a 20% de sua renda somente com locomoção.

Sena observa que se for considerado o gasto com a alimentação básica, que nem considera a feira diária, o trabalhador compromete cerca de 70% com o básico necessário para se sobreviver. 'Se esse trabalhador tiver filhos e eles precisarem ir para a escola de ônibus, aí é complicado', comenta.

Mais complicado ainda será ver que a passagem aumentou, mas o poder de compra não. Isso acontece porque, apesar do salário mínimo ter sido reajustado em janeiro, a inflação mensal continua variando. Se os índices aumentam, explica, o ganho que ele teve com o reajuste deixa de existir.

Uma alternativa ao constante reajuste das passagens seria a revisão do modelo de transporte para reduzir o custo de cada empresa. A proposta é do supervisor do Dieese, algo não pensado por quem está nas paradas de ônibus. O usuário reclama, mas acredita não haver o que fazer.

Sena explica que a revisão do modelo é necessária porque o valor do transporte tem que observar as condições do usuário. E na Região Metropolitana de Belém, a estimativa é que 90 mil pessoas estejam desempregadas, aproximadamente 10% da população economicamente ativa.

Simulações

Preço da passagem

- Atualmente - R$ 1,70
- Reajuste pela Inflação - R$ 1,80
- Proposta da Ctbel - R$ 1,90
- Proposta do Setransbel - R$ 1,97

Impacto sobre salário

Atual Inflação Ctbel Setransbel
Gasto mensal R$ 81,60 R$ 86,40 R$ 91,20 R$ 94,56
Comprometimento do mínimo 16% 16,94% 17,88% 18,54%


Consumidor vai às lojas - Último fim de semana de IPI reduzido para linha branca


Amazônia Jornal, 30/01/2010

Uma grande movimentação de consumidores está sendo esperada pelos lojistas de Belém neste fim de semana. A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os produtos da linha branca termina amanhã e, com isso, o comércio acredita no crescimento de pelo menos 50% no volume de vendas nos dois últimos dias da isenção fiscal.

Os vendedores estão otimistas e afirmam que o paraense adora comprar eletrodomésticos - fator que favorece ainda mais a previsão de negociações para os próximos dias. As liquidações, iniciadas na primeira quinzena de janeiro, serão mantidas em boa parte do comércio local até o fim do mês com descontos de 5% a 20%. Somadas, as liquidações e a redução do IPI fazem os preços ficarem até 30% menores. Com isso, tanto os consumidores quanto os comerciantes devem sair ganhando.

Os pacotes criados pelo governo para ajudar a enfrentar a crise econômica mundial mantiveram os clientes dentro das lojas em 2009. É o que afirma o vice-presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Belém (Sindilojas), Joy Colares. 'Foi uma grande oportunidade que o brasileiro teve de renovar seus eletrodomésticos. Não tenho a menor dúvida de que foi uma medida positiva, e que ajudou a fomentar o comércio', afirma. Colares explica que os empregos foram mantidos e todo o ciclo econômico se manteve sem estagnação. 'A redução cumpriu com aquilo que era a intenção: movimentar o comércio e manter os empregos. A saída foi boa, e os preços ficaram bem abaixo da média', destaca.

Segundo Márcia Silva, gerente de uma rede de lojas de eletrodomésticos, os preços caíram em média 10% com a isenção fiscal. Já as vendas subiram mais de 50% ao longo de 2009. Márcia destaca que o melhor momento está acontecendo agora. 'Se compararmos dezembro de 2009 com janeiro deste ano, teremos um crescimento nas vendas 93,01%. Se os dados deste mês forem equiparados aos números de janeiro do ano passado, o volume de negociações aumenta em quase 30%. Isso mostra que o consumidor está antenado com as promoções assim como com a redução do IPI', afirma.

Márcia lembra que a máquina de lavar que custava R$ 800,00, hoje custa R$ 600,00. Já a geladeira duplex, que valia em torno de R$ 1,3 mil, hoje sai por R$ 999,00. 'Ospreços caíram quase 25%. Como estas tabelas ainda estão em vigor, e devem deixar de existir na próxima segunda-feira, é possível que uma grande confusão de clientes se forme dentro da loja ', comenta.

Aposentada elogia preços reduzidos

Os preços atraentes provocam surpresa em alguns consumidores. A aposentada Raimunda Santos foi comprar um guardarroupas para o filho, e não acreditava nos preços. 'Está muito barato. Há um ano fiz uma pesquisa e encontrei preços bem maiores', afirma.

Um guardarroupas de pequeno, com quatro portas e duas gavetas custa em média R$ 350,00. No ano passado, a aposentada diz que o mesmo móvel não sairia por menos de R$ 500,00. O mesmo móvel, de maior porte, pode ser encontrado entre R$ 739,00 e R$ 2.108,00 de acordo com o design da peça. O vendedor Jorge Carvalheira conta que as geladeiras estão sendo muito procuradas. De acordo com o tamanho e a marca do aparelho, os preços variam entre R$ 959,00 e R$ 3.599,00.

Para o comerciante Bianor Sampaio, chegou a hora de trocar de refrigerador. Bianor analisou bastante antes de efetuar a sua escolha. 'Os preços estão razoáveis, mas se comparado com os anteriores, melhoraram bastante', destaca. Já a autônoma Roseneide Carvalho diz que é hora de aproveitar os últimos dias do IPI reduzido para fechar negócio na máquina de lavar. 'Eu quero uma máquina de lavar completa, e se eu deixar para depois, talvez eu não tenha como pagar', afirma.

Carros - A isenção ou redução do IPI para veículos também está próximo do fim. No entanto, a previsão é que vigore até o dia 31 de março. Segundo explica Marcelo Pessoa, gerente de uma revendedora de automóveis em Belém, a redução do IPI provocou uma alta de 80% nas vendas.

Vox Populi: Dilma sobe 9 pontos; por enquanto Serra lidera


O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), lidera a corrida presidencial com 34% das intenções de voto, seguido da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), com 27%, segundo pesquisa do Instituto Vox Populi, encomendada pela TV Bandeirantes. Dilma tem nove pontos a mais do que o registrado no último levantamento do instituto, sendo que Serra oscilou negativamente cinco pontos.

O deputado federal Ciro Gomes (PSB) somou 11%, seguido da senadora Marina Silva (PV), com 6%. Brancos e nulos ficaram em 10%, sendo que 12% não sabem ou não opinaram. A pesquisa ouviu 2 mil pessoas em 23 Estados e no Distrito Federal, entre os dias 14 a 17 de janeiro, O levantamento, que tem margem de erro de três pontos percentuais, foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 1057/2010.

No cenário sem Ciro, Serra oscila para 38%, e Dilma, para 29%. Marina fica com 8%. Brancos e nulos somaram 12% e 13% não sabem ou não opinaram.

Em pesquisa encomendada pela revista IstoÉ, e divulgada em 19 de dezembro, Serra obteve 39% das intenções de voto contra 18% de Dilma. Ciro Gomes somava 17%, e Marina teve 8% da preferência.

A nova pesquisa da Vox Populi também simulou um possível segundo turno entre Serra e Dilma. O tucano somou 46% contra 35% de Dilma. Os brancos e nulos ficaram em 10%, sendo que 9% estão indecisos ou não opinaram.

(Terra, Diário do Pará).


Começa consulta pública para o Macrozoneamento Econômico e Ecológico da Amazônia

Um dos pontos centrais do documento preliminar aponta o esgotamento do modelo baseado na expansão das fronteiras agropecuárias

Começou a partir da quarta-feira, 27, a discussão de um novo modelo de exploração dos recursos naturais e do uso do solo da região amazônica. A sociedade poderá fazer sugestões ao documento-base do Macrozoneamento Ecológico e Econômico (ZEE) da Amazônia que estará disponível para consulta pública na internet Clique aqui. O prazo final para as sugestões é 6 de março. A equipe de elaboração pretende aprovar o documento final durante a primeira quinzena de março,quando a proposta definitiva será encaminhada pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, à sanção do presidente Lula.

A proposta preliminar do documento foi elaborada pela Comissão Coordenadora do Zoneamento Ecológico e Econômico do Território Nacional (CCZEE), apoiada pelo Consórcio ZEE Brasil e composta por 14 ministérios: Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento Social e , Transportes, Justiça, Minas e Energia, Cidades, Defesa, Ciências e Tecnologia , Integração Nacional, Desenvolvimento Agrário, Planejamento, Secretaria de Assuntos Estratégicos e Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Contou ainda com a participação de representantes dos nove estados da Amazônia, reunidos em um grupo de trabalho

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o Macro ZEE da Amazônia é um instrumento fundamental de planejamento e gestão ambiental e territorial estabelecido na Política Nacional do Meio Ambiente. Sua principal proposta é promover a transição do padrão econômico atual para um modelo de desenvolvimento sustentável na região, capaz de contemplar as diferentes realidades e prioridades de territórios da Amazônia.

Diversidade

Ao reconhecer a diversidade complexa das diferentes áreas da região, a comissão interpretou a realidade da Amazônia a partir de 10 unidades territoriais. Cada uma foi nomeada com a principal estratégia elaborada para a promoção de seu desenvolvimento, e o plano prevê ainda a recuperação dos passivos ambientais e reversão das trajetórias produtivas que provocaram impactos socioambientais.

Por exemplo, a unidade “Coração Florestal”-que corresponde a uma porção da floresta que é muito preservada - tem uma série de estratégias desenvolvidas para a defesa da área assim nomeada, o que prevê a utilização adequada deste território por meio da promoção de atividades produtivas, bem como a contenção da expansão das fronteiras da agropecuária e da extração de madeira predatórias, suas principais ameaças.

Para acessar o documento preliminar do Macro ZEE da Amazônia, acesse a página www.mma.gov.br/zee. Os interessados em contribuir com críticas e propostas devem preencher o formulário que consta no site, que pode ser enviado pela internet, correio ou ser entregue diretamente no MMA. Informações complementares também podem ser obtidas no mesmo endereço eletrônico.

Calendário

Início da consulta pública - 27 de janeiro
Conclusão da consulta pública - 6 de março
Reunião da CCZEE para aprovação do documento final - 11 de março

Discreto pero intenso

Assim é o Blog do Itajaí de Albuquerque, Vôo da Galinha. Que já existe na praça desde 2008, entretanto,  permaneceu em segundo (eu descobri ele hoje), dedicando maiores contribuições ao Blog: Flanar, que mantem junto com Val-André Mutran e outros jornalistas, aqui em Brasília.

Embora Itajaí diga que o blog será de notas "rapidinhas" elas são intensas. Recomendo!.

Veja Por que Vôo de Galinha.

"A expressão (Voo da Galinhan) ão é patrimônio dos economistas, como do contrário disseram alguns afoitos. Bem antes da globalização, as raízes ibéricas do dito e redito já estavam estabelecidas".

"Escolhi-a por analogia entre o curto e efetivo vôo desses bípedes com a forma preferencial de redação nos blogues, em que a síntese, a objetividade e o espaço reduzido conjugam-se para a efetividade da informação. Como disse o paraense Haroldo Maranhão em livro de contos de igual título: são peças de um minuto ou dois, ou nem isso".


(*) NO+ Revista criada na Universidade Federal do Pará em 2000, dedicada a difundir a ciência, tecnologia e inovação, na Amazônia, teve apenas um primeiro número UFPA. (Título da Revista criação da Jornalista Claúdia Leão). ISBN 2000.

Nenhum comentário: