Google+ Badge

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Eleições - Marina Silva solta o verbo e proclama discurso de unidade tucana e petista.



Eu achei o maior barato essa conversa da Marina, em certa medida, se a gente faz uma análise superficial, até que cola.


Ela sugere uma falta de visão política dos partidos PT e PSDB ao não entrarem em um acordo. Parece que até é válida essa crítica, finalmente nem o PT é tão socialista como ela disse muitas vezes, nem os tucanos são tão neoliberais como o PT diz. E ambos são meio socialdemócratas, sõ que o PT um pouco mais à esquerda e o PSDB um pouco mais à direita. Eu acredito que o grande diferencial do Governo Lulatem sido seu programa social.


Veja aqui a estrevista da Marina no Estadão e mande seu comentário.

SÃO PAULO - A senadora e pré-candidata à Presidência da República pelo PV, Marina Silva (AC), disse nesta terça-feira, 9, durante entrevista à TV Estadão, que PT e PSDB erraram nos últimos 16 anos ao não entrarem em um acordo para garantir a governabilidade do País. "Um erro que cometemos, e digo nós porque fiz parte do PT durante 30 anos, foi o de não estabelecer um ponto de contato com o PSDB no período em que ele foi governo. E a mesma coisa aconteceu no período em que o presidente Lula é governo."

Leia mais e assista a entrevista completa  da Senadora no Estado de São Paulo

Marina defendeu o entendimento entre os grandes partidos e diz que o PV tem "vontade de conversar". "Ninguém governa sozinho", disse, mas reconheceu que esse acordo suprapartidário, no Brasil, ainda está no campo da utopia. "A grande utopia deste País é que se possa conseguir uma governabilidade baseada em princípios e não apenas no cálculo pragmático de maioria, que muitas vezes é fisiológica."

A pré-candidata criticou o que chamou de disputa entre dois passados, referindo-se às comparações entre os governos Fernando Henrique Cardoso (1994-2002) e Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010). "Por mais relevantes que esses governos sejam, não podemos engessar o País em um plebiscito para ver quem fez mais no passado."

Nenhum comentário: