Google+ Badge

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Arthur Virgílio recebe apoio de aliados de Dilma e provoca Lula em Manaus

O candidato tucano a prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, provocou nesta quinta-feira (11) o ex-presidente Lula ao receber o apoio de dois partidos da base aliada do governo Dilma (PR e PSB) para a campanha para o segundo turno.

"Fica faltando agora o Lula chegar aqui e declarar apoio a mim, aí completa tudo", disse Virgílio, sob aplausos e risadas de correligionários em evento de formalização das adesões dos partidos.


Dilma vai participar de comício da candidata do PC do B em Manaus
Lula pede empenho contra desafeto em Manaus
PSDB e PT são os partidos com mais candidatos no 2º turno das capitais
Arthur Virgílio e Vanessa Grazziotin vão para o 2º turno em Manaus


Virgílio conseguiu a adesão de Henrique Oliveira (PR), terceiro colocado com 16% dos votos, o mais disputado pelo PSDB e PC do B. O ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB), com 11%, e Pauderney Avelino (DEM), com 2%, também declararam o apoio ao tucano.

No primeiro turno, Lula esteve em Manaus numa visita de apoio à campanha de Vanessa Grazziotin (PC do B). Nas urnas, Virgílio obteve 40% dos votos, contra 19% da adversária.

Lula tem se empenhado para derrotar o tucano, adversários ferrenhos desde que Virgílio liderava, como senador, a oposição no Congresso ao governo do petista.

Na última segunda-feira (8), por exemplo, Lula cobrou mais empenho do governador Omar Aziz (PSD-AM) na campanha de Grazziotin. Aliados do governador apoiam o tucano.

Após a cobrança, Aziz se reuniu com cerca de 300 funcionários comissionados do governo e exigiu "empenho". Ontem, o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), deu o tom do que será a campanha do segundo turno. Ele afirmou que o duelo entre Virgílio e Grazziotin vai ser o da mudança contra o continuísmo do prefeito Amazonino Mendes (PDT), que está desgastado por não cumprir promessas de campanha.

O PDT e aliados de Amazonino apoiam o tucano. Em ato organizado nesta quinta pelo DEM, Virgílio disse que a tática de Braga era tola. "Isso não cola comigo, não vou permitir que a campanha seja um julgamento de Amazonino", afirmou.

O tucano disse que Grazziotin tinha um vice, Vital Melo (PT), que foi secretário (do Trabalho) do prefeito e o líder do governo "é apoiado pelo Amazonino desde os 21 anos, hoje ele tem 50".

"Se [os aliados do prefeito] estão comigo, eu os trato com respeito. Em matéria de votos eu sou guloso mesmo. Se o tom é esse, é um tiro no pé. É preciso perder uma eleição em alto nível", afirmou o tucano.
Folha. 

2 comentários:

Anônimo disse...

não vergonha para Dilma e Lula porque do PR de jose de alencar e o PSB de miguel Araes ambom a liderança ja morreu e os partidos estão aderiva agora a militancia é quem fica de orelha em pé e eu duvido muito ela seguirar a decisão desse dois partidos, porque todos conhecem Arthur virgilio, quem votou em mguem araes jamais votará em artur virgilio, vai ter muito voto nulo e bem facil o pc do b chegar ao poder. Aqui Em Belem PT fez o que era certo coligou com Edmilson e a vitoria será certa

BLOG DO ENRIQUEZ disse...

Prezado Anômimo. Eu não disse que esses apoios fossem vergonha para Dilma. Receber apoios não deve provocar vergonha. O extranho é como mudam os partidos. O PT já tem até assinado documentos onde proíbe ao partido coaligar-se com o DEM no ABC, SP, Lula recomenda a militantes não brigar com DEM, coaligado com PT, Lula e Haddad visitam a casa do Maluf e se entregam a um longo abraço. Nem vamos falar de Collor, de Sarney e hoje do PMDB. Hoje não se fala mais do PT sem falar do PBDB, seu partido irmão. E por aí vai, meu caro.