Google+ Badge

sábado, 11 de dezembro de 2010

Pará - Duas chapas concorrem às eleições do SEBRAE

Sebrae terá duas chapas na disputa

Uffff!!
Pelo menos o governo eleito não está apoiando seus anteriores dirigentes (tod@s) que passaram décadas no poder do órgão e pouco, ou nada, fizeram pelas pequenas e micro empresas. E muito por el@s.


Duas chapas concorrem à eleição do Serviço Brasileiro de Micro e Pequenas Empresas no Pará (Sebrae/PA), que acontece dia 14. As inscrições ocorreram ontem.

Uma das chapas é liderada por dirigentes de entidades do setor produtivo, liderada pelo presidente da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), José Conrado, que concorre à presidência do conselho deliberativo do órgão, e o diretor da Federação da Agricultura do Pará (Faepa), Wilson Schuber, ao cargo de diretor-superintendente.

Eles representam o grupo político ligado ao governador eleito Simão Jatene (PSDB) e apresentam um discurso afinado com as perspectivas de crescimento do Estado, a partir de investimentos em infraestrutura e implantação de grandes e médios projetos de desenvolvimento. A chapa se completa com a deputada estadual Suleima Pegado (PSDB) para o cargo de diretora técnica e Elias Pedrosa, do Sindicato da Panificação, ao cargo de diretor administrativo-financeiro.

A chapa da situação tem a atual presidente do Hangar Centro de Convenções, Joana Pessoa, como concorrente ao cargo de diretora-superintendente, e Reginaldo Ferreira, presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Pará (Faciapa), para o conselho deliberativo do órgão. Mas, ela prefere não dar entrevista sobre a eleição, nem sobre a chapa formada para disputar a direção do Sebrae.

Elias Tavares, ligado ao Sesi, e o secretário adjunto da Fazenda estadual, José Carlos Damasceno, candidatos aos cargos de diretor técnico e diretor administrativo, respectivamente, completam a chapa ligada ao grupo político da governadora Ana Júlia (PT). 

Para José Conrado, sua chapa é formada por entidades empresariais que querem colaborar com o novo governador, com a qualificação das micro e pequenas empresas, necessária ao Pará quando o Estado tem a perspectiva de receber mais de R$ 100 bilhões em investimentos nos próximos quatro anos -90% vindos da iniciativa privada. 

“Nossa preocupação é qualificar as empresas para atender essa demanda, com prestação de serviços em todos os segmentos”. Conrado também não vê problemas nas duas chapas polarizarem grupos distintos. Mas, diz que, tradicionalmente, o Sebrae é administrado por dirigentes de entidades empresariais. 

(Diário do Pará)

Nenhum comentário: