Google+ Badge

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Candidato do PMDB é acusado de ligação com milícias

Não tem virgem nem junior na terra de Deus

Durante o debate Folha/Rede TV, promovido na noite desta quarta-feira (5), no Rio de janeiro, candidato do PSOL acusou ao Prefeito  Eduardo Paes (PMDB), candidato a reeleção de ligação com milícias paramilitares.

No debate, o candidato do Psol, Marcelo Freixo voltou a ligar o atual chefe do Executivo carioca ao crescimento das milícias. Segundo o candidato do PSOL, ao falar do transporte alternativo na cidade, a relação do governo municipal com os grupos paramilitares "é profunda". "No transporte alternativo, a relação das milícias com a prefeitura é profunda. Esse é o principal braço econômico da milícia e a prefeitura tem responsabilidade sobre esse crescimento", afirmou.

"Esse é um bom debate. As milícias não cresceram sozinhas. Todo miliciano é dono de centro social, e muitos tem parceria com a Prefeitura do Rio. A milícia é uma máfia: eles estabelecem o domínio territorial com um projeto de ocupar o espaço eleitoral. Eles ajudaram a eleger muita gente, é uma máfia com projeto de poder. Basta ver que eles têm bases na Câmara", disse.

Paes revida e  disse não ser necessário "pedir ficha de antecedentes criminais" para participar de reuniões em seu gabinete --em referência a uma fotografia que mostra o candidato à reeleição em uma mesa com milicianos--, e afirmou que Freixo "deveria ler o seu próprio relatório", referindo-se à CPI das Milícias, da qual o deputado estadual foi presidente, ironizando o fato de um ex-candidato a vereador do PSOL ter sido identificado como um dos citados pela CPI das Milícias, na Assembleia Legislativa do Rio.

Fonte - UOL. 

 

Nenhum comentário: