Google+ Badge

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Seicom encerra oficinas para o Plano de Mineração do Pará


Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 05/09/2013




O Estado do Pará é o segundo maior produtor de bens minerais do Brasil, responde por 6% das exportações nacionais e aproximadamente 70% do saldo comercial brasileiro, que foi de US$ 17 bilhões em 2011 e US$ 13,5 bilhões em 2012. A mineração e a indústria de transformação mineral somam ainda 15% do Produto Interno Bruto e colaboram com 3,5% dos empregos formais gerados do estado.

Para debater alternativas que tornem o setor uma plataforma de desenvolvimento sustentável para o estado, a Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração do Pará (Seicom) realizou, nesta quinta-feira (5), a 13ª oficina para o Plano Estadual de Mineração (2013-2030), que teve como tema “Política Estadual e Modelo de Governança para Mineração no Pará”, no Centro Integrado de Governo, em Belém.

A última das oficinas para o Plano Estadual de Mineração reuniu alguns dos mais expressivos atores do segmento mineral no Pará. A ideia do ciclo de palestras foi abordar assuntos que vão da geologia à transformação mineral, com o objetivo de priorizar objetivos e definir ações e metas efetivas para a política mineral no estado.

"O Governo Federal não está fazendo uma gestão eficiente e o Pará acaba penalizado por esta situação. Isso precisa mudar. E uma das ações do governador Simão Jatene para ajudar no desenvolvimento do estado foi a recriação da Seicom. O trabalho estratégico desenvolvido por esta secretaria vem sendo importante para os projetos do governador", informou o titular da Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa.

A expansão do Arranjo Produtivo Local (APL) de gemas e joias, em Itaituba e Parauapebas; os Grupos de Trabalho (GTs) de insumos minerais para a agricultura, petróleo e gás, agregados de uso direto na conservação; o adensamento de valor às cadeias minerais, com estudos de cadeias produtivas do cobre, níquel, manganês, alumínio, ferro, caulim e ouro são algumas das realizações da Seicom, desde sua recriação há quase dois anos. "Estas são ações que já deveriam estar ainda mais avançadas do que estão agora, não fosse o período de quatro anos de interrupção das atividades da Seicom, entre 2007 e 2011. Mas estamos nos empenhando para dar todo o apoio para desenvolver o Pará", informou Maria Amélia Enríquez.

Participaram da 13ª oficina para o Plano Estadual de Mineração (2013-2030), além da Seicom, representantes da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Pará (Secti), Vale, Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-Pará) e outros órgãos públicos e particulares.                                                                                                                   

Nenhum comentário: