Google+ Badge

sexta-feira, 27 de abril de 2012

O PT reclama de falta de democracia na UFOPA, mas não da corrupção no IFPA. Aí está faltando polícia!


Com escasso interesse pela educação, um grupo de deputados do PT, visitou o Ministro Mercadante para reclamar junto ao Ministro de falta de democracia e transparência por parte da gestão da Universidade do Oeste do Pará – UFOPA. Na reunião estava presente o próprio Vice Reitor, o Professor Dr. Clodoaldo dos Santos, na representação do Reitor, José Seixas Lourenço. Para informação dos democratas, quando o Vice Reitor participa de uma audiência oficial, o faz na condição de máximo representante da autoridade da instituição, o Reitor.

A pergunta que não quer calar, por que e Vice da UFOPA precisa ir ao Ministério a criticar a gestão do seu chefe imediato o Reitor? A UFOPA não conta com sua própria estrutura de debates (conselho Universitário) para discutir os problemas internos da instituição?

Se por outro lado, a comunidade acadêmica está tão a desgosto com essa suposta falta de democracia. Por que o Vice Reitor não convoca o Conselho Universitário para debater os problemas da UFOPA? Ele preferiu ir fazer fofoca no Ministério de Educação. Pega mal, já que na UFOPA ele nem aparece e quando o faz aparece cheio de correntes de ouro, brincos nas orelhas e relógios gigantes, engravatado e perfumado, mas entra mudo e sai calado. Assim aconteceu em uma reunião onde eu tive a oportunidade de conferir o que falo.

Aí tem Gato de fora com rabo escondido.

O Vice Reitor da UFOPA está pior que sua antecessora a conhecida Raimundinha, demitida por incompetente. Contam por aí que a própria Professora Berta Becker (uma das geógrafas mais prestigiadas do Brasil) se manifestou pela reprovação da tese de doutorado da Raimunda, mas pelo apoio político de outros professores ela aprovou seu horrível doutorado.
Veja a postagem do site do Deputado Zé Geraldo, preocupado só da democracia da UFOPA. como se a universidade não tivesse Conselho Universitário, Câmeras Técnicas e todos seus órgãos que cuidam dos processos de uma universidade.

Não ha dúvida, o PT quer nacionalizar e politizar a universidade.

Agora com o Reitor do Instituto do IFPA, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará,Edson Ary Oliveira Fontes (abaixo, foto, no centro, entre Tasso Genro e a irmã, Cuca), volta a ficar sob a suspeita de improbidade administrativa. As denúncias nesse sentido justificaram a criação, por determinação expressa do Ministério da Educação, de um grupo de trabalho destinado a apurar, no prazo de 60 dias, as suspeitas de corrupção envolvendo o reitor do IFPA.Sobre isso ninguém falou com o Ministro Mercadante.
Veja a matéria abaixo e no fim da página (da postagem) veja a matéria do Blog do Barata.

Aí é que falta democracia e polícia, para investigar a quadrilha.

BANCADAS DO PT SE REUNEM COM MINISTRO DA EDUCAÇÃO

Atendendo a um pedido do deputado Zé Geraldo PT/PA, o ministro da educação Aloizio Mercadante recebeu em audiência ontem, dia 18/04, as bancadas estadual e federal do Partido dos Trabalhadores do Pará, em Brasília. A reunião que contou com a presença do presidente do PT no Pará, João Batista Barbosa, toda a bancada federal e parte da bancada estadual do PT, teve como pauta principal o processo de implantação das duas universidades federais no Estado, sendo uma em Santarém, que já está em funcionamento, a Universidade Federal do Oeste do Pará – UFOPA e outra em Marabá, com projeto tramitando no Congresso Nacional, a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – UNIFESSPA. Participaram ainda como convidados o vice-reitor da UFOPA, Clodoaldo dos Santos e o ex deputado Paulo Rocha.

A reunião teve inicio com elogios dos parlamentares aos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma por terem atendido os pleitos da sociedade das regiões Oeste e Sul e Sudeste do Pará, principais beneficiarias com a implantação das duas universidades. Logo após os elogios vieram as solicitações.

No que se refere ao processo de criação da UNIFESSPA as bancadas solicitaram a inclusão de novos municípios, a serem contemplados com campi universitários.
Quanto a UFOPA os parlamentares externaram grande preocupação quanto ao seu processo de consolidação. Foi relatado ao Ministro Aloízio Mercadante a insatisfação da comunidade acadêmica no que se refere à ausência de uma gestão democrática e transparente, ausência de prestação de conta, assim como, o grande anseio da comunidade acadêmica pela eleição para Reitor.

Na Oportunidade a Bancada solicitou que o Ministério da Educação realize uma visita para verificar in loco o processo de consolidação da UFOPA. O Ministro de imediato solicitou ao Secretário de Ensino Superior (SESU), Amaro Henrique Lins, que realizasse essa visita, juntamente como uma equipe técnica para dialogar sobre os avanços e reclames no processo de consolidação com a comunidade acadêmica e apresentar um relatório.

Ato contínuo, o Ministro foi convidado para visitar a UFOPA, assim como, inaugurar o Instituto Federal Rural de Marabá e fazer o lançamento da pedra fundamental da UNIFESSPA.

Para o deputado Zé Geraldo, com destacada atuação na Câmara dos Deputados em defesa do ensino superior no Estado, tendo indicado individualmente nos últimos três anos cerca de 3,5 milhões de reais em emendas para o setor, a Sociedade Paraense espera uma maior agilidade e transparência na implantação destas Universidades no Estado. Além disso, “o Ministério da Educação e a Sociedade devem estar atentos aos processos de criação e implantação destas instituições acadêmicas para que tudo ocorra dentro da mais alta conduta técnica e democrática”, frisou o deputado.

O Ministro Aloizio Mercadante foi assessorado na audiência pelos seus secretários de Ensino Superior, Amaro Henrique Lins, de Educação Profissional e Tecnológica, Marco Antônio de Oliveira, do Secretário Executivo, José Henrique Paim Fernandes, do Assessor Especial, Rolf Hackabart. Pela bancada estadual do PT, fizeram-se presentes o deputado Airton Faleiro, a deputado Bernadete Ten Caten e o deputado Zé Maria. Os deputados Zé Geraldo, Beto Faro, Claudio Puty e Meriquinho Batista completaram a bancada federal do PT.



O PIB de Educação do Pará, só Professores Doutores das universidades paraenses.

Veja o Blog do Barata. Aqui sim falta democracia e polícia!

IFPA – Edson Ary na mira do MEC e CGU




 Digno e autêntico representante dos petralhas, o neologismo que identifica os arrivistas petistas, e célebre pela incompetência como gestor, um traço nele potencializado por uma prepotência de contornos patológicos, o reitor do IFPA, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará,Edson Ary Oliveira Fontes (foto, no centro, entre Tasso Genro e a irmã, Cuca), volta a ficar sob a suspeita de improbidade administrativa. As denúncias nesse sentido justificaram a criação, por determinação expressa do Ministério da Educação, de um grupo de trabalho destinado a apurar, no prazo de 60 dias, as suspeitas de corrupção envolvendo o reitor do IFPA.

Mas os percalços de Edson Ary Oliveira Fontes não ficam por aí. Fontes do próprio IFPA revelam que o reitor também está na mira da CGU, a Controladoria Geral da União. “Já há na CGU documentos de sobra sobre as irregularidades detectadas”, asseguram as mesmas fontes. A perspectiva de intervenção da CGU no imbróglio aplaca os temores de que o MEC, por injunções políticas, possa tentar minimizar a gravidade das denúncias que deixaram o reitor do IFPA sob suspeita de improbidade administrativa.

Edson Ary Oliveira Fontes vem a ser irmão de Edilza Oliveira Fontes, aCuca, professora de carreira da UFPA, a Universidade Federal do Pará, e que é também comadre da ex-governadora petista Ana Júlia Carepa. Cuca foi ainda, até passado recente, amiga pessoal e assessora da mais absoluta confiança de Ana Júlia Carepa, pontificando na administração da comadre até entrar em rota de colisão com Cláudio Puty, um dos luas pretas da ex-governadora. Quando isso ocorreu, Ana Júlia Carepa defenestrou Cuca do governo, com requintes de crueldade. Antes do desfecho traumático da amizade com Cuca, Ana Júlia Carepa, então senadora e posteriormente governadora, foi a avalista política de Edson Ary Oliveira Fontes, na ascensão funcional que o tornou diretor do Cefet Pará, o Centro Federal de Educação Tecnológica do Pará, que deu origem ao IFPA, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará, do qual ele é reitor. O aval de Ana Júlia Carepa a Edson Ary Oliveira Fontes foi devidamente costurado por Cuca, a irmã do reitor do IFPA.

No comando do Cefet e hoje do sucedâneo deste, o IFPA, Edson Ary Oliveira Fontes revelou-se um administrador inepto, desprovido de qualquer resquício de pudor ético. Além de patrocinar o nepotismo, que precisou mascarar devido a súmula 13 do STF, o Supremo tribunal Federal. Prepotente e inescrupuloso, o reitor do IFPA, quando ainda diretor do extinto Cefet, mandou erigir uma aprazível suíte, que era em realidade um pequeno bordel. Com a denúncia sobre essa lambança, feita por O Liberal, Edson Ary Oliveira Fontes tratou de desativar seu improvisado prostíbulo. De resto, embora pessoalmente covarde, e possivelmente por isso, ele se revelou também truculento, naturalmente valendo-se de terceiros. A cada eleição disputada, ele costuma arregimentar gangues de desordeiros, caracterizadas como militantes do PT, para intimidar a oposição e inibir a boca de urna dos seus adversários, o que é ilustrativo do seu caráter. Ou mais exatamente da sua falta de caráter.

2 comentários:

Anônimo disse...

Esse é um dos principais problemas da UFOPA: não separar o institucional do pessoal. Se ele fosse sério e agisse "democraticamente", porque não resolveu isso em nível da administração superior? Se bem que se eu fosse o Ximenes, também defenderia com unhas e dentes a bolada que ele pega todo mês:

1. Bolsa da CAPES: R$ 8.900,00 (sem imposto de renda)
2. Comissão de pró-reitor: R$ 5233,00 (sem imposto de renda)
3. Aposentadoria como reitor da UFPA: pelo menos uns R$ 11.000,00

Total: mais de R$ 25.000,00 por mês! (fora diárias e tal)

Duplique isso, pois a Solange (esposa dele) recebe mais ou menos a mesma bolada!

Já pensou, caro leitor, pegar R$ 50.000,00 por mês? É, agora você entende o desespero dele. O que será que vem por aí na UFOPA? Essa tetuda!

Aliás, quase esqueço, o CONSUN é muito democrático: 3/4 foram empurrados goela abaixo pelo reitor! A própria eleição dos representantes das categorias foi "realizada" pela reitoria. (Dem)ocrático e bonzinho, não?

BLOG DO ENRIQUEZ disse...

Prezado Anônimo, sobre o caso Ximenes pergunte a ele, que eu só sei quanto eu ganho e isso é público.

Só posso falar que se são 8.900 como bolsa da CAPES reclame ao MEC que determinou esse salário aos pesquisadores pós-doutores e também ao MEC -leia-se HADDAD, candidato ao governo de São Paulo pelo PT, por que paga essa bolada de dinheiro e mais ainda se a esposa de Ximenes também é pós doutora e bolsista da CAPES a coisa complica. Que se separem!.
Aliais, o Reitor da UFOPA foi indicação do Fernando Haddad e deu a ele todo o apoio. Mais um erro do PT, junto com o ENEM. Acho que se comprova que esse menino vai causar muito estrago em São Paulo.
Fiquei feliz de saber sobre esses salários de aposentadoria. Mas nunca vou chegar a receber 50 mil reais que recebe um analfabeto deputado que se lambuça com a grana do Cachoeira.
Silêncio total nos partidos aliados pela robaleira do narcotraficante, que está sujando a mais de um.
Nem a voz do Suplicy aparece no Senado perguntando a Cachoeira. mudos.

Bom nivelando as informações. Quando seja instituído o estatuto da UFOPA e deixe de ter reitoria pró Tempore, todas as câmaras vão funcionar plenamente.
Aí se vale toda greve, manifestação e o que seja legal dentro da universidade que fará valer plenamente sua autonomia, para que não venha qualquer deputadinho a promover baderna para caçar votos.

Agradeço seus comentários, sempre vem vindos.

Até breve.