Google+ Badge

sábado, 3 de outubro de 2009

Descoberta de novos blogs - "En la diversidad está el gusto", decia el filósofo

Ontem, já muito tarde pelas tantas da madrugada, acessei o "Blog do Enriquez" para refletir por que o bafômetro da blitz, “familiar” não conseguiu detectar, nem a quantidade de cervejas ingeridas, nem menos ainda a marca. Claro elas pensaram que eram cervejas, quando na verdade era apenas uma meia dúzia de chopes, daqueles do Bar Brasília.

Lá estava eu com um dos autores de um blog muito interessante, que recomendo: o Blog do Flanar, assim mesmo Flanar. Ele, de entrada se define como diverso e vc confirma essa afinidade com o diverso, mas sempre com novas matérias e comentários inteligentes. Não podia ser de outra forma, Itajaí de albuquerque é quem alimenta o Flanar e nos oferece um momento de distração e um pouco de cultura, que nunca faz mal. Mas, o que significa Flanar? Veja o que outro blog o Blog Flanagem define esse verbo pouco aceito nos dicionários da língua da “Real Academia da língua Portuguesa” (se essa mesmo existe, como existe “La Real Academia de la Lengua Española”).

"Flanar! Aí está um verbo universal sem entrada nos dicionários, que não pertence a nenhuma língua! Que significa flanar? Flanar é ser vagabundo e refletir, é ser basbaque e comentar, ter o vírus da observação ligado ao da vadiagem. Flanar é ir por aí, de manhã, de dia, à noite, meter-se nas rodas da populaça, admirar o menino da gaitinha ali à esquina, seguir com os garotos o lutador do Cassino vestido de turco, gozar nas praças os ajuntamentos defronte das lanternas mágicas, conversar com os cantores de modinhadas alfurjas da Saúde, depois de ter ouvido dilettanti de casaca aplaudirem o maior tenor do Lírico numa ópera velha e má; é ver os bonecos pintados a giz nos muros das casas, após ter acompanhado um pintor afamado até a sua grande tela paga pelo Estado; é estar sem fazer nada e achar absolutamente necessário ir até um sítio lôbrego, para deixar de lá ir, levado pela primeira impressão, por um dito que faz sorrir, um perfil que interessa, um par jovem cujo riso de amor causa inveja...
É vagabundagem? Talvez. Flanar é a distinção de perambular com inteligência. Nada como o inútil para ser artístico. Daí o desocupado flâneur ter sempre na mente dez mil coisas necessárias, imprescindíveis, que podem ficar eternamente adiadas. Do alto de uma janela, como Paul Adam, admira o caleidoscópio da vida no epítome delirante que é a rua; à porta do café, como Poe no homem das multidões, dedica-se ao exercício de adivinhar as profissões, as preocupações e até os crimes dos transeuntes".

JOÃO DO RIO. A Alma encantadora das ruas. Crônicas. organização: Raúl Antelo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. pp. 31-32.

Na cultura chilena existe um princípio ético de reciprocidade entre os que se dedicam a esta absurda tarefa de alimentar um filho, chamado BLOG: "tu me lees, yo te leo".

Acesse o Blog Flanar aqui

Nenhum comentário: