Google+ Badge

domingo, 18 de abril de 2010

Agenda ecológica - A Natureza como Limite da Economia.

Lançamento de livro sobre teoria econômica e ecologia, no Instituto de Estudos Avançados da USP.

Transmição ao VIVO pela WEB no endereço do IEA/USP Aqui Dia 19/4/2010
Falta 1 dia para o início do evento.
Duração: 1 dia

Agência FAPESP – No dia 19 de abril, às 15h, Andrei Cechin, doutorando da Universidade de Wageningen (Holanda), José Eli da Veiga, professor titular da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (USP), e Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, debaterão o tema “A natureza como limite da economia”, no auditório do Instituto de Estudos Avançados da USP.

O título do debate dá nome ao livro de Cechin, que será lançado na ocasião. A Natureza como Limite da Economia, publicado pelo Senac São Paulo e pela Edusp com apoio da FAPESP, coloca a economia como um subsistema do ambiente e, portanto, sujeita às leis da física, especialmente à Lei da Entropia. Durante o evento também será lançado o livro Economia Socioambiental (Senac São Paulo), organizado por Veiga.

O professor convidou especialistas a apresentarem uma abordagem brasileira das questões socioambientais. O trabalho resultou em 14 capítulos com reflexões sobre a desarmonia entre os conceitos de civilização, progresso e natureza. A sede do IEA fica na rua da Reitoria (antiga Travessa J), 374, Cidade Universitária. O evento será transmitido ao vivo pela internet no endereço www.iea.usp.br/aovivo. Mais informações podem ser obtidas com Inês Iwashita pelo e-mail ineshita@usp.br ou telefone (11) 3091-1685.

Os limites impostos pelo ambiente sobre os processos econômicos serão discutidos em debate no dia 19 de abril, às 15h, no IEA. Andrei Cechin, doutorando da Universidade de Wageningen, Holanda, falará sobre seu livro “A Natureza como Limite da Economia” (Senac São Paulo-Edusp-Fapesp), que será lançado na ocasião. A exposição será seguida de debate com José Eli da Veiga, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, e Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fapesp. A coordenação será de Wagner Costa Ribeiro, coordenador do Grupo de Estudos de Ciências Ambientais do Instituto.

Segundo Cechin, a economia é um subsistema do ambiente e, por isso, não pode contrariar as leis da física, em especial a Lei da Entropia (2ª Lei da Termodinâmica). Ressalta que toda a vida econômica se alimenta de energia e matéria de baixas entropias e produz resíduos de alta entropia. Para ele, os economistas, concentrados no fluxo circular monetário, parecem ter se esquecido do fluxo metabólico real e isso pode causar um ‘crescimento antieconômico’, com custos maiores do que benefícios.


No evento também será lançado o livro “Economia Socioambiental” (Senac São Paulo), organizado por José Eli da Veiga. O livro contém 14 capítulos escritos por especialistas convidados. Os autores debatem a abordagem brasileira das questões socioambientais e refletem sobre a desarmonia entre os conceitos de civilização, progresso e natureza. Esse desacordo, pequeno no passado, cresceu assustadoramente com o modelo econômico capitalista, uma vez que, segundo Eli da Veiga, “o individualismo metodológico da teoria econômica ignora sistematicamente a natureza hierárquica dos sistemas sociais e ecológicos”.

Nenhum comentário: