Google+ Badge

sábado, 5 de abril de 2014

Com pessimismo econômico, Dilma perde seis pontos, aponta Data Folha






SÃO PAULO - (Atualizada às 17h20) A presidente Dilma Rousseff perdeu pontos na mais recente pesquisa de intenção de voto para a eleição presidencial feita pelo instituto Datafolha. No entanto, ela continua sendo a pré-candidata com melhor desempenho entre os que se declararam interessados em concorrer. Ela só precisaria disputar um segundo turno no cenário em que Marina Silva fosse sua adversária.

De acordo com a pesquisa, divulgada na página do jornal Folha de S.Paulo na internet, em uma simulação com os candidatos Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) e considerando partidos nanicos, as intenções de voto na atual presidente caíram para 38% no levantamento realizado entre 2 e 3 de abril. Na rodada anterior, de 19 e 20 de fevereiro, Dilma somava 44% no mesmo cenário.

Apesar disso, ela seria reeleita em primeiro turno. Segundo o Datafolha, seus adversários não cresceram. Aécio se manteve com 16% das intenções de voto e Campos subiu dentro da margem de erro da pesquisa (2 pontos percentuais), indo de 9% para 10%. Os candidatos de partidos nanicos somaram 6% das intenções.

O Datafolha também testou uma opção sem os partidos pequenos. Nesse cenário, a intenção de voto em Dilma diminuiu de 47% para 43%; Aécio foi de 17% para 18% e Eduardo Campos, de 12% para 14%.

Uma terceira opção troca Campos por Marina Silva (atual candidata a vice em sua chapa). Nessa simulação, Dilma caiu de 43% para 39% e Marina subiu de 23% para 27% entre as pesquisas de fevereiro e de abril. Nas três opções desenhadas pelo Datafolha com a candidatura de Dilma Rousseff, essa é a única que iria a segundo turno de eleição.

A presidente registrou o melhor desempenho na região Nordeste, onde recebeu 54% das intenções de voto. Seu ponto fraco é a fatia da população brasileira com renda familiar superior a 10 salários mínimos, na qual tem apenas 20% das preferências.

Já Aécio Neves está mais bem cotado pelo estrato mais rico do eleitorado, pois tem 34% das intenções de voto dos eleitores com renda familiar de mais de 10 salários mínimos. O tucano permanece com baixa penetração no Nordeste, onde angariou somente 7% das preferências. Eduardo Campos tem contra si a menor popularidade em nível nacional dos três candidatos. Dos consultados pelo Datafolha, 42% disseram não conhecer o ex-governador de Pernambuco. Apenas 1% não conhece Dilma Rousseff e 25% não sabem quem é Aécio Neves.

O Datafolha também pesquisou o grau de rejeição que o eleitorado tem em relação aos atuais pré-candidatos. Dilma, Aécio e Campos ficaram com o mesmo percentual, de 33% de rejeição. Marina Silva teve 21% e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve 19%.

Mudanças

Segundo a Folha de S. Paulo, a deterioração das expectativas com inflação e emprego, e um desejo de mudanças podem explicar a queda da preferência do eleitorado por Dilma Rousseff. Pelo resultado da pesquisa de abril do Datafolha, 63% dos brasileiros acham que as realizações de Dilma estão aquém do que esperavam. Além disso, 72% dos 2.637 entrevistados disseram que querem que as ações do próximo presidente sejam diferentes das de Dilma.

Questionados sobre qual dos candidatos listados seria o mais preparado para fazer essas mudanças, 32% dos consultados apontaram Lula, e 17%, Marina Silva. A própria Dilma foi citada por 16%, índice maior do que os atuais candidatos da oposição. Aécio foi apontado por 13% e Eduardo Campos, por 7%.


Nenhum comentário: