Google+ Badge

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Ex-ministro da Justiça passa defender assassino e estuprador Abdelmassih


Caso Polêmico

Cogita-se a hipotese de ter defendido os acusados de atear fogo em um índio pataxó (Galdino Jesus dos Santos) em 1997. Mais tarde em 1999 foi advogado de defesa Luis Eduardo Passareli Tirico, acusado de participar do trote que matou o estudante Edson Tsung Chi Hsueh. Na época Márcio Thomaz Bastos não era ministro da justiça, mas ao assumir o cargo, o caso simplesmente foi suspenso. Diz o ministro da justiça que inexiste relação entre sua nomeação e o pedido de sustação do processo, mas, segundo a promotora responsável pelo caso, "é, no mínimo, uma coincidência muito estranha o fato de a ação ser interrompida um dia depois da nomeação de Márcio Thomaz Bastos, sabendo-se que ele defendia um dos acusados".

O ex-ministro da Justiça e advogado criminalista Márcio Thomaz Bastos passou a integrar a defesa do médico Roger Abdelmassih, preso desde o dia 17 de agosto, em São Paulo, acusado de mais de 50 estupros. Ele diz que é inocente.

Bastos vai atuar junto com o advogado José Luís Oliveira Lima que já respondia pelo caso do médico. Lima disse que o ex-ministro entrou no caso formalmente na segunda-feira (31). O G1 solicitou, desde a manhã desta terça-feira (1º), uma entrevista com Bastos, mas não recebeu retorno até o horário de publicação desta reportagem.

Também nesta terça, o Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou que a defesa entrou, na segunda-feira, com pedido de reconsideração da ordem de prisão contra o médico. Segundo Lima, a defesa, no pedido entregue à juíza titular da 16º Vara Criminal de São Paulo, Kenarik Boujikian Felippe, ratificou os argumentos apresentados no pedido de habeas corpus, mas desta vez acrescentou a decisão do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp), que, dias depois da prisão, suspendeu o registro profissional do acusado.

Leia na íntegra no G1 Aqui

Nenhum comentário: