Google+ Badge

domingo, 7 de agosto de 2011

FACEBOOK E UM NOVO DILEMA: O QUÉ FAZER COM OS USUÁRIOS QUE MORREM?

Purvin Courtney ficou chocado a última vez que visitou Facebook no mês passado. O site sugeriu que ele entrasse em contato com um velho amigo da família que tinha tocava piano em seu casamento há quatro anos.
 
O amigo havia morrido em abril.
 
"Parecia um pouco macabro", disse ele. "Foi como voltar dos mortos."
 
Facebook, a maior rede social do mundo, sabe muito mais de 500 milhões de membros. Seu software é rápido para ajudá-lo a se lembrar de coisas como um aniversário iminente ou amigos que você não tem contato com você. Mas a empresa tem se esforçado para automatizar a tarefa de perceber que um membro tenha morrido.
 
Isso pode levar a momentos difíceis ou simplesmente inconveniente para os usuários do Facebook, quando o site ainda está embaralhando seu amigo morreu em sua algoritmos social.
 
Em Facebook dizem que estão lutando para ver como lidar com a questão dos fantasmas, mas reconhece que chegou a uma boa solução.
 
uma questão muito sensível", disse Meredith Chin, porta-voz da empresa ", é claro, ver os amigos mortos que nos visitam podem ser dolorosas." Dado o tamanho do site, "e as pessoas morrendo todos os dias, nunca podemos estar completamente atualizado", disse ele.
James E. Katz, professor de comunicação na Rutgers University, disse que a companhia estava tendo "um problema da velhice." "Muitos dos primeiros usuários do Facebook eram muito jovens e morte era extremamente raro e trágico", disse Katz.
 
Hoje, as pessoas com mais de 65 estão adotando Facebook em uma taxa mais rápida que qualquer outro grupo etário, com apenas 6,5 milhões de assinantes em maio, três vezes mais do que em maio de 2009, de acordo com a empresa de pesquisa comScore. Pessoas acima de 65 são, naturalmente, a maior taxa de mortalidade, de modo que o problema é complicado.

Nenhum comentário: