Google+ Badge

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Produção de urânio do Brasil cresce seis vezes nesta década



Indústrias Nucleares do Brasil (INB) pretende dobrar a produção em sua mina de Caetité, no estado da Bahia no Nordeste nos próximos cinco anos, 800 toneladas, e começar a produzir 1.500 toneladas por ano em uma nova mina mais norte do Estado do Ceará.

A empresa também descobriu recentemente novos depósitos promissores em torno de Caetité, a única mina de urânio na América do Sul, com sinais apontando para um mineral rico duas vezes.

A descoberta está aguardando os resultados do trabalho exploratório para confirmar a sua viabilidade.

"Estamos confiantes de que vamos aumentar significativamente nossas reservas", disse o diretor de recursos minerais no RNB, Otto Bittencourt, acrescentando que a maioria dos depósitos são espalhados pelo país, da Amazônia para o estado de mineração chave de Minas Gerais, no sul .

Bittencourt revelou que as reservas comprovadas do Brasil de 300.000 toneladas, o que é baseada em trabalhos de exploração realizados na década de 1980 poderia facilmente triplicar catapulta Brasil para as fileiras da Austrália e Cazaquistão, onde alguns dos maiores depósitos de urânio conhecidas 

De urânio e fosfato
Brasil adere a seu programa de expansão nuclear, embora alguns países decidiram abandonar a energia nuclear após vazamentos de radiação da usina nuclear em Fukushima no Japão após um terremoto e tsunami em março deste ano.

No entanto, o consumo interno deverá crescer mais lentamente do que a produção. Brasil planeja construir 07:56 usinas nucleares adicionar aos três já existentes, mas apenas para 2030.

As três usinas nucleares no Brasil estão no Estado do Rio de Janeiro, embora não tenha terminado completamente construído.

"O governo vai decidir sobre o que fazer com esse excesso (de urânio)", disse Bittencourt, acrescentando que as três usinas do Rio, juntos, consomem 600 toneladas de urânio por ano, cerca de um quarto da produção anual estimada para 2017.

Apesar de um menor teor de urânio na mina de novo, Santa Quitéria, recursos medidos são associadas com fosfatos e deverá produzir 240 mil toneladas de componentes por ano de fertilizantes, o que tornaria a extração de urânio em uma atividade mais eficiente do custo ponto de vista.

Santa Quitéria abriu em 2014 e 2015 e será operada pelo grupo Galvani família industrial, que irá extrair o minério para a INB como parte de uma operação de mineração de fosfato.
Produção deve chegar a 1.500 toneladas por ano em 2017.

O minério a ser extraído em Caetité tem um teor de urânio de cerca de 3.000 partes por milhão, o que compara com cerca de 1.000 partes por milhão é de Santa Quitéria.

As reservas são exploradas novas potenciais perto Caetité poderia ser muito mais rica, com um teor de urânio de 6.000 partes por milhão.



Reuters - Esta publicação inclui informações e dados que são propriedade intelectual da Reuters. É expressamente proibida ou seu nome sem o consentimento prévio de Reuters. Todos os direitos reservados.

Nenhum comentário: