Google+ Badge

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Lynaldo Cavalcanti é homenageado nos 60 anos do CNPq



     No início deste ano, o setor de Ciência e a Tecnologia perdeu um de seus grandes mestres e representantes, o paraibano Lynaldo Cavalcanti de Albuquerque, um dos principais articuladores para a criação da ABIPTI e ex-presidente do CNPq. Na comemoração de aniversário da agência de fomento, realizada nesta quarta (27), em Brasília (DF), o professor  foi lembrado com louvor. As duas filhas do professor Lynaldo - Cristiana e Carla Albuquerque -  receberam das mãos do presidente do CNPq, Glaucius Oliva, uma placa em homenagem à contribuição do professor à inovação brasileira.

     Além das homenagens, o evento reuniu autoridades, colaboradores e demais atores da C&T, no Teatro Nacional Claudio Santoro. O coral Madrigal, da Universidade de Brasília, abriu os trabalhos com a apresentação do Hino Nacional, seguido de repertório repleto de músicas brasileiras. O evento também anunciou o título de pesquisador emérito e a menção especial de agradecimento a cientistas que contribuíram para o desenvolvimento científico e tecnológico do país. Os funcionários com mais de 25 anos também foram homenageados. Na oportunidade, foi lançado o selo alusivo aos 60 anos do CNPq.

     Conhecimento
    
Glaucius Oliva ressaltou a importância da educação básica de qualidade e a necessidade de mais investimentos em pesquisa e desenvolvimento. “Empresas dependem do conhecimento. A economia, que nos séculos 18 e 19 era o produto da soma de capital e do trabalho, hoje conta com um terceiro componente: o conhecimento”.

     Nesse contexto, completou, o CNPq funciona como a casa do cientista brasileiro, assumindo o papel da formação em tecnologia e inovação com avanço na produção do conhecimento, mas, principalmente na apropriação deste em forma de inovações, produtos e serviços. Hoje, o CNPq conta com mais de 64 mil processos vigentes, 75 mil propostas de pesquisas por ano e quase 90 mil bolsistas. As pesquisas são realizadas e renovadas ano a ano, não só em projetos financiados diretamente pela agência, mas também nas parcerias feitas com as Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs).

     Oliva ainda falou da importância crucial dos institutos de pesquisa. “A capacidade de traduzir conhecimentos em inovações, com foco e com atenção direta às demandas da indústria são essenciais para que haja avanço. Para isso, é fundamental que as universidades  continuem fazendo a ciência básica e aplicada, mas são os institutos de pesquisa que têm a capacidade de encontrar o foco na demanda nos projetos de C&T”, concluiu.  

     Fotografia Científica
    
Durante o evento, foi anunciado o lançamento do primeiro concurso do CNPq de fotografia científica, ciência e arte, produto inédito para a popularização do setor no Brasil, com a ampliação do banco de imagens nacional. O prêmio é voltado para a comunidade acadêmica e científica brasileira – estudantes de graduação, mestrado, doutorado, docentes universitários e pesquisadores.

     Serão 18 agraciados que dividirão o premiação de R$ 90 mil reais. As inscrições estarão abertas a partir do dia 2 de junho podendo ser feitas até 12 de agosto de 2011. A entrega do prêmio será na abertura da Semana Nacional da Ciência e Tecnologia em Brasília, no mês de outubro.

Nenhum comentário: