Google+ Badge

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Vale também para o Pará?


Em Ouro Preto, Minas Gerais A Presidenta Dilma mais uma vez prometeu.

Em seu discurso, o governador Anastasia realçou semelhanças, digamos, mais apropriadas.
O pupilo de Aécio Neves cobrou do governo federal a revisão do modelo tributário do setor de mineração.
Chamou de “injusto” o sistema atual. Como o ouro já foi apropriado por Portugal, o governador ocupou-se do minério de ferro. É retirado do solo mineiro, segundo ele, sem retribuições ao Estado.
“Mesmo o principal tributo estadual, o ICMS, não incide quando este produto é exportado”, disse o governador.
Anastasia aproveitou a ocasião para recordar a Dilma o apoio que ela dera à revisão da sistemática de cobrança de royalties da mineração.
Hoje, Minas recebe entre 0,2% e 3% do faturamento líquido das mineradoras, dependendo do tipo de produto. O Estado quer mais.
Em resposta, Dilma repisou a promessa: “Mais uma vez externo aqui o meu compromisso com o envio do marco regulatório do setor de mineração...”
“...Não é justo, nem tampouco contribui para o desenvolvimento do Brasil, que os recursos minerais do país sejam daqui tirados e não haja a devida compensação”.
Além de morder, Anastasia teve a delicadeza de assoprar. Injetou nos fetejos da Inconfidência uma homenagem às mulheres mineiras.

Nenhum comentário: